quinta-feira, 14 de agosto de 2014

GUEST POST: O GINECOLOGISTA ME FEZ PASSAR MAL

A T. me enviou este relato:

Esse é o primeiro e-mail que mando para você, mas já leio seu blog há mais de dois anos. Confesso -- e acho normal -- que nem sempre concordo com as opiniões expressas por você ou pelos autorxs dos guest posts, mas nunca deixo de ver a atualização do dia. Acho seu blog extremamente importante como ferramenta de disseminação de ideias e ideais, e também como veículo de informação. Não fui a primeira e nem serei a última a ler um post no seu blog e finalmente entendido e aceitado que foi vítima de algum tipo de violência. E por isso, agradeço de coração.
Bom, o meu "causo" é algo que já há tempos venho querendo escrever, mas sempre vem aquela sensação de que não foi nada, de que talvez eu tenha interpretado errado, de que perto de casos tão terríveis o meu não foi nada. Mas, lendo o post da Ligia Moreiras Sena, sobre violência obstetrícia, finalmente tomei coragem para escrever e mandar este e-mail. 
Tenho 25 anos e desde os 15 vou ao ginecologista. Fiz sexo pela primeira vez aos 17 e aos 18 realizei meu primeiro papanicolau, tudo certinho como mandam as recomendações. Como mudei de cidade algumas vezes (e também de plano de saúde), passei por diversos médicos. Todos até hoje foram homens, e sempre fui muito bem tratada, com respeito e cuidado. Até uma vez, no ano passado.
Eu estava morando em Campinas, no interior de São Paulo, e trabalhava em uma empresa que oferecia plano de saúde aos funcionários. Como eu não conhecia nenhum médico que atendesse pelo plano, pedi indicações aos outros funcionários para fazer um check-up geral. Minha chefe, então, me indicou o ginecologista dela, que era -- nas palavras dela -- "maravilhoso".
Peguei o telefone, marquei a consulta. Na época eu estava noiva (hoje sou casada), e meu então noivo veio me acompanhar ao consultório. Porém, na hora de entrar eu pedi para ele ficar na sala de espera (nunca gostei de ter outras pessoas comigo durante consultas). Entrei na sala e o médico demorou mais uns 15 minutos para me atender. Até aí, sem problemas, médicos são pessoas ocupadas, mesmo.
Assim que ele entrou, me cumprimentou e checou o formulário que eu havia preenchido ao chegar. Ao ver que eu tomava a pílula, imediatamente começou a falar sobre como este método contraceptivo era péssimo, que fazia muito mal ao corpo da mulher. Ainda achei normal, cada médico tem uma opinião diferente sobre o assunto.
Aí ele me perguntou quem era o moço que tinha ficado lá fora. Eu disse que era meu noivo, e ele me perguntou se eu o "conhecia bem". Fiquei sem entender, e comecei a dizer que tínhamos feito exame de HIV e tudo, mas ele me interrompeu. "Não, não estou falando disso. Você sabe se ele pode ter filhos?". Na hora fiquei meio chocada, mas respondi que não havia pensado nisso. Ele passou então um sermão sobre como era importante saber isso, porque caso ele não pudesse ter filhos eu deveria pensar melhor se queria mesmo me casar com ele, e se quisesse eu nem precisaria tomar a pílula (eu tomo a pílula desde os 15, porque sempre tive um fluxo muito intenso).
Logo em seguida ele começou a emendar que eu deveria colocar um DIU, que o DIU era o melhor contraceptivo, que nos países desenvolvidos ninguém mais toma pílula, só usa DIU e tal. Eu já estava com a cabeça meio zonza e já nem discutia mais.
Então chegou a hora de fazer o papanicolau. Ele me indicou a sala separada, o banheiro, e me disse para ir tirar a roupa. Entro no banheiro e -- surpresa! -- não tem nenhuma camisola daquelas que a gente põe para fazer o exame. Tive que sair do banheiro completamente nua, desfilar na frente dele e deitar na maca para ser examinada.
Ao realizar a coleta, ele me diz que estou "cheia de pus" no colo do útero, e que isso é causado pela pílula. Quando eu digo que achei estranho, porque não tive nenhum tipo de sintoma, corrimento, nada, ele diz "Ah, mas está bem machucado por aqui, quer ver?", e cutuca a parede do meu útero com o coletor. 
Foi uma dor tão forte que eu soltei um grito, aí ele diz "Viu só?" e me mostra o coletor com um pouco de sangue.
Exame encerrado, ele volta para o consultório e eu caminho para o banheiro, ainda com o útero dolorido e com pensamentos terríveis na cabeça. "Pus no útero? Isso é culpa minha! Agora posso até nunca poder ter filhos! Como fui deixar isso acontecer?"
Não sei se por causa do útero dolorido, da visão do sangue no coletor, da imagem do meu útero "cheio de pus" ou tudo junto, mas ao chegar no banheiro tive uma tontura tão forte que precisei me sentar e esperar uns minutos antes de me vestir e voltar ao consultório.
Terminada a consulta, ele me entrega um pedido de espermograma para meu noivo fazer, e não me passa nenhum exame, nenhuma receita, nada. Só uma recomendação: pare imediatamente com a pílula.
Saí da consulta tremendo, confusa, com vontade de chorar. Ainda marquei um retorno, porque até então o discurso aterrorizador dele havia me convencido.
Só fui perceber que havia sofrido uma violência com o passar do tempo, conversando com meu marido, com minha mãe, com uma amiga ginecologista que me disse para procurar outro médico (o que fiz, e ele não encontrou nada, muito menos pus, no meu útero). Mas o que me ajudou mesmo a entender a violência foi o fato de eu já seguir o seu blog há um tempo.
Por isso resolvi mandar este e-mail. Porque mesmo que eu mesma me diga que meu caso não foi assim tão grave, meu corpo inteiro estava tremendo enquanto eu o escrevia. A sensação de ser humilhada, violentada, de ter minha vontade jogada no lixo por um profissional que deveria se preocupar somente com o meu bem estar é algo que ainda me perturba.
Durante a consulta, também, enquanto ele insistia para que eu colocasse um DIU, houve um único comentário que me fez despertar um pouco do transe em que eu estava. "Já que você vai casar, eu recomendo o DIU. Se você tivesse uma vida promíscua, muitos parceiros, aí eu não recomendava, não, porque o DIU aumenta o risco de transmitir DST". E se eu fosse noiva e "promíscua"? E se eu tivesse muitos parceiros, todos com camisinha, isso ainda me deixa em um grupo de risco maior do que fazer sexo sem camisinha só com o meu marido?

75 comentários:

Marianna. disse...

Ginecologistas são os piores em casos de abuso em consultas. Uma vez fui a um médico para fazer exames de rotina e, assim que entrei no consultório, ele começou a falar como eu era gorda, que qualquer problema que eu tenha era por causa da minha gordura, que desse tamanho em jamais poderia ter filhos e que ele se recusava a me examinar "deste tamanho". a recomendação? uma cirurgia de redução de estômago urgente, ele inclusive me deu o cartão de um colega dele. detalhe: eu peso 90 kgs, com quase 1,70m de altura, nada tão fora do padrão assim, e minha saúde é impecável. não são só abusos físicos que eles fazem, os psicológicos também abalam muito.

lia38 disse...

Pois é.. que pena que não é caso raro, né?

Eu tenho um implanon, que é um contraceptivo que a gente implanta no braço, e dura três anos. Por causa disso, estava com um sangramento continuo por mais de 6 meses, ai fui a médica. E sabe o que a bonita me disse?
- "ta, e daí? Eh normal mulher sangrar."

Ta, mas TODO DIA, durante 6 meses? Ela ainda me disse que eu já estava com 26 anos,veja só e era hora de ter filho, porque depois disso estou velha demais. E deveria usar outro contreceptivo que durasse menos.

Ai comecei a chorar e dizer que "o meu marido não suportava mais esse sangramento, que estava destruindo minha vida marital". Ai essa cretina decidiu fazer algo por mim. Enquanto o problema era só meu, eu que me dane. Quando o problema é do senhor meu marido, aí sim é coisa séria.

E alias, isso se passou na França. Cito o lugar, para mostrar que o desrespeito, acontece em todos os lugares.

Aninha disse...

Precisei de três consultas para encontrar uma ginecologista que eu confiasse. Parece que os muitos anos de estudos faz com que essas pessoas esqueçam que por trás do corpo que estão lidando ainda há um ser humano.

Aproveitando o assunto levantado pela autora, queria saber o que vocês acham do DIU. Várias amigas estão usando e recomendaram, mas ainda não falei com minha gineco. Queria ouvir outras opiniões.

Fernanda disse...

Ginecologistas são os médicos que eu tenho mais receio de ir. Já fui tratada mal de diversas formas, desde médicos que não dão a mínima importância aos seus problemas, e tratam como frescura, até um médico que me deu uma anestesia raquidiana para cauterizar uma ferida. Também tem os médicos que a Lola já citou que tem convênio com farmácia. Fui em um do qual saí com receita de floral, de ômega 3 (pro estresse) e com uma amostra gratuita de pílula que misteriosamente outros 2 médicos me deram a mesma.

Shadow Kitten disse...

