terça-feira, 17 de junho de 2014

GUEST POST: O FEMINISMO RECONSTRUIU MINHA AUTOESTIMA

Relato da R.:

Oi Lola, tudo bom? Meu nome é R., tenho 19 anos, e estou aqui, primeiramente, para te agradecer, e para isso contarei um pouco da minha história.
Conheci o feminismo pelo seu blog. Após um dos atos do Femen fui procurar mais sobre o grupo, sobre feminismo, e seu blog foi um dos primeiros que encontrei, e gostei logo de cara. Daquele dia em diante muita coisa mudou para mim, o suficiente para poder ter certeza do que quero e gritar para o mundo: EU SOU FEMINISTA !
Desde meus 12 anos, quando dei meu primeiro beijo, sempre tive uma coisa em mente: se eu quiser ficar com alguém, vou ficar e ponto, e isso não fará de mim uma puta. Eu queria, fazia. Até que aos 15 anos comecei a namorar um rapaz da minha sala no ensino médio. G. tinha ficado com somente duas pessoas antes de mim e considerava abominável o fato de eu aos 15 anos ter ficado com cerca de 15 meninos (nossa, mas que horror, pobrezinha, tão vadia!). 
Logo do início do namoro ele quis que eu me afastasse de todos meus amigos homens. Aos poucos, me afastei "por amor" a ele. Perdi amigos importantes sendo que se eu pedisse o mesmo -- com relação a uma garota que ele havia ficado antes de mim e era sua amiga -- ele dizia que eu era louca, neurótica, e que não tinha motivo nenhum para se afastar dela. 
Ótimo. Seis meses de namoro -- logo depois que perdi minha virgindade, com ele -- ele terminou comigo para ficar com a tal amiga. Depois, disse que não era o que queria, e voltamos. Brigas homéricas. Eu mal podia olhar para algum amigo meu que ele ficava bravo comigo, mas eu permitia isso. Meus pais me diziam que eu havia mudado, que estava triste e fechada, mas eu não via, estava completamente cega por aquele tal "amor". 
Autoestima? Eu claramente não sabia mais o que era isso. 
Tempos se passaram e aos poucos fomos amadurecendo mas sempre nós dois em nosso casulo. Cheguei a um ponto de só ter UM amigo -- gay, por isso aceito por G. Com o passar do tempo as coisas melhoraram; não existia mais ciúmes, mas hoje eu entendo porquê: porque não existia mais nenhum amigo. 
Vivi para G., respirei pra ele, me doei pra ele. Me perdi. Me achava horrorosa. Ele olhava mulheres na rua comigo ao lado e me comparava. Dizia que minhas roupas eram estranhas. Cheguei ao ponto de querer emagrecer para agradá-lo e isso me fez muito mal. Tentei ficar várias vezes sem comer, tentava forçar vômito e não conseguia. Inúmeras vezes eu chorava, em frente ao espelho, falando com minha mãe: "Olha isso, eu estou horrível! Eu SOU horrível! RIDÍCULA!". Mas ridícula mesmo era aquela situação.
Muitas vezes me sentia fraca, me sentia rebaixada. Até mesmo com relação a sexo: eu fazia determinadas coisas "para ele" e ele mal se mexia, como se eu devesse aquilo pra ele. Eu queria sexo, não queria masturbar meu namorado. Eu queria amor, não queria ter que correr atrás da pessoa que eu amava. Eu queria sair, ele não queria. Eu queria muitas coisas, ele não queria nada. 
Eis que mais recentemente, como disse, conheci o feminismo. Mulheres que se amam, que não se deixam controlar. Aquilo tudo me pareceu lindo, mas inalcançável. Li diversos blogs, diversos modos de pensar e comecei a me identificar muito. Falava para ele "Nossa, feminismo é muito legal!", e ele dizia "Aff, feminismo é ridículo". Ele, que para mim sempre foi um exemplo de -- pode rir -- pessoa de mente aberta. Comecei a ficar com raiva. Eu dizia: "Acho que estou com um pezinho no feminismo", e ele: "Pois tire, já". 
O tempo passou, e eu fui cansando de viver de migalhas e sem autoestima. Cheguei a procurar um psiquiatra, comecei a tomar antidepressivos que me ajudaram muito. Antidepressivos, terapia E feminismo -- foram os três que me ajudaram a sair desse relacionamento obsessivo, que me sugava.
