segunda-feira, 19 de novembro de 2012

COMO REAGIR DIANTE DE UM ALUNO MISÓGINO?

A D. me enviou este email um dia desses:
"Sou professora de ensino médio numa escola grande, mais ou menos privada (recebe subsídios de indústrias), que atende a uma classe social média baixa no interior de SP. Temos um aluno do primeiro ano que é bastante difícil. Ele caçoa de tudo, trata as aulas com arrogância, tendo até uma postura agressiva e intimidadora. É aquele tipo de aluno que você fica até com medo de contrariar, sabe? Pois sei lá, parece que a qualquer momento ele vai ter um ataque de fúria.
Alguns dias atrás a professora de sociologia da mesma escola chamou esse aluno para conversar em particular, para justamente tentar descobrir qual era o problema e tentar achar uma solução. E o aluno disse que ele odeia a escola e os professores, mas não todos, somente as mulheres! E que ele não admite ter que nos obedecer, e isso está fazendo com que ele guarde um grande ódio dentro dele.
Lola do céu! Sou eu que sou muito medrosa ou esse discurso na boca de um garoto de 15 anos é realmente assustador?!
E realmente a postura dele condiz com a fala, pois ele até respeita seus colegas de sala (mesmo as meninas, de certa forma) e é um aluno todo fofo nas aulas dos professores homens (que são uma minoria aqui... acho que nem 10% do quadro de professores são do sexo masculino).
Como lidar?"

Minha resposta: Acho que isso é mais comum do que a gente imagina, sabe? Afinal, meninos são condicionados a crescer com este senso de entitlement, essa sensação de que são especiais só por serem meninos, de que merecem seus privilégios. E, ao mesmo tempo, principalmente hoje em dia, eles também aprendem que precisam viver em sociedade, que o machismo está com os dias contados, que mulheres exercem todas as profissões e ocupam espaços. Eu já tive grandes conflitos com vizinhos homens que não toleravam que eu, uma mulher, mandasse que eles fizessem alguma coisa, como abaixar a música. O desprezo que eles sentiam por mulheres era evidente, já que eles se achavam os donos da rua.
Então é bem provável que este aluno seja um desses machões. E sim, isso é um tanto assustador. Mas manter um ar ameaçador faz parte da estratégia de ameaçar. E pelo menos esse aluno conseguiu verbalizar o que sente. Já é um primeiro passo. O próximo passo é fazê-lo ver que o que ele sente é completamente errado, e que na sua vida ele terá que conviver com mulheres, muitas deles em situações de poder em relação a ele. Se ele não entende isso, se saber que lidar com mulheres gera uma enorme frustração, é recomendável que ele faça terapia.
Acho também que precisa ficar claro pra ele que comportamentos assim não serão tolerados, que ele não tem o menor direito de discriminar ou destratar quem quer que seja por seu gênero, identidade sexual, raça etc. Não é uma questão de opinião ou de personalidade. Não existe isso de "Não gosto de mulheres, então vou ameaçar e agredir mulheres em posição de comando". Não é uma escolha individual.  
Também pode ser interessante que algum dos professores homens que ele ouve e respeita fale com ele. Vai saber se o aluno não está metido em um dos muitos fóruns e blogs misóginos disponíveis na internet...

Resposta da D: Acho bem provável que esse aluno esteja frequentado blogs e fóruns misóginos por aí... E sabe por que eu acho isso?
Porque Lola, eu trabalho com adolescentes. E eu sei que nessa idade rolam várias crises de identificação e coisas assim. E a maioria desses meninos apresenta reações machistas diante do mundo, justamente por serem criados assim, com aquele senso de entitlement que você disse. Mas a maior parte deles age assim por nunca ter pensado sobre o assunto, e quando são repreendidos, até entendem que agiram errado e tudo mais. Não digo que eles deixam de ser machistas, mas passam a pensar um pouco mais sobre isso, o que já é uma pequena conquista!
Só que esse menino já foi além, já deu um passo a mais. Pois ao verbalizar dessa forma seu descontentamento, ele demonstra já ter refletido sobre o assunto e já ter isso muito bem resolvido pra ele. Não sei se estou sendo clara, mas o que eu quero dizer é que quando ele falou que não aceitava receber ordens de mulheres, não foi como uma descoberta, ou algo que o estava incomodando e ele nem sabia o porquê. Ele disse de forma calma e racional, como se já tivesse pensado sobre isso e já tivesse chegado a uma conclusão.
Talvez eu que esteja assustada mesmo, mas acredito que tenho um pré-mascu na minha sala de aula.