Psiquiatras são tão ruins ou piores, vou contar minha história. Desde o início da adolescência sofro de depressão e deficit de atenção, é algo que eu me acostumei e se tornou parte de minha personalidade. Ás vezes, quando a coisa complica devido ao stress, vou ao psiquiatra para conseguir uns remédios, em geral a coisa é: Falo os remédios que funcionam, desabafo com ele, pego a prescrição para dois meses, tchau e benção.
Ocorre que o psiquiatra do caps que eu ia(é de graça e ainda é com hora marcada), se cansou da bagunça que era lá, largou a clínica e virou pesquisador, quem entrou no lugar um velho PERVERTIDO que falava que meu problema era "falta de sexo", dizia que eu tinha que "aproveitar os tempos de universidade" e outras sandices. Como eu estava lá semi-obrigado(ganhava um auxílio "bolsa" da universidade para garantir que eu fosse àquela merda), fiquei num misto de pedir os remédios(que ele tirou falando que meu problema era sexual) e de trocar farpas com ele.
A coisa teve um final mais ou menos feliz, após ele ligar para a universidade para reclamar que acesso aos periódicos da CAPES estava "atrapalhando meu tratamento" - pausa para rir - as próprias psicólogas da assistência estudantil foram lá, viram que era uma bagunça, e deixaram eu me virar, sem tirar a minha bolsa.
Já pensei em denunciar, mas não adianta pois o CRM é um bando de carniceiros corporativistas e sei que não vai dar em nada.



O médico "velho pervertido" em questão se chama Nilson Sibemberg, e o mesmo atua em Porto Alegre - RS

Fernanda disse...

Aninha, minha amiga usa o DIU e sentiu muita dor na hora colocar. Acredito que algum médico ou médica de plantão aqui pode falar melhor, mas parece que mulheres que ainda não tiveramm filhos podem sentir dor. Em mulheres que já tiveram é só um desconforto na hora de colocar.

Expat Patronum disse...

Marianna,

Algo semelhante aconteceu comigo e meu urologista. No final da consulta ele disse que eu estava muito gordo e que eu tinha que cuidar da minha saúde e que se eu continuasse gordo daquele jeito ou engordasse mais meu pau poderia diminuir de tamanho e ter impotência sexual. saí de lá completamente embaraçado.

Mia Colucci disse...

Aí depois reclamam qndo dizem que td homem pode ser um estuprador, nem no médico podemos confiar.
E depois que são estupradas!!! ainda muitas ficam caladas sem o apoio dos próximos e com a culpa de ser vítima.
E ainda ouvir que tem mais falsa acusação que estupro de fato...

Jane Doe disse...

Cara, que merda é essa de que nos países de primeiro mundo as mulheres não tomam pílula???
Moro em país de primeiro mundo e muita gente toma pílula sim!! Até por que é muito barato...
Desde que cheguei aqui eu me consulto sempre com a mesma médica. Ela é muito boa e sempre deixou a decisão de que método contraceptivo eu quero usar. Ela me explica tudo, mas a palavra final é minha!!!
Mas já passei na mão de médico escroto sim...
Como eu sempre digo - GO é a especialidade médica com mais gente escrota por número de profissionais!!!

Aninha
Até onde sei o DIU Mirena é um dos métodos mais seguro tanto para contracepção quando para a saúde, pois não carrega estrogênio, só progesterona. A parte mais abençoada é que você praticamente para de menstruar o/.
Eu só não coloquei ainda por que o plano de saúde não cobre nem o DIU nem o trabalho do médico. Custaria em torno de 350 euros. Não é muito mas, sabe como é a vida de estudante...

aqui está o link da Bayer com informacoes sobre o Mirena:

http://www.bayerpharma.com.br/pt/produtos/produtos-bulas/visualiza-produto.php?codigo=mirena

Mia Colucci disse...

-Expat Patronum
eu vi você em outro tópico e gostaria de saber porq tem um grupo de ajuda pra pegar mulher? já que o sexo está tão fácil nos tempos atuais.

Se puder responder gostaria de saber...

Expat Patronum disse...

Mia Colucci,

Fácil para quem sabe como conseguir, o que não é o caso de muitos homens.

Para você ter uma ideia um dos tópicos mais discutidos na comunidade de sedução é como superar sua AA (Approtion Anxiety), que basicamente é um medo incapacitante (para muitos) de chegar numa mulher desconhecida pela qual ele se sinta sexualmente atraído e começar uma conversa.

Outro tópico bastante discutido é diversas formas de Sexual Anxiety, como medo de mostrar que você está interessado nela não como amigo-amiga mas como homem-mulher, o que leva diversos homens a ficarem por diversos meses ou até anos amigos de pessoas que na verdade eles querem algo mais.

Obviamente as pessoas que procuram ajuda na comunidade de sedução são geralmente tímidas, com poucas habilidades sociais, e geralmente com um histórico ruim com mulheres.

Enfim... há mais coisas entre o céu e a terra do que "é muito fácil conseguir sexo hoje em dia"



Fernanda disse...

Eu nunca tive esta desgraça com ginecologista. Eu me consulto com homem e sempre fui muito respeitada.
Em compensação. Eu fui a uma Endócrina. Eu tinho 90 kg e 1,70 igual a moça lá em cima e estava preocupada pq segundo o IMC isso era quase obesidade. E minha vó era diabética e tals.
Quando cheguei lá, disse que queria a ajuda para voltar ao meu peso normal que é 70 kg. Ela falou para mim, que além de ser pouco eu não iria estar "na moda". Que eu devia me imaginar com no mínimo 65 kg e melhor ainda com 55kg!!!
Como se não bastasse ela depois de me dar a receita e a dieta.Ela ainda falou para eu me olhar no espelho pelada e ver seu gostava do que via. E que toda vez que eu querer desistir da dieta, fazer isso, me olhar no espelho!!

Como seu fosse sentir nojo de mim nua !Eu me senti muito mal. Não consegui seguir a dieta e engordei mais 2 quilos. Mais tarde eu encontrei um médico descente, que me respeitou. E conseguiu me ajudar a recuperar a estima e emagrecer para chegar onde EU queria.Vou periodicamente esta tudo muito bem.

Parece que na cabeça de certos profissionais destruir a auto estima da pessoa é um tipo de prazer. Que horror...

Mia Colucci disse...

Expat Patronum
Entendi são técnicas como não ter vergonha de chegar em uma garota.

Obrigada por tirar minha dúvida!

Death disse...

E quando vc vai ao gineco e diz que não tem um pênis, mas outra vagina (óh céus) na equação "vida sexual"?

Os gineco pira.

D Stoffel disse...

A culpa
é do agressor

Ta-chan disse...

Tem tempo que estou atras de um/a ginecologista!

Tenho candidíase recorrente e fui no medico a mais ou menos um mês que fui pela ultima vez.Ele disse que nem precisava me examinar pq candidíase não tem cura, e já prescreveu logo um antibiótico.Ai me perguntou se tinha mais alguma queixa, eu disse que não e ele me desejou melhoras...Tudo isso em cinco minutinhos de consulta.Paguei 150 dilmas por uma receita de antibiótico :)

Antes desse fui no gineco do posto do bairro.Esse me examinou, deu a receita do antibiótico, não conhecia a pilula que eu tomo, não quis nem ouvir falar em colocar o DIU, e ainda me premiou com a perola:

"Sabe, a mulher precisa ser higiênica.Eu não estou falando de banho não!É que tem que ser moderada com o sexo...Se o marido quer todo dia, não pode, tem que regular!Até mesmo pra manter o interesse do esposo."

Enfim,continuo procurando um medico.Se alguém puder indicar, eu agradeço.

Joice Garcia disse...

Certa vez fui em uma ginecologista por indicação, a mulher super grossa e seca. Disse que era recém-casada e no futuro, gostaria de engravidar e que tinha preferência por parto normal. Pois bem, ela começa o exame. Eu sempre tive horror ao exame preventivo, sempre senti muita dor e incômodo. Eu suava frio na maca, e ela seca como sempre só falava assim: RELAXA. Como relaxar se ela estava sendo uma cavala comigo? Ela me machucou toda. Teve que pegar gase e enxugar o sangue dentro do meu útero. Eu queria morrer de tanta dor e nervoso. Ao terminar, ela vira pra mim e me diz: Você nunca vai ter parto normal, não aguenta um preventivo. Desse jeito! Não me passou exame nenhum pra fazer, simplesmente me agrediu física e psicologicamente. Saí do consultório chorando por me achar fraca e pensando em fazer uma cesárea por conta das palavras dela. Quando contei isso pra minha médica atual (que é uma excelente médica) ela ficou revoltada e exclamou: O que tem a ver "trepar" com ter filho? Cada pessoa é uma! Essa mulher é uma louca. Você quem sabe se vai ter ou não parto normal. Ela me ensinou uma técnica para não sentir dor durante o exame e eu não a troco por nada.

Raven~ disse...

http://trombadeelefante.blogspot.com.br/2012/12/como-bloquear-usuario-no-blog.html?m=1

Dá uma lida Lola. Vai que é útil?

Gabriela G. disse...