Sabe, eu sempre admirei mulheres de cabelo curto, acho que todas ficam muito mais bonitas e detesto ter cabelão. G. amava mulher de cabelo grande. Eu sou baixinha e peso 50 kg... G. sempre gostou de corpos de modelos, altas e magras. Por que raios ele estava comigo? Sempre me perguntei isso. 
Eis que um dia, depois de muito feminismo e análise, resolvi cortar meu cabelo. Disse a ele o que faria, e ele: "Vai ficar horrível, seu rosto é muito redondo, credo, não faz isso". Sendo que inúmeras vezes já havia falado de cortar o cabelo e ele dizia "Vai ficar feio, não deixo". 
Cortei o cabelo. Eu mesma, em casa. Nunca, em toda minha vida, tinha me sentido tão livre. Enquanto G. achava horrível, eu -- que tentava recuperar minhas amizades perdidas -- reconstruía minha autoestima apoiada nos amigos, que me diziam que eu estava linda. E realmente, eu nunca estive tão bonita. Aquele simples ato de cortar meu cabelo me mudou completamente. A partir daquele momento eu me tornei mais segura, eu consegui me livrar do julgamento do G.
Depois de muito mais feminismo, percebi que não usava maquiagem porque gostava e sim por imposição. Parei de usar maquiagem. G. mal se importava mais, praticamente nem olhava pra mim e se olhasse era pra falar das minhas roupas, que claro, não o agradavam.
Mas, peraí, R... Agradar POR QUÊ? 
E essa pergunta foi ficando na minha cabeça por um bom tempo. Comecei a notar que aquele não era um relacionamento saudável. 
Passei a ME agradar. Arrumava meu cabelo para mim, não me maquiava PARA MIM, parei até mesmo de usar sutiã -- ô coisinha desconfortável -- e tudo isso, por mim. Me aproximei de antigos amigos, ele já não se metia mais pois queria ficar em paz para estudar, e não queria namorada grudenta no pé dele.
Me reconstruí. A cada dia que passava eu me olhava no espelho e gostava mais do que via. Me achava linda SOZINHA, sem precisar que ele me dissesse qualquer coisa. 
Até que certo dia ele falou "Finge que você não tem namorado!" -- aos gritos, claro -- e foi isso que eu fiz. Consegui afastar tanto aquela pessoa de mim que me aproximei da antiga R. Eu era EU novamente, sem precisar dele. Ele não mais fazia falta. Eu tinha amor próprio novamente. E foi aí que terminei um relacionamento de quatro anos, dois meses atrás.
Hoje em dia posso dizer com orgulho e com todas as letras: EU SOU LINDA! Foda-se o que os outros acham, não existo para agradar a ninguém, não sou enfeite. Saio de casa com minhas roupas ripongas, sem maquiagem, sem sutiã, de cabelo molhado e me acho LINDA. Recentemente tive que fazer uma cirurgia na barriga e estou com uma cicatriz bem grande, na vertical. Se eu ligo pra ela? Não. 
Eu me acho linda mesmo com minha cicatriz de um palmo porque é MINHA cicatriz! Eu consigo me achar bonita na hora que acordo!
Antes quando meus amigos diziam que eu era feminista, eu respondia: "Claro que não, eu só acho umas coisas legais." Hoje, se alguém me pergunta "R., você é feminista?", eu digo SIM EU SOU FEMINISTA!
O feminismo me fez ver que sou uma mulher forte, bonita, inteligente e, principalmente, independente. Meu sorriso não depende dos outros, meu espelho não são os olhos dos outros. E hoje, se alguém diz "Ai, não gostei do seu cabelo", eu digo "Ah sério? Fazer o quê, eu acho lindo".
Foi você, Lola, quem me abriu as portas para um mundo novo, foi graças ao seu blog que eu consegui mudar minha vida e sei que muitas outras mulheres por aí afora precisam de ajuda. Eu precisava de ajuda, mas não sabia. Obrigada a você e a todas as feministas que continuam na luta, dia após dia, sem enfraquecer, porque SIM precisamos lutar!