230 comentários:

1 – 200 de 230   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Misóginos geralmente em sérios problemas de relacionamento com suas mães, ou são mães castradoras, ou abusivas, mas e sempre este padrão que desencadeia a misoginia.
Por outro lado as mães de garotos misóginos, são em grande maioria mães que tiveram sérios problemas com seus pais, ou com o pai da criança
( foram abandonadas,espancadas etc.) e transferem estas frustrações para o filho, principalmente se este tiver traços fisícos ou de personalidade marcantes do pai
E necessário boa sessões de terapia familiar

Anônimo disse...

Mulheres feministas acham que somos tabuas rasas que elas podem doutrinar, aposto que o garoto sofre perseguições e bulling de suas professoras por ter uma postura simplesmente máscula,e não afeminada, se ele respeita suas colegas, a família e os professores homens, talvez o problema não esta com ele, mas sim em quem quer doutrina-lo, contra sua natureza !

deixem o garoto em paz !

Anônimo disse...

A maioria dos professores são do sexo feminino, mas os melhores que tive foram homens. Acho que homem tem uma tendência natural a assegurar sua autoridade. Em aulas com professoras mulheres, muitas vezes a coisa vira uma bagunça, principalmente quando os alunos ainda são muito novos.

Teresa Silva RJ disse...

D., você já pensou em investigar a família desse garoto? Tenho um palpite de que ele vem de uma família disfuncional. Tipo pais ausentes, que mantêm um casamento fracassado por comodismo e os cuidados que dão ao filho se limitam a casa e comida. Ou pais que agridem o filho psicologicamente. Talvez a misoginia dele seja uma cópia das atitudes do pai com as mulheres em volta ou ódio da mãe por algum motivo. Talvez se a direção da escola chamar os pais pra uma conversa vocês todos farão descobertas surpreendentes.

Shoujofan disse...

Sou professora de adolescentes e me preocupo com essa ansiedade em rotulá-los. Meninos e meninas neta idade sofrem várias pressões, internas e externas; têm a necessidade (*social e culturalmente construída*) de pertencimento, daí a importância do grupo e sua aprovação. Agressividade muitas vezes é sintomático de outros problemas: excesso de proteção dos responsáveis ou falta de atenção dos mesmos, bullying, complexo de inferioridade, etc. Já tive alunos e alunas que aparentemente me desprezavam? Já, afinal, são quase 20 anos de sala de aula. Nesse caso, há três alternativas:

1. Tentar criar uma ponte, descobrir do que este aluno gosta e criar uma possibilidade de diálogo. Já consegui a amizade de alunos e alunas problema assim.
2. Se for um aluno agressivo ou indisciplinado, usar de autoridade. Às vezes, retirar um aluno que se acha intocável de sala de aula uma vez, duas vezes, ou chamar o responsável, tem um efeito maravilhoso.
3. Ignorar. Adolescentes normalmente detestam ser ignorados.

Agora, o que eu já percebi, também, e isso é muito comum no Colégio Militar, é que professoras tendem a adotar comportamentos de gênero que as colocam em situação vulnerável: aceitam serem tratadas com demasiada familiaridade, como se fossem “tias” ou “mãezonas” dos alunos; falam de forma vacilante, evitando usar uma voz na qual fica claro o registro de autoridade, é a professora que está no comando e, não, os alunos e alunas; é preciso passar segurança, se você não mostra segurança do seu conteúdo e da sua posição, desculpe, os moleques vão te engolir. E se você não cai nessas armadilhas, dificilmente eles vão ser agressivos ou tentar intimidar, porque saberão que é inútil.

Experiência própria de rede pública estadual do Rio de Janeiro e do Colégio Militar de Brasília. Não sei se ajuda, mas cuidado com essa história de rotular o menino disso ou daquilo, porque você pode criar um monstro que não existe. E o conselho da Lola é viável: peça a um colega que converse com ele, se for o caso, recomende terapia. E eu diria, tente conhecer os responsáveis, no geral, nunca falha. Pelos pais você entende mais ou menos o adolescente.