Nunca dei sorte com ginecologista. Fui em um que adotou a mesma postura que o descrito pela colega, ele ficou insistindo no DIU, sem ao menos me perguntar o que eu queria.
Daí fui em outro ginecologista que teve a coragem de brigar e xingar a mulher dele no telefone na minha frente, quando já estávamos no consultório. Depois de gritar, destratar a esposa e criticar as mulheres de modo mais geral, ele ainda queria me examinar. Obviamente eu não deixei, inventei uma desculpa qualquer e cai fora do consultório. Como posso me sentir bem nas mãos de um médico super machista, descontrolado e que fala aos berros com a esposa na frente do paciente? E o pior, apesar dele ter violado essa relação médico-paciente, ele nem se desculpou. Acho que foi uma das situações mais bizarras e surreais que eu já passei na minha vida.
O fato é que esse tipo de médico desumanizado afasta a maioria das pacientes dos consultórios médicos. Fico frustrada e desanimada só de pensar que eu vou ter que procurar outro profissional e que talvez eu passe por situações negativas de novo.

Miriam Lobo disse...

Joice, como é essa técnica? sofro muito para fazer esse exame.

Fer disse...

'Tenho candidíase recorrente e fui no medico a mais ou menos um mês que fui pela ultima vez.Ele disse que nem precisava me examinar pq candidíase não tem cura, e já prescreveu logo um antibiótico.Ai me perguntou se tinha mais alguma queixa, eu disse que não e ele me desejou melhoras...Tudo isso em cinco minutinhos de consulta.Paguei 150 dilmas por uma receita de antibiótico :)'

Mas assim, antibiótico não é usado em candidíase, inclusive piora a candidíase...tu tem certeza que não era antifúngico? Tipo um clotrimazol ou parecidos?

Gurias, como estudante de medicina posso avaliar (pela minha experiencia, claro) que esses médicos ruins e que MACHUCAM as pacientes são os velhxs nojentxs que se acham as estrelinhas. Tem um professor meu que, enquanto eu estava fazendo o exame especular na paciente, foi absurdamente bruto com ela, fazendo inclusive o colo do útero sangrar. Muito idiota. Claro que como mulheres, eu e minha colega batemos boca com ele (empatia, né). NOJO!

Recomendação: plano de saúdo ou SUS, se não gostarem do médico DURANTE a anamnese (a conversa inicial) NÃO FAÇAM o exame ginecológico. É complicado marcar horário e dispor de um horário, mas aceitar exame físico (ainda por cima ginecológico, algo tão íntimo) com alguém que não se tem confiança nunca é ideal. E pode terminar em sensação de ter sido violentada.

Beijos

Joice Garcia disse...

Miriam Lobo, é o seguinte: Quando o médico estiver prestes a inserir o bico de pato, vc faz força como se fosse evacuar, aí os músculos relaxam e fica mais fácil de ser introduzido. Vc sente o bico de pato, mas não te machuca. Eu tinha pavor de fazer esse exame, agora vou mais tranquila. Espero ter ajudado.

Miriam Lobo disse...

Joice, vou testar, porque realmente é um suplício...

Muito obrigada pela dica ;)

Beatriz Correa disse...

Só passei por 3 ginecologistas até hj e a última (a q consulto atualmente) é um amor!!
Conversa tranquila, te ouve com todas as suas dúvidas/queixas, tem a mão hiper leve (sempre tive problemas com preventivo, qndo fiz com ela, nem senti!)e ela é extremamente cuidadosa (na primeira consulta, além de me dar 2 amostras da pílula que eu tomo, me mandou fazer uma beteria de exames, desde urina até transvaginal - até em vacina da HPV ela falou)

A única coisa que me incomodou um pouquinho foi qndo ela falou sobre gravidez, meio que forçando um pouquinho a barra pra que eu pensasse em engravidar (pra mim, q não qro filhos agora, foi incômodo, mas pra quem já tem vontade, não soaria dessa forma)

.. disse...

(Danilo)


Resposta: Ginecologia é uma profissão que se tornou meio vulgar. A profissão se vulgarizou. Qualquer merdinha leitor de Jacques Lacan quer ser ginecologista ou psiquiatra.

Mirella disse...

a primeira ginecologista em que fui na vida, quando eu tinha uns 22 anos (sim, super tarde, não façam isso): "boa sorte" quando eu disse qual anticoncepcional eu tomava.

WHAT THE HELL??? nunca mais voltei.
a segunda perguntou, assim que eu sentei na cadeira: e essa obesidade? detalhe: tenho 1,73 e pesava uns 80, 81kg - não que ela tenha medido minha altura ou me pesado. a primeira me pesou e mediu, só comentou que era bom emagrecer um pouco.
a terceira - e espero, última - em que fui me deixou confortável, respondeu minhas dúvidas de forma completa, direta, me pediu diversos exames (mais do que as anteriores) e pretendo continuar frequentando.
não tenham receio de pretenderem ser bem atendidas. somos pessoas, não objetos. nossas médicas e médicos precisam ser pessoas de nossa confiança, não pessoas arrogantes que nos deixem constrangidas de dizer a verdade e fazer perguntas - que é a essência basal para um relacionamento médico.

Carol NLG disse...

Eu tinha uma médica na minha cidade anterior absolutamente amor e paixão. Sério, nunca senti dor em preventivo, ela realmente falava sobre tudo, abria as opções e me explicava. Mas a decisão, sempre, era minha. Nunca falou do meu peso e sempre fez aquela consulta que você sai feliz, sabendo que valeu a pena.

Quando me mudei, um dos maiores problemas foi essa substituição. Aliás, passei quase 3 anos voltando pra minha cidade uma vez por ano pra ir na médica!

Agora que estou grávida, não teve jeito, tive que achar uma aqui. Dei muita sorte. Recebi indicação de uma médica de 4 pessoas diferentes e fui. Que pessoa maravilhosa, alto astral! Tira todas as dúvidas, desde o começo deixou claro que o parto vai ser como eu quiser - embora, caso eu quisesse cesárea, ela insistiria em esperar começarem as contrações, pra saber que o bebê está pronto.

E assim que ela percebeu, na segunda consulta, que eu já tinha lido basicamente tudo o que consegui colocar as mãos sobre a gravidez, ela me deu mais dois livros, um pouco mais aprofundados, pra ler. É isso aí! Médica que elogia e apoia os pacientes se informando! Segundo ela, paciente informado e que faz perguntas é paciente consciente, e é isso que ela quer. É ou não é amor demais?

Expat Patronum disse...

"Mia Colucci disse...

Expat Patronum
Entendi são técnicas como não ter vergonha de chegar em uma garota.

Obrigada por tirar minha dúvida!"



Bem, sim e não. Ansiedades Sociais e Sexuais foram só um exemplo que eu usei para responder sua pergunta. Mas na comunidade de sedução discutimos tudo sobre relacionamentos sexuais entre homens e mulheres desde do momento em que um homem ver uma mulher que ele acha atraente, passado por beijo, encontros, sexo, até o momento em que eles decidem se vão continuar num relacionamento(aberto, monogâmico, etc) ou se foi só um sexo casual, e além. Também discutimos tópicos gerais do desenvolvimento pessoal masculino, como fitness, finanças, amizades, etc, mas esses tópicos costumam ser periféricos.

Paula disse...

tanta gente falando mal dos ginecos, vou falar bem do meu.

Certa vez fui me consultar e minha mãe foi junto. Ela também é paciente e amiga do médico.

Uma hora ela soltou:
-Imagina, Dr. Fulano, que Paula não quer ter filhos!!

eis que meu médico se isnpirou e soltou:
-Mas isso é escolha dela. Se ela não quiser ter filhos, não tenha. Se mudar de ideia, que tenha. Quem tem que fazer a decisão é ela!

(meu orgulho)

mas to com a Fernanda aí... nunca tive problema com gineco, mas com endocrinologista... Já foi um tal de me passarem remédio sem eu precisar, fazer um cardápio do tipo copy+cola, me tratarem como seu eu fosse criança que não sabe o que faz... eu desisti...

lola aronovich disse...