44 comentários:

Bárbara Perdigão disse...

Nossa R., eu amei ler seu post. Sério, estou muito feliz por você. É uma pena que você tenha sofrido com um relacionamento abusivo, mas felizmente você conseguiu dar a volta por cima. Espero que cada vez mais mulheres façam isso.

Eu também ~virei~ feminista depois que comecei a ler o blog da Lola, e o feminismo me ajudou demais nessa questão de aceitação e auto-estima. Nada melhor que gostar de si mesma. :)

Bizzys

normalidaderealidade disse...

Eu já fiquei com muitos caras que não estavam nem aí pro meu bem estar. Não sei se já contei essa história, já que passei tanto tempo comentando aqui como anônima, mas ok.

Tinha um cara que dizia "eu sou um homem! eu me relaciono com MULHERES, e eu quero que você seja uma mulher!" - mulher no sentido DELE, que significava basicamente cuidar da estética, nem que fosse a custa de muito sofrimento.

Uma vez eu comentei com ele que, por histórico de paciente com Transtorno Alimentar, e minhas disfunções psiquiátricas, eu não podia fazer dieta sem correr o risco de levar ao extremo, parar de comer, e ficar doente. Logo, eu não ia tentar mais emagrecer, só cuidar da minha saúde.
Ele só disse "é... mas você *ficaria* muito mais bonita magra" (detalhe: eu não sou gorda, nem gordinha, nem rechonchuda, eu só não tenho barriga reta nem perna fina)

Teve também a vez que eu raspei a cabeça e ele disse "você fez isso pra ME atingir! você fez isso pra me foder!"

Eu não tenho autoestima de jeito nenhum, mas tenho revolta e tenho orgulho. Eu tenho raiva.
Eu sou feia, eu sou burra, eu não sei me vestir, meu corpo é estranho. Eu não pareço mulher, eu não gosto de nada, e eu tenho problemas. Mas eu tenho raiva. Ah, se tenho. E enquanto essa raiva e esse orgulho existirem, eu vou defender meu direito de ser como sou.
Enquanto existir vontade de dar um chute entre as pernas do patriarcado, eu vou continuar existindo, doa a quem doer.

normalidaderealidade disse...

URGH eu preciso parar de desabafar aqui. Culpa sua, Lola, que fica aí fazendo coisas legais com as quais eu me identifico :(

Não vejo a hora de me liberar igual a R. You go, girl! Se precisar de ajuda pra chutar a cara do machismo estamos aqui :)

Marcia Baratto disse...

R., parabéns! Eu levei bem mais tempo para me afastar de um relacionamento abusivo. Mas como me fez bem ser livre de verdade.

E saiba que você, livre assim, é de uma beleza espetacular!

vivian disse...

R.!
Me emocionei muito lendo.
Só quem já passou por um relacionamento abusivo e conseguiu sair dele sabe o quão intenso isso é.
Tem um momento que deixamos de ser nós mesmas, olhamos pra trás e não nos reconhecemos mais...
É preciso muita força pra sair dessa situação e se recompor.
Muito orgulho de ti, R.
Muito mesmo.

Às demais, não desistam. A força que a gente precisa está sempre dentro de nós. Acreditem em si mesmas.

Beijo a todas.

Larissa Petra disse...

Nossa R. amei demais seu relato, a forma como vc salvou sua vida foi linda.
Também já tive meus momentos de baixa auto-estima (ainda tenho), mas no meu caso, foi quando comecei a ficar mocinha e me arrumar, maquiar, as pessoas me elogiavam tanto, que fiquei meio obcecada com a minha aparência, por mais vaidade que eu tivesse nunca me achava boa o bastante, ficava pensando que todas eram mais bonitas, foi quando eu notei que prestava mais atenção na beleza dos outros que na minha.
Hoje, ainda sou vaidosa, mas transformei isso em algo positivo, não destrutivo, hoje amo me arrumar e me sentir linda para mim, e não para ser A melhor, pq isso de mais bonita, menos bonita nem existe, hoje me divirto muito me arrumando toda, e me divirto também toda bagunçada, pq néan faz parte...HAUHAUAHAUAHAU
Beijos e boa sorte R ! <3

1 mascu disse...