Anônimo disse...

e um agressor em potencial, pior, como ela mesmo disse um pré-mascu
( argh) deve ser isolado e tratado com medicamentos, chega de nos obrigar conviver com estes parias, que cedo ou tarde vão cometer algum ato violento, como o lixo de realengo, eu se soubesse que na escola de minha filha tem um destes monstrinhos, ou pediria a saida dele, ou tiraria ela, não somos obrigas a conviver com lixo mascu, e não dou a minima para entende-los, apenas os quero longe !

Anônimo disse...

Lola, a caixa de comentários do seu blog está infestada de machistóides/masculinistas/misóginos (pra mim são todos a mesma raça de pragas). Não dá a menor vontade de tentar debater qualquer assunto com esses vermes parasitando...

Raziel von Sophia disse...

Não concordo com a teoria do Entitlement.

De fato, o que percebo é que a "neomisoginia" é uma reação da Natureza às inevitáveis oscilações entre o patriarcado e o feminismo. O risco que existe são as consequências dessa reação, ainda assim, lutar contra a Natureza é um exercício de futilidade, deve-se manipula-la.

Geralmente misoginia é relacionada à frustrações sexuais, sofrimentos amorosos e falta de apoio nisso devido ao machismo de que mulher é frágil e homem não.


Um movimento lógico seria sentar com ele, conversar e perguntar o que ele sente.

Se quiser vai na cara de pau e entra logo no assunto de sofrimento amoroso.
Quanto mais cedo isso for resolvido, melhor.


Lembremos, meninas, os misóginos nos odeiam, e lutar CONTRA eles não os fará mudar de ideia. Devemos lutar POR eles. Para salvá-los.

Senão, as consequências serão o que vemos pelo mundo.

Anônimo disse...

Se tivessemos escolas separadas por gêneros, não teriamos estes problemas, as escolas militares e católicas estão sempre em primeiro lugar no nvel de ensino no Brasuil

Anônimo disse...

Eu sinceramente não sei por que a lola ainda aprova os comentários deste raziel, ta na cara que ainda e mascu, basta ver o discurso do " sofrimento amoroso do homem", hó tadinhos, e o sofrimento na carne das mulheres agredidas e desrespeitadas ?
se um machista não aguenta tomar foras, ele que se interne, pois vai tomar muitos, vai tomar todos, e um direito nosso exclui-lo do convivio saudável.
O feminismo e libertário, e não causa de misoginia, e se le não entende isto, esta claro que se tornará uma peça de museu, presa ao passado, pois o feminismo e o futuro !

Marcelly disse...

só eu penso que ele eh uma criança facilmente manipulada pela sociedade?..por um pai autoritario..ou uma mãe autoritaria..ou algo assim??

e que encontrar culpados é burrice pq provavelmente os pais tbm foram vitimas de alguma violencia?

que tal tentar resolver e ajudar esse garoto?que tal tentar fazer com que ele não cometa nenhum crime? ..que não acabe se machucando ou machucando alguem?

mascus de merda..sou mulher...e não sou melhor que ninguem..respeito e amo os homens como respeito e amo as mulheres..cada um na sua forma de amor...vc eh vum babaca mascus de 50 anos?..uma pena..mas esse garoto com certeza tem salvação..se um monstro como vc ficar longe dele...claro...

quanto a esse papo de autoridade...foda-se a autoridade..respeito NÃO é autoridade..quando largarem esse modelo hierarquico idiota talvez as coisas funcionem..¬¬

professor não manda..professor ensina e educa!

Ághata disse...

Ele só um moleque misógino, o que não quer dizer necessariamente que seja um masculinista, meo deos.

A escola tem psicóloga? Talvez, deveriam organizar alguns horários para ele ter alguns diálogos tanto com professores quanto com professoras.

Sim, é sempre importante saber sobre a vida do garoto e talz.

É mais aconselhável que os diálogos tratem mais da relação dele com mulheres de uma forma geral. Como ele as vê, como se relaciona com parentes, amigas, conhecidas. Como ele vê as mulheres em contraste com a forma com que ele vê os homens.

A forma com que ele lida com o ódio também deve ser discutida. Se ele acredita ou não que o ódio dele o torna mais forte, se ele se sente solitário com frequência, cansado, quais as frustrações que ele compensa com o ódio.

É importante que se analise como ele se enxerga igualmente. Como a identidade dele como garoto/homem foi construída, o que ele acha que caracteriza a personalidade masculinas, etc...