Oi, gente, voltei! Agora os comentários voltaram a ter moderação. Ainda bem que os mascus não apareceram muito hoje. Bom, recebi este email da L.:

"Como vai? Às vezes eu não consigo deixar comentário, eu tenho um endereço Gmail, mas é do trabalho e aparentemente não posso usá-lo.
Hoje foi um desses dias que me deu vontade de participar porque eu, como tantxs, tive também minha quota de desrespeito médico. Na verdade já passei por poucas e boas, tanto no Brasil quanto fora, mas teve uma vez que foi o cúmulo, eu estava muito mal, era provavelmente a depressão, só que ainda não tinha nome, eu tinha 17 anos, meu pai e minha irmã me levaram a um médico, meu pai ficou esperando lá fora, minha irmã entrou comigo, mas para me examinar o médico me levou a um outro cômodo e foi me fazendo um monte de perguntas sem pé nem cabeça, inclusive perguntas muito íntimas, eu estava muito cansada e não queria responder, fechei os olhos esperando ele terminar com o blá blá blá dele e o que ele fez? Beijou a minha boca, eu abri os olhos no maior susto, comecei a chorar, me levantei, ele ficou com medo (eu acho) e começou a arrumar umas desculpas, disse que estava me testando (hein?), que eu estava inerte (eu estava inerte e daí ele se aproveitou?). Por muitos anos eu fiquei puta da vida comigo mesma por não ter feito nada, mas o fato é que justamente, eu estava ali porque eu estava com um problema, não estava conseguindo fazer muita coisa sozinha. Eu não contei para o meu pai, depois conversei com minha irmã e pedi que não contasse também.
Eu fico sempre analisando como a autora desse texto, diante de tantas coisas sofridas pelas mulheres que esse é um mal menor, talvez seja. É horrível um abuso em qualquer circunstância, mas quando você vai atrás de ajuda e ao invés de ajuda um suposto profissional se aproveita de sua fraqueza é o fim do mundo. Será que esse médico não entendeu que eu estava no fundo do poço? E eu acho que eu estava ali no fundo do poço, pelo menos em parte, por causa de outras histórias de ‘quase abuso’ (eu ainda chamo assim porque sempre penso que consegui me safar), várias histórias que eu passei anos tentando me convencer de que não era grave, que a vida é assim mesmo.
Uma dessas histórias: eu tinha uns dez anos, vivíamos em um bairro pobre, um comerciante da rua era pedófilo e minha mãe não conseguia perceber isso, eu escapei dele mais de uma vez, numa das vezes ele me pegou pelo braço e tentou me convencer a entrar dentro da casa dele, corri assustada. Ele não desistiu, arrumou uma desculpa e convenceu minha mãe a me mandar ao armazém dele numa hora um tanto imprópria, chegando lá ele estava com uma menina um pouco mais velha que eu no colo, ele acariciava os seios dela e os dois me olharam com o olhar mais estranho do mundo. Eu não podia entender aquilo, o papel daquela menina naquele jogo, ele decerto tinha controle sobre ela, mas eu fiquei muito apavorada com os dois e com ele principalmente. Consegui fugir mais uma vez. E fugi outras vezes...E assim fui passando pela infância e adolescência, correndo de um e outro e com raiva de mim por não ‘fazer nada’.
Então eu acho que a autora desse texto fez bem em falar disso, ainda que seja praticamente impossível denunciar o médico, esse tipo de depoimento pode nos ajudar a prestar mais atenção e a estarmos preparadxs quando nos acontece alguma coisa estranha. Eu hoje sou outra pessoa, felizmente, tudo isso faz muito tempo e a raiva de mim, de não reagir, foi passando aos poucos, entendi que fiz o que podia fazer naquele momento.
E aproveito para também agradecer o esforço que você coloca na manutenção deste blog, não sei como você consegue, ainda mais sem ajuda. Muito, muito obrigada mesmo, faz tempo que o leio, todos os dias e leio muitos dos comentários também, mesmo quando não consigo deixar minha opinião."

Anônimo disse...

Que situação terrível!
Eu já vivi uma situação que não foi grave como essa, mas que acredito ter a ver com despreparo médico. No meu caso, sempre tive cólicas mentruais fortíssimas que nunca melhoraram com nenhum medicamento disponível no mercado e minha própria ginecologista antiga sempre pareceu não acreditar nas minhas queixas sobre essas dores, como se fossem "frescuras", mesmo quando eu ia parar no hospital por conta disso. Além disso, quando perguntei sobre a possibilidade de tomar algum anticoncepcional para não sofrer mais, essa médica se recusou a receita-lo, pura e simplesmente porque ainda tinha 17 anos na época. Nesse meio tempo apareceu um sisto em um dos meus ovários e tive que ser submetida a uma cirurgia de risco e de emergência para retirálo- problema que poderia ter sido resolvido com a pílula. Durante o pós-operatório, essa mesma mulher me disse, em tom de piada/deboche que se eu tivesse um namorado e uma vida sexual ativa (eu era virgem), minha recuperação seria mais rápida.Triste.

Anônimo disse...

Legal o clima de conversa que se estabeleceu nesse post. Adorei a dica pro exame ginecológico não doer, faz todo sentido! Qd eu tinha 17 fui com a minha mãe numa gineco ver uma ferida na vagina. Eu era virgem e ela me passou um exame de sangue pra testar sifilis!!! Foi a primeira vez que fui num(a) gineco. Deu negativo, é claro. E depois a outra gineco disse que era só uma foliculite (se bem me lembro do nome - inflamação de pêlos) que eu tinha coçado. Fiquei pensando no porquê da tal gineco não ter acreditado na minha virgindade e até hoje penso que eu devo ter rompido meu hímen na base da masturbação.

Anônimo disse...

Minha primeiro gineco era uma fada. Cuidava da minha mãe desde depois do meu nascimento, mas resolveu sair do plano e ficar mais na obstetrícia.
Consegui achar uma educada, delicada na hora de fazer exame, mas um pouco desinteressada.
Tive um problemão nessa época, uma candíasse que durou um ano. Foi terrível.
Depois ela saiu do plano e achei outra, tb educada, mas a consulta não durava 10 minutos. Ela me passou o anticoncepcional e os exames pré-nupciais.
Mudei de cidade e sem referência nenhuma peguei a primeira mulher q achei na lista do plano.
Relatei problemas durante a relação com meu marido ela virou e disse: é só fazer mais carinho. Só daí fiquei com o pezão atrás. Fez algumas perguntas a mais e me encaminhou pra fazer os exames no laboratório. Até hj estou com as guias e sem coragem de procurar outra. Vou esperar voltar na minha cidade.
Só que nessa brincadeira estou a 3 anos sem me consultar.

Sobre o DIU, tenho um preconceito monstro... Teve uma época em q ele foi usado para esterilizar mulheres pobres nos hospitais públicos da cidade, relatos horríveis, td correndo só na boca miúda...

Maria Valéria disse...

Como medica, aqui vão eus comentários
1- nunca vi alguém ver " pus " em algum lugar e nao dar receita de antibiótico para tratar o " pus " . Esse cara deve ter visto cistos de naboth, que são super comuns , amarelados e nao causam nada para a mulher....nem mesmo dor ! A dor deve ter sido causada pelo desconforto que esse cara fez a autora do post sentir,e a tontura, sim, deve ter sido causada pelo mal estar físico e psicológico,e provavelmente uma hipotensão postural junto levantou logo da mesa ginecológica em que estava deitada )
2 - nao vou comentar o restante da falta de ética do ginecologista
3- o DIU e um excelente método, e a contra indicação pra mulheres sem relacionamento estável e verdade. Eu nao gosto do termo. " promíscua " -acho machista - e também porque se a mulher transar sempre com um único cara., e esse cara transar com outras alem dela,tambem e arriscado usar o DIU e contrair infecção pélvica.entao o DIU nao e indicado pra quem tem relações casuais,mesmo que esse casual seja com um único parceiro - a nao ser que ele transe so com você, quem garante ?
4 - com gineco eu nunca fui desrespeitada.ja fui mal orientada, mas eu ja era formada em medicina e soube correr atras do que a GO nao me explicou.. Hoje sou atendida por uma ótima profissional aqui em Campunas, a qual tambem atende em Sumaré, quem quiser a indicação do consultório dela, faz contato comigo.
5 - da mesma forma que as gordinhas reclamam da patrulha a obesidade, tenho essa reclamação com relação a dentistas : tenho um problema ortodontico serio, perdi um dente permamente na infância , tenho mordida cruzada , um pouco de retrognatia( queixo levemente pra trás ) , enfim usei aparelho por anos, tenho desgaste ósseo, em gengiva, etc.
Ja to de saco cheio de amigo dentista que fica me abordando sem pudores em mesa de bar, corredor do trabalho, falando dos benefícios da " cirurgia ortognatica " dizendo que minha vida ia mudar , que eu ia ficar linda, mastigação melhorar etc. Caracaaaaaa eu nao quero fazer essa cirurgia agressiva aos 40 anos ( que irei fazer domingo agora ), vivi 40 anos com esse rosto, com esse queixo e vai continuar assim,que falta de ética e de simancooll que esses dentistas e fonoaudiologos tem pra ficarem se metendo na minha vida e me indicando cirurgia fora do consultório deles ????seria o mesmo que eu almoçar , jantar com meus amigos gordinhos e ficar falando pra eles fazerem bariatrica, será que eles iam gostar ???
Caraaaa acho a coisa mais sem noção do mundo,!!!

Anônimo disse...

Olha, primeiríssima vez que vejo um gineco fazer isso. Eu precisei passar por dois ginecologistas (mulheres), um neuro, um oftalmo e um homeopata, até chegar na minha ginecologista que (ainda bem) suspendeu a pílula, pois eu estava com formação de coágulo!! Acredita que essa gineco teve que se aposentar por invalidez e eu voltei na minha antiga, que insistiu em uma das consultas para eu utilizar anticoncepcional oral novamente (eu fora, só me fez mal). Eu uso só preservativo, e tem me feito muitooooo bem, pois desde que parei com a pilula nunca mais tive gastrite, enjoo, cólicas, dores nos seios e nem depressão mais (ah, e mesmo tendo parceiro fixo, se usar preservativo diminuiu, e muito, a incidencia d candidiase).