Julinho e um garoto de pouca experiência sexual,que acredita na ideia que lhe venderam sobre o amor romântico. Julinho e o tipico namorado "para apresentar em casa" o que Julinho não sabe, e que para o conceito progresita, ele e a "imagem do opressor" branco, hétero classe média.
Aninha também e branca, hétero e classe média, e apesar de ter a mesma idade de Julinho, tem muito mais experiênca sexual que ele. Conseguir sexo nunca foi um problema para Aninha, moça bonita, bastava dizer quero, que sempre tinha a sua disposição que lhe satisfize-se.
Julinho e Aninha se conhecem na Facu, Julinho vé em Aninha seus ideias românticos materializados, Aninha vê em Julinho um bom namorado utilitário, meio de transporte,muleta emocional,causador de competição social com as rivais e tals.
Mas tem um problema que deixa Julinho muito incomodado, em cada situação de interação social ,em cada lugar que frequentam, tem dois ou três que já "conheceram Aninha melhor" Eles apontam, dão risinhos disfarçados.
Julinho no findo sabe que e um CSP,e que e dispensável, se reclamar de algo, Aninha vai rapidamente troca-lo por outro sem se importar muito com os sentimentos do opressor. Mas a doença do amor romântico lhe cega a razão, Julinho para Aninha e somente a vingança dela contra o cafa que ela sente saudades, e que para ele, ela era somente um numero na agenda telefônica.Ela vai descontar em Julinho toda esta frustração, ate o dia que o cafa estalar os dedinhos.
Ai Julinho via conhecer a real....

Mallagueta Pepper disse...

Mimimi de mascu:

"Ain, o feminismo estragou um relacionamento, tadinho do sujeito, ai que dó, meldels! Nossa, que mulher cruel! Não deixou ele mais mandar na vida dela, nem no corpo, em nada! Que horror! O feminismo está estragando os relacionamentos, agora os homens não podem mais mandar nas mulheres sossegados!

Não, isso é errado, mulher não pode pensar, não pode ter vontade própria. O homem é que deve ser o cabeça do casal e a mulher tem que ser submissa e fazer tudo o que o macho dominante mandar.

Onde já se viu mulher cuidar da aparência só pra ela mesma? E a opinião do homem? Ele não pode mandar no corpo dela? Não pode dizer o que ela vai vestir?

E que história é essa de ter amigos sem a aprovação dele? Que horror! É o Armagedom! O apocalipse! O fim do mundo! Furam para as montanhas que o universo está entrando em colapso!"

Ironias a parte, a R. fez muitíssimo bem por ter resgatado sua auto estima e chutado esse traste nojento.

Continue assim. Vc só deve satisfações e lealdade a si mesma. Quem gosta, beleza. Quem não gosta, que vá se ferrar lá nos quintos dos infernos.

Larissa Petra disse...

Mimimi mascu...hauahua

Aí masCÚZÃO, nós mulheres não só podemos transar com QUANTOS a gente quiser, como com QUEM a gente quiser...
E ainda bem que mais mulheres como a R estão se libertando de machistas nojentos...

Trícia disse...

R de Rainha! :) Adorei essa parte: "Eu me acho linda mesmo com minha cicatriz de um palmo porque é MINHA cicatriz!" Mais do que adorei, essa parte me EMOCIONOU! Beijo, Rainha!

Feminazi Satânica disse...

Aí depois de conhecer a "real" o julinho vai passar o resto de seus dias xingando muito no twitter, enquanto Aninha rodopia nos mastros de quantos caras ela quiser.

Luciano disse...

Galera daqui sempre falando da Real, aposto que o sonho das feministas é ter um par de testículos para aprender o que ser macho.

Sara disse...

R. esse caminho q vc esta seguindo não tem como errar, bom seria q mais mulheres descobrissem o q vc conseguiu enxergar...

Sara disse...

poverello do JULINHO, 1 Mascu, alem de se ferrar com a Aninha ainda pra arrematar vai ter q aguentar os malas sem alça da REAL, ninguem merece!!!!

Cláudio André disse...