Ah, e o pai. É importantíssimo saber a relação dele com o pai. Como ele vê o pai, como este se comporta, etc...

Ághata disse...

Ah, é, concordo totalmente com a Valéria.

Acredito que a professora deva rever o quanto antes sua posição. Definitivamente, você Não deve ter medo do garoto. Nem rotulá-lo.

Carlos disse...

Ele não é misógino, ele é um macho dominante que não tolera ser liderado por mulheres, apenas isso.

Os leões quando chegam num território onde não há macho(s), ele chega-chegando e as fêmeas nada podem fazer.

Este aluno está no caminho certo para ser um verdadeiro macho e não mais um assexuado que a sociedade quer.

Anônimo disse...

Oi, alguém aqui assistiu olhos azuis? Olha,precisaria de um estudo e preparo por parte da professora/ professor q vai aplicar essa dinâmica, mas seria legal ela sugerir como sugeriu a idealizadora desse documentário pra classe dela de 'trocarem de lugar' com um oprimido e ficar uma aula na pele dele. Sei lá. Só sugestão.

Anônimo disse...

"Acho que homem tem uma tendência natural a assegurar sua autoridade."- Não!!!

Tenho quase certeza que a sociedade tem uma tendência cultural a aceitar melhor a autoridade de homens. É quase automático nas escolas, professores homens com porte médio ou grande tem o respeito e a disciplina quase que automaticamente. Mulheres ou homens franzinos precisam provar aos alunos que têm segurança e sabem liderar.

Anônimo disse...

Escolas ou ao menos turmas deveriam ser separadas por genero e talvez por orientação sexual para evitar atritos entre os diferentes. Até por que tem alguns estudos americanos que indicam que meninos adolescentes rendem mais e são mais calmos em turmas sem meninas...alguem contrario aos meninos terem desempenho melhor ?

Marcelly disse...

" Anônimo disse...

Se tivessemos escolas separadas por gêneros, não teriamos estes problemas, as escolas militares e católicas estão sempre em primeiro lugar no nvel de ensino no Brasuil

19 de novembro de 2012 11:34"


magina..resolver o problema nunca..vamos evita-lo..assim... como os seres pouco desenvolvidos que somos não precisaremos enfrentar problema algum não eh mesmo??...como vc lidaria com o racismo???

já "lidaram" um dia..recebeu o nome de Apartheid lembra??

Shoujofan disse...

Como educadora, concordo com a Raziel: "lutar por eles". Se você acredita realmente que um menino (*ou menina*) de 15 anos já era, vai ser muito, muito difícil pensar em construir um mundo melhor e mais justo para tod@s.

Vejam bem, não é passar a mão na cabeça, não é ser complacente, não é acreditar que pode salvar o aluno (*recomendo o filme O Clube do Imperador*), mas acreditar, sim, que é possível fazer diferença, nem que seja para os outros alunos e alunas em sala.

Marcelly disse...

" Anônimo Anônimo disse...

Escolas ou ao menos turmas deveriam ser separadas por genero e talvez por orientação sexual para evitar atritos entre os diferentes....

19 de novembro de 2012 12:39"


desempenho melhor????kkkkkkkkkkkkk


vc eh o que??
presindete da apple??

ou então chefe de segurança nos Estados Unidos??

ou então algum empresario super multi milionario??


caso contratio tem milhoes de mulheres em posiões melhores que a sua...chega de mimimi...
ow vc eh uma mulher..ou então sua teoria eh um lixooo

Carol NLG disse...

Pra quem falou que colégios militares são bem classificados e ligou isso a divisão por gêneros: não sei em que século você está. Desde meados dos anos 80 que o sistema Colégio Militar aceita homens e mulheres. Eu mesma estudei lá. Aliás, sei que no de Brasília, desde que mulheres puderam ingressar no Colégio apenas 1 vez houve um coronel-aluno (o estudante mais bem colocado recebe esse título). Todas as outras vezes tivemos coronelas-alunas.