Dicas que eu acho boas e úteis:

* Candidíase não precisa de antibiótico. Banho de assento com permanganato de sódio (o roxinho) duas vezes por dia, por 10 minutos por 1 semana é o suficiente. Se quiser mais rápido, usa flogorosa (é 30 reais) e faz banho de assento por 4 dias, no máximo. no primeiro dia tu já não sente mais nada de coceira. Utilizar um bastão de iogurte grego congelado também ajuda a aliviar (mas tem que por dentro do canal vaginal).

* Infecção urinária: consumir cranberry. Tomar um copo de 200ml do suco de cranberry antes de dormir, ou tomar duas capsulas de concentrado. Pra mim foi a solução, com antibiotico não estava rolando. Eu descobri isso porque na Itália uma amiga minha disse que as mulheres lá, quando têm infecção, tomam isso.

* em qualquer dos casos: tomar chá de camomila. O chá de camomila, além de calmante, ele ajuda a fortalecer o sistema imunologico.

Pode parecer bobagem, ou crendice, eu também achava, até eu mesma adquirir esses hábitos. Quanto menos a gente precisar de antibioticos e pagar pra industria farmaceutica absurdos, melhor.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Minhas experiências com ginecologistas nunca foram boas.
A primeira que eu fui se sentiu no direito de se intrometer na minha vida e me dar conselhos pessoais no lugar de só pensar na minha saúde. Quando respondi sobre minhas relações sexuais ela começou a me aconselhar a não fazer sexo antes de estar comprometida, como se fosse uma amiguinha ou minha mãe...

Maria Valéria disse...

Anônimo das 22:33

O chá de camomila tambem pode ser usado para banho de assento, para alguns tipos de vulvovaginite, mais especificamente a vaginose citolitica,que e muito confundida com candidiase.( 3 saquinhos de chá pra 500 ml de água morna , mais ou menos )
Mas caso, somente indo ao GO para fazer o diagnostico correto ! Nao lembro se o chá de camomila tambem pode ser usado pra candidiase em banho de assento, como na vaginose citolitica.
Mas que tomar o chá ajuda em qualquer um dos dois diagnósticos isso e verdade !

Maria Valéria disse...

Aproveitando a dica da anônima das 22:33 para fugir de antibióticos e de remédios de farmácia,
Fugindo um pouco do assunto de GO, mas ainda sobre saúde.
Quando tiver dor de garganta, tosse,rouquidão, antes de tomar qualquer coisa, faça e tome chá de gengibre.
Ferver gengibre na água, pra dar um gostinho ponha cravos, canela em pau. Eu faço so com isso. Mas tem gente que põe açúcar queimado, mel ou limão, ou tudo isso junto, pra ficar mais gostoso.
Nao resolveu em todas as vezes que tive dor de garganta,em algumas vezes ( principalmente esse ano, com essa seca recente e umidade do ar 18% ) tive que apelar mesmo pro antiinflamatório , antibiótico,, etc. Mas varias vezes que estava começando a raspar minha garganta e tomei o chá no dia seguinte nao tinha mais nada,
O gengibre e um excelente anti inflamatório, muito melhor que ficar se detonando com diclofenaco e prednisonas da vida. Claro que as vezes esses são necessários, mas se puder evitar, melhor.
Outra dica pra dor de garganta, tosse, rouquidão : essa e receita velha da minha mãe e dos avós dela.
Queimar açúcar numa panela , com um pouco de canela( pode ser em pau ou em po. ) e por cima jogar leite e deixar ferver um pouco.
Beber o leite queimado com a canela e açúcar imediatamente antes de deitar, depois que beber o leite nao ingerir mais água ou qualquer líquido frio, e nao por os pés no chão ( usar pantufas, crocs, mas nao pisar direto no chão pra nao dar choque térmico. )
No dia seguinte, sua garganta vai estar uma beleza em relação ao dia anterior.

Anônimo disse...

Ixi, Maria Valéria, suas dicas são feitas lá em casa desde que sou criancinha.
Aprimorei o chá de gengibre com cravo e canela misturando com chá de alho com limão. O trem fica ruim, mas é praticamente pá pum pra resfriado. Apelidei a receita de chá do mal. Rsrs

Maria Valéria disse...

Pois e, anônimo , são receitas do tempo da vovozinha,mas que funcionam !!!
-:)

Alias, o pneumologista da minha mãe sempre diz a ela que as melhores receitas são as da vovozinha !! Kkkk

MonaLisa disse...

Virou moda agora qualquer tipo de médico dizer que tu é uma balofa que tem que emagrecer. A indústria fitness e as lojas de suplementos deve estar patrocinando-os. rsrsrs

Me lembro até hoje de um velhote que me atendeu no SUS, no momento em que eu entrei (seria apenas pra pedir um atestado pra participar de um TAF) na sala e fechei a porta, ele me olhou e disse: - Você está gorda! Precisa emagrecer! - Sem nem perguntar o que eu queria.

Não acho que o problema seja estar acima do peso e sim a "necessidade" de desmoralizar o paciente. Recentemente fui conferir minha tireóide e a médica também gorda, muito simpática me disse que ela está regulada e que eu preciso fazer dieta. Mas me falou numa boa, sem criticar, sem apontar.

Sobre gineco: a primeira vez aos 16 com um velhote, ele me perguntou a minha mãe se eu poderia fazer o papanicolau, eu disse que não era virgem, ele nem me examinou, me receitou logo AC, eu disse que não era necessário pq eu usava camisinha, mas ele disse que era pra eu não engravidar. Claro que eu não tomei merda nenhuma.

Na segunda gineco foi tudo de bom, mas não pude mais consultar com ela.

A terceira foi uma cretina, me atendeu na maior simpatia pelo convenio e quando fui consultar no SUS pq tinha perdido o convênio foi com a maior grosseria, não queria receitar outro AC, conversando com outras pacientes, todas tem queixas parecidas.

Em relação a abusos, pelo menos na cidade onde moro, os exames sempre tem uma outra pessoa na sala e camisola na sala, inclusive no SUS.

Anônimo disse...

Sobre candidíase...

Eu cheguei num ponto que NADA mais funcionava... nem antifúngico (oral, pomada ou os dois combinados), receita da vovó, banho de acento, chás, mandinga, macumba, promessa. Comecei a desinfetar as minhas roupas intimas e não intimas, as gavetas onde eu guardava as minhas calcinhas, a maquina de lavar roupa, o sanitário antes e depois de usar. Ah... sexo sempre foi (e será sempre) com camisinha.
NADA resolveu.

Eu não sei se existe no Brasil, mas eu tomei uma vacina chamada Gynatrem (se existe aí, talvez tenha outro nome) e NUNCA mais tive problema. Tomo reforço a cada 1 ano e meio.

Se alguém como eu, já chegou ao ponto que nem reza braba funciona, vale a pena pesquisar...

Jane Doe

Thata disse...

Há muitos anos...
Um bom gineco me passou duas receitas caseiras para candidíase, para usar alternadamente - em caso de recorrência
(busquei aqui a referência, percebi que não está escrito o período, devo ter decorado na época - se Maria Valéria puder socorrer... Acredito que seja por 1 semana):
Banho de assento:
- 2 litros de água morna;
- por 20 minutos.
Diferença das receitas (tanto faz usar uma ou outra primeiro):
(1) acrescentar 2 colheres de sopa de vinagre branco;
(2) acrescentar 2 colheres de café de bicarbonato de sódio.

*************
Enojada com as violações descritas.

Após ler o comentário da Lia38, só pude concluir que é preciso ainda maior força social, em relação ao que eu imaginava, para enfrentar o corporativismo da classe médica - fator que permite tal nível de "normalidade" de abusos médicos.


Quando eu estava +/- na metade do curso superior, um gineco com quem eu passava - e que respondia bem a todas as minhas perguntas - SEM EU TOCAR NO ASSUNTO, me falou, com uma ênfase estranha, que estava tudo bem E QUE EU PODIA ENGRAVIDAR (!!) - ele sabia que eu namorava (um homem), só isso.
Na hora achei tão sem noção, não dei importância, nem respondi, e ele não falou mais nada. Óbvio, no mínimo, que eu não desejava "ENGRAVIDAR" antes de terminar a graduação.
Nem lembro se me consultei novamente com ele.

Passei por um tratamento abusivo por parte de um jovem "médico" uma vez que fiz transvaginal (solicitado no PS por uma médica que me atendeu super bem). Ainda bem que não era nada grave (normal), pois ele era um cavalo. Eu ficava perguntando e observando tudo- claro, porque eu estava em condições para tanto - (tentando assim evitar maior abuso - qq evidência "mais clara", o denunciaria), aguentando a dor (não significativa), enquanto também o analisava: pelo caráter equino de seus gestos e pelo desdém do porte todo, devia ser um desses babacas anti-vida das mulheres imaginando que atendia uma mulher após suposto aborto.


L. provavelmente seria violentada ("mais" violentada) se não se levantasse (e o "médico" criminoso ASSUSTOU-SE - friamente -porque você reagiu, ou seja, ele esperava que, naquele estado, você ficasse inerte, e olha que você tinha uma acompanhante dentro da sala... cara bastante seguro da própria ação criminosa). Alguém duvida que ele tenha agido da mesma maneira, e prosseguido em sua intenção, com mulheres que não estavam em condição nem de se levantar e nem tinham acompanhante?