Qualquer homem tem o direito de não se relacionar com mulheres que trocam de relacionamento muito rápido e achar imoral essa atitude, ou seja, te achar uma puta. So não deve expressar por causa dos danos morais.

Os homens não são taxados de vadios simplesmente porque no Ocidente eles são os que normalmente tomam iniciativa na relação e, por isso, os que conquistam mais são valorizados, as mulheres que seguem essa linha são desvalorizadas e os homens preservados também são desvalorizados. Isso tudo fora da esfera religiosa(no cristianismo o homem promiscuo não é aceito, pelo menos ideologicamente).

Na verdade, todos seguem quase que uma logica de mercado, caracterizando uma objetificação da população humana. Acabar com isso é acabar com algo cultural.

Portanto, desculpe, mas é difícil dizer se isso é majoritariamente causado pelo sexismo.

Raven~ disse...

Huashua mulheres não ~ conquistam ~.

Sara disse...

senta lá Claudio vc é um comédia....

Vera Cruz disse...

"Galera daqui sempre falando da Real, aposto que o sonho das feministas é ter um par de testículos para aprender o que ser macho."

Acertou luciano, meu sonho é ter um par, começando pelos seus.

Ana Carolina Serrao disse...

Homens cada vez mais mimizentos, nao conseguem aceitar que nao têm poder nenhum sobre a vida das mulheres. E as mulheres estao cada vez mais auto-confiantes e libertas! Go girls! :)

Kittsu disse...

oooh tadinho do juninho... morrendo de dó porquê ele não pode obrigar ninguém a casar virgem com ele.
ps.: você não atribui NADA da frustração dela ao fato dele ter sido doutrinado dessa forma, a ter como objetivo de vida casar e ter filhos com uma virgem? tipo, SÓ ESSE objetivo de vida? que maluquice.
ps2: que tipo de idiota dá risinhos porquê sabe que alguém fez sexo? é tipo... "pff... ô mãe, eu sei que você fez sexo... pfffhahauhHUIHUIHUIEHOIUWTG874RT36"
cacete, quanta demência.

Camila Gois disse...

Parabéns, R., pela coragem e determinação. Não deve ter sido nada fácil. Adorei seu relato! Agora você é dona da sua vida, do seu corpo e do seu destino!

Carina disse...

Só mulher pra entender essa submissão e como é difícil entender que isso não é bom, não é NORMAL, não é SAUDÁVEL.

Parabéns, R! Você é uma inspiração!

Letícia Calazans disse...

Te achei simplesmente linda!

sheldon end disse...

Mais do mesmo,a mulher se envolve com um cafa,é maltratada,diz que sofre muito... mas passa 4 anos com ele,se sujeitando a tudo e no fim a culpa é dos homens e do machismo.
Não é da péssima escolha dela,da baixa autoestima,de aceitar qualquer coisa só para não ficar sozinha,como vejo muito gente fazendo.

A mente de vocês é muito simplista,tudo se resume a machismo e tudo é culpa do machismo,bem conveniente para a causa.
Baixa autoestima não é exclusividade de mulheres e muito menos tratar o parceiro como lixo é exclusividade dos homens.
E quando é a mulher que faz isso?Ela é uma machista opressora também?
Duvido,se o caso fosse de uma mulher,aí ela seria uma pobre coitada com problemas psicológicos,mas como é homem...MACHISTA OPRESSOR!

Carla Francisco disse...

Muito legal esse post, pelo jeito muita gente se empoderou com esse site. Eu cheguei aqui pelo Femen também (curioso...). Já conhecia o feminismo, já tinha lido muita bibliografia. Meu feminismo era acadêmico e o empoderamento ainda não tinha transformado minha vida. Foi graças a esse site e o das Blogueiras Negras que o feminismo transformou-se em cotidiano, em realidade, em reconhecimento de outras experiências e outras vivências do feminismo. Continua sendo principalmente uma feminista acadêmica (acredito nesse ativismo, na possibilidade de recontar a história onde tantas mulheres lutaram e foram esquecidas pela historiografia patriarcal). Mas meu cotidiano é outro, minha relação comigo mesma é outra. Hoje tenho uma filha e revolução já começou.
Para mim isso o que compartilhamos aqui é a definição da sororidade. Pena a inexistência dessas redes quando estava na faculdade, antes tarde do que nunca!!!
Beijos Lola

Paulo Vitor Lima Bonifácio disse...