Lembro que no meu 2o ano do ensino médio, também no CMB (Colégio Militar de Brasília) criou-se uma série separada do 2o ano normal, com o objetivo de preparar os alunos (sim, no masculino) para os concursos de ingresso às carreiras militares. Mas decidiram convidar algumas alunas bem classificadas para aderir. Eu fui uma dessas. Era uma série separada, com apenas 4 turmas de 30 alunos, sendo 5 mulheres em cada. Por conta do concurso em si, havia MUITA ênfase no ensino de exatas. Adivinha quem eram as melhores notas? Pois é, as mulheres. Daquele grupo, metade ingressou no IME ou no ITA (institutos militares de engenharia, ambos de ponta). O resto foi fazer Direito ou Medicina (ou, caso tenha optado por um curso de ingresso menos concorrido, como, por exemplo, sociologia, tinha nota o bastante pra ser aceito em direito/medicina).

E quem disse que turmas só de homens são mais comportadas, novamente, acho que estamos em séculos diferentes. Qualquer professor que já tenha dado aula em turmas divididas por gêneros vai te dizer que não há diferença!

isa disse...

E essa misoginia de alunos vai até a universidade. Muitos se sentem desconfortáveis com a presença de professoras. Em um curso de mestrado, convivi com um homem que desrespeitava uma das professoras, agitava a aula, chegou a gritar e mandá-la calar a boca, disse que a discussão que tínhamos ali era limitada... e isso porque a dinâmica era de os alunos, e não a professora, discutirem, ela apenas moderava o debate. Em outras aulas, com professores homens, ele era muito mais respeitoso e até falava pouco, só se manifestava mesmo na aula da professora. Pelo facebook dele, vi que ele é um machista doente, do tipo que postava notícias de mulheres estupradas e dizia que a culpa era da vulgaridade delas, sem falar em toda uma postura misógina de depreciar mulheres no dia a dia da universidade... Machismo é mais do que "opinião", é doença.

Shoujofan disse...

Como a Carol bem colocou, os colégios militares do Exército no Brasil são co-educacionais desde 1989. O colégio Naval, a Espcex, Epcar são somente para meninos e são para o Ensino Médio. No caso da Especex somente o último ano. mas eles não aparecem tão bem classificados quantos os do Exército.

Quanto a turmas de meninos serem mais comportadas que de meninas e vice-versa, isso é puro achismo ou preconceito. aliás, do mesmo tipo que para negar o feminicídio em Realengo diz que a s meninas morreram em maior número, porque, bem, elas sentam na frente e não conseguem correr...

Raziel von Sophia disse...

Shoujofan,

E mais: Quinze anos é uma idade bem decisiva, pode não parecer, mas muitas vezes o que pode decidir entre a misoginia e o feminismo é uma palavra de apoio.
Acho que seria útil prover uma educação emocional, que tanto ensine aos homens que eles não serão piores por serem sensíveis, e que sensibilidade é uma coisa boa. E também que ensine às mulheres a buscar valorizar quem as valoriza, valorizar as pessoas boas e gentis, e não buscar "emoções" de querer "mudar as pessoas".
Educação emocional pode parecer estranho, porém, hoje em dia, a vida é tão corrida e "virtual" que poucos tem a chance de ter uma formação sólida nesse aspecto.


Anon das 11:45


A impressão que eu tenho é que é sempre - pelo menos com maior frequência - a MESMA pessoa que tá toda hora querendo me alfinetar.

Olha, se tu és algum tipo de admirador secreto e for uma menina esquisitinha, pode se declarar que tu me pega fácil. u.u
Não resisto à esquisitinhas. <3

Ágatha,

A escola tem psicóloga?

Me lembrei de algo que eu penso a um tempo: O Mundo seria um lugar melhor se as escolas tivessem tivessem psicólogos à disposição dos alunos. Mas um serviço decente, não com foco em clichês como "violência em casa", mas sim quem desse conselhos a respeito das coisas da vida.

Sara disse...

Poxa bem q ele podia ter um aneurisma fulminante!!!!ohhhh coitado...

Anônimo disse...

Concordo que deviam chamar os pais dele para conversar. Deixar claro que respeito não deve ser medido por gênero. Se possível, levar uma lista com exemplos de diferentes sociedades, pra mostrar que gênero é construção social MESMO. Se isso te animar, poderia ser até um trabalho que ele/a turma pudessem fazer. :]

Sinto muito que vc esteja assustada, acho que mais do que vc ter razão ou não, essa é uma das coisas que a sociedade patriarcal faz com a gente. Aquela história de "NÃO ensine as mulheres a temer e SIM os homens a respeitar" não é só pra evitar estupro, não.

-----------------------

Pessoalmente, tive bons professores homens, mas tb ruins, assim como com as professoras mulheres.