Thata

Anônimo disse...

Sinceramente, esse cretino desse métrico além de cometer uma violência psicológico e ginecológica ele ainda tentou forçar você a colocar um DIU (uma grainha extra pra ele). Já ouvi muitas mulheres falarem que os médicos vivem insistindo para colocar o DIU, mas até onde eu saiba para coloca-lo é uma despesa a mais, fora quando pedem anestesia.
Então acho que é o mesmo caso dos médicos que te entopem de remédios desnecessários só pra ganhar participação da farmácia ou da empresa de medicamentos.
É como uma menina disse aí nos comentários, se o médico fez algo que você não gostou, fale! É seu corpo, suas regras. Não tenha vergonha de botar a boca no trombone, e se puder espalhe para o máximo de pessoas que conhece, já chega de ficar a mercê desses canalhas!

Safira Bazar disse...

Sobre a dúvida do DIU vou dar o meu depoimento: coloquei o Mirena há uns 3 meses, o gineco geralmente pede para vc ir durante a menstruação para colocar pq o colo do útero está um pouco aberto.Olha,eu senti uma dor bem considerável, isso pq eu já tive filho e meu GO tem uma mão levíssima...depois ainda fiquei com cólica por umas 2 semanas e com escape menstrual(sangramento contínuo leve) até agora, no momento intermitente; o GO me disse que o ciclo volta a regular depois de uns 4 meses e a grande maioria das mulheres para de menstruar.
Optei por esse método pois não posso menstruar(tenho endometriose)e não desejo mais engravidar.Não me arrependo, mesmo sofrendo para colocar:depois que parei com pílula não fico mais inchada, emagreci e até os vasinhos das pernas diminuíram.Fiz depois um ultrassom para saber se o DIU estava bem posicionado e só vou ter que retirá-lo em 5 anos.
Sobre violência em consultório ginecológico infelizmente ouço muitos relatos como o do guest post; eu mesma passei por uma gineco mulher qdo estava tentando engravidar;na hora do exame ela olhou com uma carinha de nojo para o meu corpo , prescreveu acido fólico e me disse que eu não precisava fazer nenhum tipo de exame antes de engravidar...tipo assim , e se eu tivesse sífilis, AIDS ou qquer outra doença que pudesse contagiar o meu bebê? Que se dane, né?Ela não pode passar da cota de exames laboratoriais que o convênio exige, né?
Sorte que eu achei um excelente GO, não se conformem em ser maltratadas não, gente!

Maria Valéria disse...

Vou relatar um atendimento com dentista em que me senti desrespeitada.
Foi ha muitos anos, em outra cidade.
Demorei a entender que isso foi uma violência psicológica, como morava sozinha naquela cidade e nao tinha outra referência, sabia que precisava do tratamento, acabei me tratando com ela.
Mas me arrependo amargamente de nao ter ido consultar uma segunda opinião, na época,
Foi assim :
Ela olhou a minha radiografia ( panorâmica ) , me explicou que eu tinha desgaste importante de todos os dentes, principalmente os da frente, problema na gengiva, e que se eu nao me cuidasse, perigava perder os dentes. Ate ai, ok, nao sou dentista mas nao sou completamente leiga, pois sou medica, olhei a chapa e entendi o que ela explicou.
Por conta disso, ela me disse que o aparelho seria usado pelo menor tempo possível , para nao desgastar mais, e bem devagar ( 2 anos mais ou menos ), e que de tempos em tempos ela pediria panorâmicas para conferir se estava indo tudo bem,
Ate ai, ok.
Dai na hora de acertar os honorários :
- "vou te pedir 1.800 de honorários, fora a manutenção. Porque você sabe, os 1.800 são o meu mestrado, o meu doutorado, etcetc que vd tem que dar valor.pra manutenção, em cobro um salário minimo por mês, mas como vc viu que nao vou poder fazer muita coisa com a sua boca , vou te dar um desconto e vc paga 80% de um salário minimo,
Pq vc sabe, ja brincaram muito com a sua boca no passado, e eu nao vou fazer o mesmo com você "
.... Fiquei meio assim, mas resolvi me tratar com ela.dois anos se passaram,e nada das benditas panorâmicas que ela disse que ia pedir de tempos em tempos.percebi que ela tava me enrolando e mudei de dentista, achei uma ótima profissional que entendeu que nao quero ficar perfeita, que nao quero fazer cirurgia, que aquele aparelho tava me enchendo o saco e me deixou com o sorriso o melhor que podia dentro do que eu estava disposta a fazer,
Somente depois de anos foi cair a ficha do quanto aquela dentista foi pedante ...quer 1800 de honorários, beleza, mas nao precisa jogar na minha cara que ela tem mestrado, doutorado, o escambau.
Nao precisava ter me humilhado e dito que nao tinha muito o que fazer na minha boca , muito menos ficar dizendo que brincaram com minha boca no passado.
Se brincaram, nao sou culpada ( como ela me fez sentir ) , nao sou dentista, nao entendo nada de Ortodontia,...mas consegui entender muito bem que ela tava me enrolando , pra quem " nao tinha muito o que fazer com a minha boca " ...triste !!!
Com médicos eu nao sofro muito ( ja tive sim, experiências ruins , mas e raro...quando um medico atende outro medico, dificilmente e grosso, estúpido. Etc ...ja tive atendimento ruim, mas nao desrespeitoso.)
Mas entendo perfeitamente quem diz que tem medo de passar e nao saber o que ta acontecendo. Se o profissional ta te fazendo de boba, se aquilo e humilhação ou nao, eu entendo de medicina, mas nao de odontologia, e por isso sofri muito mais com dentistas .

Lidiany CS disse...

Eu não gosto de ser atendida por médicos. Até hoje acho que só fui a dois médicOS atenciosos, os demais sempre foram arrogantes, impacientes e não prestavam atenção no que eu estava falando. Nunca em hipótese alguma vou em ginecologista homem. Passo meses esperando, mas só marco com mulher. Se dependesse de mim, eles passariam fome.

N disse...

Tenho problema com exames ginecológicos, fico nervosa e trava tudo. Já passei por ginecos que foram legais e respeitaram isso, foram pacientes, mas a ultima que fui foi cavala, ficava dizendo "Anda, relaxa, senão não consigo fazer nada!"...

Lidiany CS disse...

Lendo os comentários me lembrei de uma vez em que fui a uma GO muito ignorante (quem tem plano de saúde sabe que as opções são poucas, demora muito pra marcar e as consultas particulares custam um rim...). Daí quando comentei com ela que estava sentindo cólicas e tal ela veio com a pérola: vc deveria engravidar, pq não engravida logo? Detalhe, eu com 24 anos e não tenho pretensão nenhuma de ter filhos. Pouco tempo depois soube que ela disse o mesmo a uma amiga minha. Nunca mais voltei lá...

Ana Paula S.P disse...

Meu primeiro ginecoligista foi homem tava com medo pq minha mãe iria escutar td e tinha acabado de ter minha primeira relação não tava afim de dividir com ninguém. Mas ele foi maravilhoso, leu meus pensamentos e pediu pra minha mãe sair fez uma lista de perguntas bem voltadas a area médica. Acho que justamente por isso escolho homens como médico, mas meu pré natal foi todo com uma médica maravilhosa, depois voltei a fazer outro convenio e um médico maravilhoso, a esposa dele é pediatra e muito competente também , aqui na cidade que moro quem foi nele sempre gosta mas a consulta e demorada ele ouve tudo que falamos e depois da a opnião médica dele. A consulta dura em média 30 minutos e as pessoas já se acostumaram com médicos que nem olham pra cara delas. Eu queria usar DIU e ele me orientou a continuar com as pilulas pq pra mim funciona bem eu queria apenas mudar. Ainda bem que conheci vários bons profissionais. Já tive experiência ruim com médicas mulheres elas são criticas quanto a aparência e fazem desdem.

Anônimo disse...

Quando eu tinha 18 anos, passei com a ginecologista
Heloisa Helena Paes Souza (CRM 60996). Eu havia começado a fazer sexo aos 17, mas não havia conseguido fazer uma consulta antes porque minha mãe não sabia que eu tinha começado a transar.

Só posso dizer que a consulta foi um verdadeiro pesadelo. Logo de cara ela me perguntou quantos parceiros eu havia tido. Quando eu respondi, (eram 8) ela começou a me agredir verbalmente. Disse que minha "falta de pudor" era um absurdo, que eu havia me arriscado e coisas assim. Eu disse que havia usado preservativo sempre, mas ela disse que se a camisinha tivesse rompido eu poderia ter engravidado. Tudo isso para me prescrever a pílula que patrocinava a caneta com a qual ela escreveu minha receita. Chamava Ovoresta e foi descontinuada. Tomei por uns 3 ciclos, mas parei porque me dava náusea.

E quando ela me entregou um folheto com informação sobre pílula do dia seguinte, eu dobrei o papel e guardei na bolsa. Ela disse: "Esse papel que você está guardando aí é pra ler". Desse jeito. Teve coragem de me perguntar se eu estudava e em que série eu estava, (eu já havia concluído o ensino médio)o tempo inteiro insinuando que eu era ignorante.