Nao se trata de mimimi, se trata de criticar a incoerencia das feministas que criticam homens que querem mandar nas mulheres, mas nao criticam mulheres que querem mandar nos homens.

Paulo Vitor Lima Bonifácio disse...

Nao se trata de mimimi, se trata de criticar a incoerencia das feministas que criticam homens que querem mandar nas mulheres, mas nao criticam mulheres que querem mandar nos homens.

Mallagueta Pepper disse...

Não é incoerencia, Paulo Vitor.

Primeiro: o número de mulheres que querem mandar nos homens é muito menor do que a situação contrária.

Segundo: mesmo que a mulher tente mandar no homem, ele tem a opção de não obedecer porque tem mais força física e também por que homem não é educado pra obedecer mulher. Mas infelizmente mulher é educada pra obedecer e fazer de tudo pra agradar aos homens.

Terceiro: a cobrança pra ter um relacionamento é muitíssimo maior nas mulheres do que nos homens.
Se a mulher termina com o sujeito porque ele queria mandar nela, todos a criticam falando que é inflexível, egoísta, não ouve o homem, não leva a opinião dele em consideração, etc.

Agora, se o homem termina pelo mesmo motivo, todos ficarão do lado dele porque na nossa sociedade o padrão socialmente aceito é o homem mandar, não a mulher.

Quarto: Isso que vc está fazendo é pura e simples falsa simetria, tentando igualar situações que são totalmente desiguais esquecendo todo o machismo que existe na nossa sociedade. É bem típico dos homens que ao invés de reverem seus privilégios, tentam arrumar zilhões de desculpas pra continuarem sempre na mesma e nunca mudar nada.

Afinal, negar o machismo e dizer que é tudo fruto da nossa imaginação é muito mais fácil porque os matém quietinhos na sua zona de conforto, né?

Quinto: Ninguem aqui está falando que mulher dominar o homem é certo. Se vc viu isso, então sugiro que melhore sua interpretação de texto porque ela tá bem ruizinha. Vá pesquisar um pouco mais sobre o feminismo e saia do senso comum de que esse movimento é meramente o machismo ao contrário.

Sexto e mais importante: esse é um blog feminista, feito para o empoderamento das mulheres. Nós temos nossos proprios problemas e demandas pra cuidar, então não venha nos pedir pra cuidar dos SEUS problemas e aflições, porque a maioria de vcs não estão nem aí pros nossos.

Vcs só sabem reclamar dos "pobremas duzomi", mas não mexem um dedinho pra resolvê-los e acham que NÓS temos que fazer algo sendo que vcs não querem fazer nada por nós.

Não temos que ser boazinhas com homens que vem no nosso espaço (onde mulheres desabafam sobre suas vidas, inseguranças e traumas), pra querer desviar o foco pros "pobremas duzomi" como se os nossos problemas não fossem nada, não tivessem importancia e por isso mesmo deveriamos largar tudo de lado pra resolver os problemas deles enquanto eles ficam de braços cruzados nos oprimindo, ridicularizando nossa dor e diminuindo nossos problemas.

Não mesmo.

donadio disse...

"Homens cada vez mais mimizentos, nao conseguem aceitar que nao têm poder nenhum sobre a vida das mulheres."

Mas desde quando esses ivanhoés como 1mascu, Claudio André ou luciano são homens?

Guris bobos, com a idade mental de dez anos, isso é o que eles são.

Cláudio André disse...

"esse é um blog feminista, feito para o empoderamento das mulheres. Nós temos nossos próprios problemas e demandas pra cuidar, então não venha nos pedir pra cuidar dos SEUS problemas e aflições, porque a maioria de vcs não estão nem aí pros nossos."

Simplesmente você esta sendo sexista. O Feminismo é ideologicamente a favor da igualdade de homens e mulheres em direitos, portanto, para você conseguir essa igualdade, precisa eliminar as desigualdades dos respectivos sexos.

Até hoje eu não entendo essa ideia do protagonismo feminino, pois considero ilógico e hipócrita. E o pior que todos os textos de feministas que eu li sempre se contradizem. A principal contradição esta em definir importância em uma realidade social(a opressão das mulheres e prioridade por exemplo).