Gostaria de pedir pra quem acha que só teve professor bom do gênero masculino considerar se a questão não era bem quem dava aula, era vc mesmo. Às vezes nem é o caso, mas vivendo numa sociedade tão machista, alguns preconceitos podem parasitar mesmo dentro dxs mais esclarecidxs. ;]

Anônimo disse...

Meu vizinho batia na mulher dele, acho que ele era/é mascu.

Anônimo disse...

Cara Marcelly

Fato meninas tem desempenho escolar melhor por que as professoras são mulheres ,sendo mulheres pensam de maneira similar logo ensinam melhor meninas ,sentem mais empatia por elas ,sabem lidar melhor com elas....



Nuba ofKau disse...

Lola, hj é julgamento do goleiro bruno e outros misóginos que mataram a Eliza Samúdio
http://g1.globo.com/topico/eliza-samudio/

http://g1.globo.com/minas-gerais/julgamento-do-caso-eliza-samudio/noticia/2012/11/protesto-tem-cruzes-com-nome-de-mortas-em-crimes-passionais.html

Nuba ofKau disse...

http://g1.globo.com/minas-gerais/julgamento-do-caso-eliza-samudio/noticia/2012/11/protesto-tem-cruzes-com-nome-de-mortas-em-crimes-passionais.html


(é que não sei se o link foi)

Anônimo disse...

Incrível como julgam um jovem de 15 anos como "agressor em potencial" e "Monstro" sem conhece-lô. É necessário ter cautela, antes de fazer um pré-julgamento. SOMENTE um psicólogo/psiquiatra. é capaz de diagnosticar o problema desse jovem.

Anônimo disse...

Shoujofan

Sim no brasil é apenas achismo por que aqui não se faz pesquisas sobre isso é por que é politicamente incorreto...
e mesmo que separem turmas sem uma didadica adequada ao publico os resultados não vão ser tão bons....como disse mulheres dando aula para meninos é como dar aula em espanhol para brasileiros(voce até entende ,mas seria melhor em portugues).

Raziel von Sophia disse...

Anon das 13:54

1- Nos colégios militares, a maioria dos professores são homens.

2- Testosterona é neurotóxica e diminui a concentração.


just facts

Marcelly disse...

"Anônimo disse...

Cara Marcelly

Fato meninas tem desempenho escolar...

19 de novembro de 2012 13:54"


Anon querido...não me culpe pelo seu pessimo desempenho escolar...
sou uma graduanda..em uma maravilhosa faculdade ..muito bem conceituada...e Pública..

e nunca minhas notas foram maiores pq minha profesorra era mulher...

não me venha com argumentos ignorantes como esse...se quer conversar mostre o minimo de inteligencia...

Carolina Serpejante disse...

Anônimo disse...
"Acho que homem tem uma tendência natural a assegurar sua autoridade."- Não!!!

Tenho quase certeza que a sociedade tem uma tendência cultural a aceitar melhor a autoridade de homens. É quase automático nas escolas, professores homens com porte médio ou grande tem o respeito e a disciplina quase que automaticamente. Mulheres ou homens franzinos precisam provar aos alunos que têm segurança e sabem liderar.

19 de novembro de 2012 12:32

Nos meus poucos anos de estudo (estou terminando a faculdade), posso dizer que nem sempre é isso que acontece. O professor precisa ter pulso e didática, saber ministrar uma aula sem apelar para a "força". Tive professores homens e fortes que eram simplesmente odiados pela sala inteira, justamente por não terem didática e por usarem de grosseria para tentar educar. Assim como tive professoras franzinas que ministravam aulas maravilhosas e eram adoradas por toda a classe, homens e mulheres. Eu inclusive já tive uma professora lésbica e não me lembro de nenhum aluno dizer que ela não era uma boa professora ou então questionar sua autoridade.

Ana disse...

@13:54
"Fato meninas tem desempenho escolar melhor por que as professoras são mulheres ,sendo mulheres pensam de maneira similar logo ensinam melhor meninas ,sentem mais empatia por elas ,sabem lidar melhor com elas...."

Rindo. Muito.

Huan Icaro Piran disse...