O exame todo foi horrível. Ela introduziu o espéculo bruscamente, tocou minha vagina com força e amassou minhas mamas como uma padeira. Senti muita dor, muito desconforto, e ela não deu a mínima.

Sei que fui vítima dela pela falta de experiência. Mas me arrependo de não tê-la denunciado para o CFM na época. Hoje em dia sou mega defensiva com ginecologistas. E se eu acho que não está indo bem a conversa, não faço o exame. Vou embora mesmo.

Anônimo disse...

Aninha, já faz um bom tempo que uso DIU de cobre (já coloquei dois). Acho um ótimo método anticoncepcional, uma vez que tenho problemas com pílulas. Só que dói pra caramba na hora de colocar (nunca tive filhos). Dá uma cólica muito, muito aguda na hora. Mesmo assim, ainda acho que compensa.

Anônimo disse...

Resolvi alguns problemas ginecológicos quando parei de usar absorvente de algodão. Agora só uso o coletor de silicone.

Anônimo disse...

Sobre o coletor de silicone que comentaram: idem!!! melhor aquisição que já fiz! Uso há uns três anos.

Camila Gomes Victorino disse...

Nunca comentei por aqui, mas gostaria de saber das meninas se vocês conhecem os grupos de Tenda Vermelha. Estes grupos são formados por mulheres que buscam o empoderamento feminino e a elevação do conhecimento sexual das mesmas. Os grupos são muito úteis, até para ajudar a buscar profissionais mais respeitosos ou que entendam mais de humanidade. Bem, fica a dica. Outra questão: muitos problemas ginecológicos são causados pela dieta atual. Vale a pena dar uma olhada em artigos científicos sobre alimentação vegetariana ou vegana ou sobre as controvérsias de tratamentos ginecológicos atuais. Para os artigos, vocês podem colocar palavras-chave no google acadêmico e sugiro uma revista inglesa, a "The Ecologist". Exist eum artigo muito interessante sobre pílula nesta revista e os problemas ambientais que ela gera. Outra fonte de conhecimento seria a vida sexual e ginecológica de mulheres indígenas. Finalmente, vi que alguém apresentou um caso de candida recorrente. Eu tive este problema e me curei. Faz dois anos e meio que não tenho e antes ela voltava a cada 3 meses. Eu fui em mais de 3 médicos e o tratamento recomendado era sempre o fungicida. Cansada, eu recorri a tratamentos homeopáticos, que não funcionaram e por fim, fui para a internet. Li muito a respeito e descobri que a dieta cheia de carboidratos e toxinas causava o problema. Eu mudei a diera e nunca mais tive. Espero que isso possa dar forças para vocês! Espero ter ajudado!

Maria Valéria disse...

Pra quem perguntou, se o banho de assento pra candidiase e com bicarbonato ou com vinagre,

Eu ja vi ginecologistas usarem as duas receitas,

Pessoalmente, acredito que o bicarbonato seja melhor !

Um abraço

Lia disse...

Jesus que mimimi.
O medico falou que pílula faz mal. Infelizmente é verdade. Todos os anticonceptivos hormonais fazem mal. O fato que ele pergunte se seu namorado seja estéril ou tenha confeito vasectomia é por ordem pratica. Se ele nao pode ter filhos, vc nao precisa tomar a pílula que sim, faz mal.
O pus provocado pela pílula, tb é verdade, mas sem dramas, por favor! Vc deve parar por um tempo e tomar um medicamento, uma pomada receitada pelo medico, nao vai ficar estéril, xuxu,
E finalmente se nao tinha camisola, nao precisava ter saído, falasse e-ou se recusasse a fazer o exame. Tampouco precisava ficar totalmente pelada.
Nao sei, isso aí ta me parcendo que vc exagerou na sua reação,
Abraços.

Anônimo disse...

Anônimo 14:17
Também nao tenho filhos e por isso mesmo nunca me deixaram por DIU, dizendo que isso so mulheres com filho podem por?! Tenho 35 anos e nao tenho nem pretendo ter filhos.

Quando a medicos abusadores, nao acho que so ginecologistas o sejam, em todas as especialidades tem. Dentistas que fazem terrorismo se vc nao por aparelho, oftomalofistas que dizem que vc vai ficar cega se nao fizer operação, cardiologistas que são estrelas e te tratam como um carro velho,,.... E tem claro os que na mesma especliaidadem sao humanos,

Na Europa se usa menos anticonceptivos que aqui, acho, morei lá por mais de 15 anos e poiucas amiga minha usava, consideram que faz mal e pode provocar câncer, aqi no Brasil desde que a menina é adolescente, já usam. Dizem que faz bem pra pele.......

Geisa disse...

Eu também tive muita candidiase e nunca precisei tomar antibióticos. A mudanca na minha alimentação é que fez melhorar. Nada de lacticínios, doces e batata quando estiver na crise. Busque Sônia Hirsh na Internet. Ela tem muita dicas. Tomar probioticos também é excelente.

Anônimo disse...

Oi Maria Valéria!
Obrigada por responder e opinar.
E... feliz aniversário *-* !!!
Fiquei em dúvida sobre o período, pq não está anotado na receita: se o recomendado é fazer o banho de assento por 7dias(1x p/dia) - acho que sim, mas sem certeza...

Ah, obrigada também pelas outras receitas caseiras, nos últimos anos meu corpo "trocou" a sinusite pela faringite (outra dúvida: pode escovar os dentes com água fria depois do leite queimado? Açúcar me sensibiliza os dentes).

Fiquei pensando sobre o seu relato - específico na forma, mas mesma lógica de controle milimétrico do corpo e da "aparência" das mulheres. Comparei com algumas situações de abuso [sim, a-b-u-s-o] por parte de dentistas (ex.: fugi de uma dentista açougueira que quis fazer operação de retirada dos sisos SEM preparação nenhuma; um amigo quando fez essa operação, acabou a anestesia no meio do procedimento, ele tinha '''raiz cruzada''' - deve ser outra denominação - constatada só na hora da operação, não nas radiografias, o que me soa um tanto estranho). Mas seu relato traz algo bem diferente, talvez a liberdade de cagação de regra na aparência alheia (por vezes tratada como "saúde") influenciada pelas repetitivas propagandas de difficult implant da vida.
Ainda assim, o diferencial, o "inaceitável" aos olhos alheios, é explicado pelo... gênero. Conselhos "bem intencionados", ainda mais de profissionais da área, fora do consultório (que privilégio seu, aos olhos deles - SQN).
Sujeito fica inconformado que a mulher ESCOLHA não "aproveitar" tooooodas essas "oportunidades" [vômitos] cada vez mais disponíveis pra ela moldar uma aparência "agradável" aos olhos colados nas telas (=recorte da integralidade humana) - e não na realidade, onde existem PESSOAS inteiras. Não, a recorrência viciada de tais desrespeito e impertinência, não ocorre com homens.

Abraços!

Thata

Amy disse...

nossa que horror, eu tb moro fora, moro nos eua desde cedo (nasci no brasil e vim morar aqui com minha familia, com 4 anos) amo morar aqui mas digo que a saúde tb é osso, qualquer médico ou não faz p* nenhuma por vc, ou faz AQUELE DRAMAAAAA e passa milhoes de remédios caros e desnecessários kkkkkkkk.... passam medicacoes fortes sem nem saber seu historico direito, é fogo viu, ah e médico gratuito aqui praticamente não existe, (até existe mas é dificil conseguir, tem que preencher um monte de requisitos portanto a grande maioria paga seguro saúde, as consultas e exames são caros) nunca ninguem me tratou mal assim, e se falar de sexo com a paciente deste jeito dá o maior rebu, pois a moca pode alegar assedio e aqui esse tipo de denuncia é seríssimo, mas a maioria te examina com descaso isso se vê na cara deles! nunca fiquei firme com médico nenhum, passo com qualquer um que esteja atendendo no meu seguro... bjos

Maria Valéria disse...

Thata

Nao existe que eu me lembre uma receita " certa " do número de vezes e duração do tratamento com banho de assento!
Mas, eu costumo recomendar , 2 X / dia por cinco a sete dias.
Se em sete dias não melhorar, nao vai adiantar ficar fazendo coisa em casa sozinha, e melhor ir ver o GO pra ser examinada e ver o que tem lá dentro,:)

Sinceramente ? Eu nao escovo os dentes depois de tomar o leite queimado , nao,.sei que e feio nao escovar os dentes, mas eu nao ponho NADA frio na boca depois de ter tomado.escovo bem antes, tomo o leite e byebye,
A nao ser que tenha água morna pra usar na escovacao,dai sim.
Porque nao vai ser todo dia que vc vai precisar fazer isso, vai ser uma vez ou outra , duas vezes por ano ??
Nao vai me matar.l.rsrsrs !!!

*** lembrando o que poucos lembram de recomendar, enquanto faz banho de assento,ou toma remédio pra candidiase, abstinência sexual por sete dias.
Parece óbvio, mas tem gente que ta com uma coceira bem leve, e acha que nao vai ter problema.
Dai....piora !!