O Feminismo esta se perdendo nos valores morais de seus idealizadores. Como previsto, pois o Feminismo é "plural".


André disse...

sheldon end,

De modo geral, um post em que uma vítima conta seus tormentos não é o local mais adequado para discutir a sua parcela de responsabilidade no acontecido. Não como forma de espezinhar a vítima, muito menos de culpá-la, mas com o objetivo de encontrar meios evitar que ocorra novamente. Mas, como a vítima já superou a situação, creio que não haveria problema em discutir também a possessividade nos relacionamentos, que eu penso que é um ingrediente importante nesses relacionamentos abusivos.

André disse...

Claudio André,

Sinceramente, achei muito forte esse trecho "O Feminismo esta se perdendo nos valores morais de seus idealizadores." Acho que sem um levantamento histórico e muita pesquisa estatisticamente bem feita não dá pra afirmar algo desse tipo.

"Até hoje eu não entendo essa ideia do protagonismo feminino, pois considero ilógico e hipócrita." Eu penso da seguinte forma: não cabe numa reunião do AA discutir o impacto das decisões do grupo no faturamento da Ambev.

Mallagueta Pepper disse...

Nova pérola da mentalidade mascu: Feminismo falar em protagonismo da mulher é contraditório.

Sim, porque na cabeça deles, a igualdade plena entre os sexos já existe e por isso mesmo falar em protagonismo das mulheres é errado, discriminatório, sexismo...

Realmente, é muito difícil pros homens aceitar um espaço onde o protagonismo é da mulher, porque eles estão mal acostumados a terem o comando de tudo há séculos.

Hilário mesmo é um homem querer o protagonismo num movimento voltado para as mulheres. É o mesmo que um hétero querer ser protagonista no LGBT, ou um branco ser protagonista no movimento negro.

Agora me respondam, crianças: por que o feminismo, que foi feito para as mulheres, tem que dar espaço pra vcs? O feminismo é um movimento plural no sentido de acolher todos os tipos de mulheres, inclusive as mulheres trans. Esse é o pluralismo do movimento, não essa ilusão de que ele deve lutar pelos "direitos duzomi".

E por favor, me expliquem por que a opressão das mulheres não deveria ser prioridade no feminismo?

Ah, claro, pra esses homens tão acostumados com seus privilégios, falar em protagonismo feminino é tão ilógico e hipócrita, né? Onde já se viu mulher ser protagonista de alguma coisa? Ainda mais num espaço feito só pra ela sem a intervenção de homens? Total absurdo! Homem pode ter um espaço de masculinidade só pra eles. É normal e mulher que tentar invadir está desrespeitando. Mas mulher ter um espaço só pra ela é crime hediondo. A não ser, é claro, que seja só um grupo de artesanato, moda ou beleza. Aí sim porque não são assuntos masculinos.

Mas um espaço político, de empoderamento e emancipação não pode, né? É hipocrisia, contraditório, errado.

Completo absurdo, não é mesmo? Sim, porque na cabeça desses caras, os homens tem que ter o protagonismo do movimento feminista tb e assim decidir pelo que as mulheres devem lugar, quais são suas prioridades e com o que elas podem ou não ficar ofendidas.

Meu bem: o feminismo foi feito pras mulheres. Conviva com isso.

No dia em que a plena igualdade entre os sexos for alcançada, todo o sexismo for dizimado e não houver nenhum tipo de discriminação de gênero, aí sim volte aqui pra discutir sobre o feminismo dar protagonismo igual a homens e mulheres. Até lá, esse movimento é destinado as mulheres.

1 mascu disse...

Agora me respondam, crianças: por que o feminismo, que foi feito para as mulheres, tem que dar espaço pra vcs? O feminismo é um movimento plural no sentido de acolher todos os tipos de mulheres, inclusive as mulheres trans. Esse é o pluralismo do movimento, não essa ilusão de que ele deve lutar pelos "direitos duzomi".
-
Então me responda: O que os ditos "homens feministas" ganham com isto?

Cláudio André disse...