Acredito que os argumentos levantados pela Teresa Silva RJ, Shoujofan e Ághata são bem conclusivos e eu os tirarei por base em minhas experiencias em aula. Como sou branco, homem, hétero, cis e de classe média, tendo a ter menos problemas com preconceitos (terei algum? duvido) mas sempre vale saber como lidar se por acaso algum dia sofrer por apoiar feministas, por ter amigos homossexuais ou por ser anarquista. Também devo ressaltar que bate muito com o que já estudei de psicologia, principalmente com enfoque para a educação.

@Raziel von Sophia

Lutar por eles é geral alias, o oficio de professor é basicamente isso, tentar formar intelectualidades. Algumas matérias como a história (que estudo) tem basicamente o objetivo de formar a criticidade, portanto temos por base de proposta manter esse tipo de frente de trabalho.

@isa

Temo ter visto argumentos machistas vindos de doutorandos já...

@Sara

Ele, eu, você...

Huan Icaro Piran disse...

"Escolas ou ao menos turmas deveriam ser separadas por genero e talvez por orientação sexual para evitar atritos entre os diferentes. Até por que tem alguns estudos americanos que indicam que meninos adolescentes rendem mais e são mais calmos em turmas sem meninas...alguem contrario aos meninos terem desempenho melhor ?"

Posteriormente teremos uma sociedade de pessoas que não vão saber como lidar umas com as outras por conta das diferenças...temei!

Huan Icaro Piran disse...

@Marcelly

"quanto a esse papo de autoridade...foda-se a autoridade..respeito NÃO é autoridade..quando largarem esse modelo hierarquico idiota talvez as coisas funcionem..¬¬

professor não manda..professor ensina e educa!"

Eu queria poder lhe aplaudir pessoalmente, mas na falta da possibilidade, sinta-se aplaudida. Mas acredito que todos concordamos com isso, menos o garoto que esta tendo uma visão distorcida e o pensamento geral social que impõe essa lógica ^^

Kaue disse...

Essas coisas não se aprende na escola e sim em casa, sem um trabalho família+educadores pouca coisa pode ser feita pra mudar o cenário.

aiaiai disse...

concordo com a Shoujofan. O garoto tem 15 anos, ta tentando se entender. Mesmo q ele pareça ter um discurso sólido, a gente sabe que não é. Acho que escola e família têm que trabalhar junto para ajudar o menino. Rotular ele e puní-lo não vai ajudar em nada.

Carol NLG disse...

"Raziel von Sophia disse...
1- Nos colégios militares, a maioria dos professores são homens.

2- Testosterona é neurotóxica e diminui a concentração.

just facts"

Seus fatos estão errados, ou você nunca foi num colégio militar. A grande maioria dos meus professores, inclusive de exatas, foi mulher. Em CM.

Sobre testosterona diminuir a concentração, é basicamente ceder ao argumento tolo e ingênuo de que homens não conseguem se concentrar tanto quanto mulheres, e, portanto, é normal que sejam mais agitados e bláblábláwhiskassachet. É o mesmo raciocínio tolo que faz com que TDAH seja pouquíssimo diagnosticado em meninas e sobre-diagnosticado em meninos.

Munique disse...

Lola, você conhece o SEE JANE?

http://seejane.org/resources/seejanepsa.php

A minha irmã (que tem Asperger e não se sentiu à vontade para escrever para você) é desenhista e estava contando sobre como o mercado de quadrinhos e animação nos EUA é extremamente machista, a ponto de não permitir, na Pixar ou Disney, entre outras, produtoras mulheres, mesmo quando são elas que dão a idéia inicial do filme! O filme Valente, por exemplo, foi idealizado por uma mulher baseado em suas experiências pessoais, mas simplesmente num determinado momento disseram que ela não continuaria, modificaram certas coisas do filme e colocaram um produtor homem. Uma amiga da minha irmã que fez estágio na Pixar está em depressão pois não consegue lugar ao sol num ambiente tão machista. E tem gente que acha que é palhaçada esse lance de haver diferenças no mercado de trabalho... tem gente que não enxerga ou não acredita nisso!

Anônimo disse...

Agora fiquei contente por saber que a Raziel gosta de mulheres. Deve ser gostoso ter uma relação lésbica com uma transexual. Além disso, é mais um exemplo de que orientação sexual e gênero não são tão interligados.

Eu realmente cheguei acreditar que a Raziel fosse um mascu intelectual querendo nos humilhar. Espero que tenha sido um grande equívoco.

Anônimo disse...

Detalhe: não sou a pessoa que fez o primeiro comentário que cita a Raziel.

Anônimo disse...