Realmente , a pílula tem efeitos colaterais, DIU tem efeitos colaterais e o único método anticoncepcional que nao tem efeito colateral e a camisinha ( alergia ao látex rarissima!) ou os métodos naturais ou comportamentais.
Em que pese os efeitos colaterais, está no direito da mulher escolher o seu método, desde que nao haja contra indicação absoluta.
O GO nao pode forçar a mulher a escolher o método , nem mesmo alegando questões religiosas, filosóficas, etc.
Alias, acho valido avisar que pílula da efeitos colaterais, porém o problema e COMO isso foi falado,faz uma enorme diferença !
Beijos da mais nova quarentona :)) hehehe

Anônimo disse...

Nossa, Joice, conte-nos essa técnica, sinto muita dor também. Obrigada!

Joice Garcia disse...

Olá Anônimo disse...18 de agosto de 2014 15:31 eu expliquei num comentário acima. Abraços!

samaragemail morais disse...

O meu médico ginecologista é um amor, comecei a passar com ele quando fiquei gravida ele fez o exame de toque tudo certinho, mas o papanicolau é a primeira vez que irei fazer com ele, e na vida também 😂

Anônimo disse...

Para evitar muitos problemas com consultas aos ginecologistas bastava que as mulheres levassem acompanhantes (maridos, principalmente). Não entendo porque elas não gostam de levar. Qual o real motivo? Tem vergonha dos maridos e não tem dos médicos? Casem com eles então... Ou não reclamem depois. Outras mulheres contam que são abusadas há vários anos pelos seus médicos. Ora, estar sofrendo isso por anos e não fazer nada é porque está gostando e não é sofrimento mesmo. Se não gosta, já não volta a segunda vez. O resto é conversa fiada.

Vanessa disse...

Nunca fui tão humilhada na minha vida!!!
Hoje consultei com uma "ginecologista" e foi indicação. Até mesmo procurei na internet e vi dois comentários ótimos sobre ela, fiquei tranquila. Mas ela não deixou eu falar o que eu tinha e me tratou de tal jeito... Eu tenho 28 anos e há oito anos não tomo pílula anticoncepcional.
Cheguei e nos cumprimentamos:
ELA: O que te trás aqui?
EU: Não to conseguindo engravidar doutora.
ELA: Como assim "não tá"? Por acaso tu já fez tratamento???
EU: Não, nunca fiz.
ELA: Então porque tu diz que não consegue se tu nunca fez um tratamento???
EU: Porque eu não tomo anticoncepcional há mais de oito anos e estou com outros problemas...
ELA: Tá. Mas e o teu marido? Tem filho?
EU: Não.
ELA: Então minha querida, o problema pode ser com ele! O que tu quer que eu faça???
EU: Eu gostaria de fazer alguns exames porque minha menstruação é toda desregulada...
ELA:Tá, mas não adianta nada tu querer fazer exame se o problema não tá contigo... E outra coisa, tu tem que começar a fazer um regime porque nenhum obstetra vai querer te tratar tu "tando" obesa!!!
(Sei que não estou magra, pois tenho 1,69 e estou com 90kg. Mas eu fui fazer a consulta porque chego a menstruar somente 3 x ao ano, não consigo engravidar e estou engordando quase 2kg por semana, seguindo a mesma dieta de sempre. Além de outros sintomas estranhos que venho sentindo.) Ela não quis saber nada disso. No final ela disse que o que eu tenho que fazer é "fechar a boca" e me deu um cartão da amiga dela que é nutricionista. Perguntou também se o meu marido trabalhava, eu disse que sim, perguntou de quê e onde. Eu respondi. Ela disse que eu não podia dar mais despesa pra ele "comendo tudo"...
GENTE, vocês não tem noção do quanto eu chorei depois disso tudo, eu nunca me senti tão humilhada... Não sei o que faço agora... Eu to muito mal,conversei com minha mãe e minha irmã e elas disseram pra eu não desistir e minha mãe disse que vai entrar comigo na hora da consulta. Lá eu não ponho mais meus pés... Meu marido ainda nem chegou em casa e eu to arrasada...
Ahhhh, essa "ginecologista" foi particular, o que erroneamente me deu a sensação de poder falar e perguntar sobre os sintomas.

Joice Garcia disse...

Caramba Vanessa, eu estou aqui assustada com seu relato. É um absurdo como esses médicos tratam a gente. Mas não fique preocupada não, você vai conseguir uma Boa ginecologista e logo engravidar. Boa sorte!

Eliane disse...

Olá Ana, tenho filhos e senti uma dor terrível. Parece que alguns médicos já usam anestesia.

Anônimo disse...

Tenho 31 anos. Quando fui ao ginecologista pelo SUS a 10 anos, o médico me atendeu, me perguntou tudo e fui marcar o exame ginecológico.
No dia seguinte, ao entrar na sala de coleta de exame, a enfermeira disse: vá no banheiro e tire a calcinha. Fiz o procedimento, deitei na cama e ela disse: relaxa senão eu vou te machucar. Como relaxar com uma pessoa bruta e sendo o primeiro exame ginecológico? Só sei que doeu tanto que eu quase grito de dor, mas aguentei. Passei algumas horas com a vagina dolorida. Foi o pior exame ginecológico que ja fiz. Não desejo uma coisa dessa a nenhuma mulher.
Acho que os(as) ginecologistas e as enfermeiras que fazem preventivo deveriam ser mais cuidadosos, afinal, eles vão colher algo do local mais íntimo de uma mulher.
E tem mais, cada mulher tem o seu ritmo.
Merecemos mais respeito, somos seres humanos.

Anônimo disse...

Sofri durante 4 meses de suposta candidiase, tomei fluconazol, 10 comprimidos, usei 4 cremes vaginais, itraconazol, mudança na alimentação iogurte e nada
Quero deixar aqui a dica de algo chamado de vaginose citolitica ou aumento dos bacilos de dordelein, que tem os mesmo sintomas da candidiase. Fiz duas bacteroscopias e sempre dava ausencia de fungos. Tive muitaa coceira.
Quem tem candidiase recorrente ou esta lutando contra uma mega candidiase levante a hipotese de ser aumento dos bacilos de dordelain ou vaginose citolitica com a sua ginecologista, pois poucos aqui no brasil fazem esse correto diagnostico.

Anônimo disse...

VAGINOSE CITOLÍTICA
Os sintomas são semelhantes aos da candidíase vaginal, sendo por esta
muitas vezes, confundida. Os sintomas seriam causados por substâncias irritativas
oriundas do citoplasma de células intermediárias lisadas pela atividade de bactérias.
Os critérios diagnósticos da vaginose citolítica são:
• Ausência de Trichomonas, Gardnerella, Cândida, Mobiluncus, etc.
• Número aumentado de lactobacilos
• Número reduzido de leucócitos
• Destruição de alto número de células intermediárias com seus núcleos desnudos
(citólise)
• pH vaginal entre 3,5 e 4,5
• Corrimento branco homogêneo, com prurido e ardência, podendo causar não raras
vezes disúria e dispareunia.

Cyntia Villa Nova disse...

olá! Vcs conhecem um exame chamado Colposcopia?
Hj o que falta na area medica são bons médicos. Indico um excelente, atencioso, competente ginecologista e faz esse exame.Me curou de uma infecção e quase precisei tirar o ovário e só tenho 29 anos. Vale a pena conferir. é só ir no link http://www.doctoralia.com.br/medico/penaterim+raymundo-13180525

Anônimo disse...

Olha, hoje eu fui fazer uma ultrassonografia transvaginal e a ginecologista sequer perguntou se eu tomava pílula ou teve a educação de me dar bom dia.Quando deitei ela enfiou o aparelho com tanta rapidez e força que doeu tanto que saiu lágrimas dos olhos.Maldita, até agora estou me sentindo um lixo, muito triste pois meu exame deu doença inflamatória pélvca e eu descobri isso quando cheguei em casa que fui pesquisar no google.Ela não abriu a boca pra me dizer que o que eu tinha precisava de tratamento o quanto antes.Me sinto invadida, corroída por dentro, a dor na alma é maior que a dor que eu senti na hora do exame.

Jhennyfer Coutinho disse...

eu tenho 17 anos e fui ao ginecologista aos 12 anos foi a experiencia muito aterrorizante porque tinha virado mocinha e morria d vergonha de falar sobre mestruação e coisas do tipo sempre tive medo d ir ao medico ainda mas me mostrar pra um desconhecido fui enganada pela minha mãe e fui a medica em si não teve culpa de nada na minha opnião mas a minha mãe sim pois desconfiava de mim a médica me perguntou se eu queria ser examinada olhei pra minha mãe ela fez aquela cara d brava educada me coagindo então fiz o exame na cadeira de ficar com as penas aberta foi muito constrangedor e colocou um cotonete em mim dps desse dia jurei n ir mais pq fiquei com muito medo depois de muito tempo já tinha uns 14 anos de idade fui com minha avó fui mais tranquilo quando tinha 16 anos fui com minha mãe e me senti muito coagida porque eu estava tentando me manter calma pra não chorar de panico ela me perguntava e eu demorava a responder minha mãe me deu mo bronca porque era como eu n tivesse falando o que ela queria ouvir me ajudem ela quer me levar de novo e to com muito medo pois n me sinto nem um pouco confortavel