Mallagueta Pepper,

Seu erro é conceitual, procure saber o é Feminismo antes de debater sobre. Qualquer comunidade feminista de respeito não ira resumir o Feminismo como garantia dos direitos exclusivamente das mulheres ou afirmar que o movimento é para as mulheres.

E você também não tem ideia do que seja o pluralismo do Feminismo, que na verdade são Feminismos, subdivisões da ideia principal do movimento.

Enfim, boa sorte.

donadio disse...

"O que os ditos "homens feministas" ganham com isto?"

Um mundo melhor?

Anônimo disse...

A maioria dos homens preferem mulheres baixinhas, ate mesmo aqueles mais altos preferem mulheres mais baixas. Olha só aqui um tópico com admiradores de gordinhas http://mundorealista.com/forum/viewtopic.php?f=10&t=19410&hilit=gordas+gostosas Coxa grossa, bunda grande, peitão...Agora se os admiradores das gordinhas não agradam as gordinhas já na posso fazer nada.

donadio disse...

"Olha só aqui um tópico com admiradores de gordinhas http://mundorealista.com/forum/viewtopic.php?f=10&t=19410&hilit=gordas+gostosas Coxa grossa, bunda grande, peitão...Agora se os admiradores das gordinhas não agradam as gordinhas já na posso fazer nada."

Bom, para começar, vou citar um dos comentaristas do "tópico de admiradores de gordinhas":

Essas mulheres são gordas ?

Pra mim, não são. Nem gordas, nem gordinhas, nem rechonchudas, nem cheinhas.

O comentário seguinte esclarece por que os "admiradores de gordinhas" não agradam as gordinhas:

NÃO EXISTE gorda gostosa.

O que existe são aquelas que são comestíveis, ou aquelas que vc só comeria depois de beber umas, ou aquelas que vc só comeria pq está na merda e sem opções.


Ah, mas esse daí é um dos que não "admira" as gordinhas? Pois aqui vai um comentário de um que certamente "admira":

caralho essa primeira foto ta muito boa, que rabo

Dá pra sacar por que ele não agrada as gordinhas (ou gordonas, ou magricelas, ou, pra encurtar conversa, mulheres em geral)?

donadio disse...

"Julinho e um garoto de pouca experiência sexual,que acredita na ideia que lhe venderam sobre o amor romântico."

Julinho é um garoto que acreditava em Papai Noel. Agora contaram pra ele que Papai Noel non egziste, e Julinho odeia quem mentiu pra ele que existia, odeia quem contou que não existe, odeia quem ainda acredita, odeia quem não acredita mais, odeia quem nunca acreditou. Odeia o Natal, odeia gente que dá presente, odeia gente que não dá presente, odeia gente que ganha presente (principalmente os que não acreditam em Papai Noel mas assim mesmo ganham presente), odeia quem não ganha presente.

Julinho está pensando seriamente em comprar uma semi-automática e sair matando Papais Noéis de shopping center no próximo Natal.

Tudo isso por que ele não se conforma com o fato de o mito não corresponder à realidade.

Em outras palavras, Julinho é um idiota.

Rosanna Andrade disse...

Clap, clap, clap, donadio!

Adorei a analogia com o Papai Noel!

Ana Nazaré disse...

Legal, cmg isso tbm aconteceu, sempre tive uma auto estima baixíssima, sempre fui insegura e tive relacionamentos insatisfatórios com os homens. Com ctza foi o feminismo que me ajudou, mudou minha vida, mas hj vejo mais, que o feminismo é mto mais que isso, é uma verdade psicológica, e ele vai aparece pra todos uma hora ou outra, o resgate do feminino em nossa cultura (não só por parte das mulheres, mas dos homens tb) é uma necessidade real, não é questão de crença, é saber ver pra enxergar...

Camila Gois disse...

Donadio, adorei seus dois últimos comentários. O do natal foi um dos melhores que já li!!!!!! haja haja haja haja

Camila Gois disse...

Eu tinha escrito "hahahahaha", mas a porcaria do corretor automático trocou para "haja haja haja"...kkkkkk

Anônimo disse...

Querido "1 Mascu":
Julinho é um merda que se importa mais com a opinião dos outros do que com a mulher que ele tem ao lado.
Aninha merece coisa melhor.