Oi, Lola!
Vc volta e meia explica pq posta comentários dos mascus aqui.
Fico me perguntando se há alguma moderação pra feministas radicais que pregam o ódio e se vc algum dia vai se pronunciar sobre isso.
Abs.

Ruivinha disse...

Engraçado que esses masculinistas que falam que homem tem mais autoridade e blablabla provavelmente não têm autoridade nenhuma e falam fino, do contrário não seriam esses betas frustrados perdendo tempo nas internets.

Raziel von Sophia disse...

Carol,

Sobre a neurotoxicidade da testosterona....

http://endo.endojournals.org/content/150/12/5539.abstract

http://jap.physiology.org/content/92/1/195.full

http://www.hindawi.com/journals/pd/2011/138471/

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0006899301030244

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0091302211000550

http://ajpregu.physiology.org/content/250/4/R625.short



Sobre o colégio militar só usei o que um colega disse para mexer com o anon, existem vários e a moda do gênero dos professores pode ser simplesmente o acaso. No que o meu amigo estudou, ele disse que quase não tinha mulher.
Sobre a neuroendocrinologia e a neurotoxicidade da testosterona e androgênicos, está ai.

Enjoy

Li disse...

Lola, você disse: "Se ele não entende isso, se saber que lidar com mulheres gera uma enorme frustração, é recomendável que ele faça terapia".

Olha, a maioria das psicoterapeutas que conheço são mulheres. Se ele já se incomoda em ter mulheres em posição de autoridade, vejo que possivelmente surgiria um problema aí na relação terapêutica.

Eu já vi garotos com essa idade se aproximando de teorias extremistas, por essa questão da formação da identidade que guest-autora do post falou... Espero que essa misoginia seja uma questão passageira, mas acho que seria válido conversar com a família a respeito.

Anônimo disse...

sim, a mulher que estava fazendo Valente foi afastada mesmo. achei um absurdo, decepcionante.

sobre colegios militares: todos aceitam alunas mulheres, têm professoras mulheres e várias meninas se destacam com ótimas notas. na minha época, as melhores alunas eram meninas.

acho até engraçado o mascu achar que lá ainda é um colégio só pra homens, já que duas alunas apareceram na globo, participando da final do Soletrando: uma de curitiba, há alguns anos, e outra de porto alegre (que venceu mês passado).

sobre colégios separados: não sou a favor, acho que é bom aprender a conviver com o outro sexo desde cedo. mas acho que um colégio exclusivamente feminino não deve ser ruim, um ambiente em que meninas se sintam menos intimidadas deve ser bom.

já colégios exclusivamente masculinos correm o risco de virarem antros de misoginia se não forem bem dirigidos (vide o famoso colégio são bento: só sai imbecil sem trato social dali. nunca conheci um ex aluno legal de lá, só babacas)

Raziel von Sophia disse...

Anon das 15:13

Deve ser gostoso ter uma relação lésbica com uma transexual.

Será? Confesso que ando desesperançosa de procurar. Não sei, tenho medo, sabe. ='/

Mariane disse...

Todo fofo nas aulas de professores homens?

Ele é gay.

Mariane disse...

" Anônimo disse...
Escolas ou ao menos turmas deveriam ser separadas por genero e talvez por orientação sexual para evitar atritos entre os diferentes. Até por que tem alguns estudos americanos que indicam que meninos adolescentes rendem mais e são mais calmos em turmas sem meninas...alguem contrario aos meninos terem desempenho melhor ? "

19 de novembro de 2012 12:39"

Acontece, anônimo analfabeto, que no mundo real não somos separados por gênero e orientação sexual...

Anônimo disse...

Munique
Quando voce ve um anuncio de emprego que pede apenas mulheres voce fica revoltada ?
Não ,então não fica revoltada se a disney só gosta de trabalhar com homens....

Se sim parabens pela mente aberta...

André disse...

Conversar com o moleque é sempre uma opção interessante. Só é bom evitar começar a conversa falando que meninos são condicionados a se sentirem especiais só por serem meninos, de que são privilegiados, etc.

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

Bem,se utilizasse pesquisas de hormonios em cerebros neutros(aqueles que nao sofreram inteferencias da cultura patriarcal)seria uma pesquisa relevante.

Anônimo disse...

Dona do Sexo,

Alguns dos papers que a Raziel postou são de cérebros de ratos.

Ratos também são afetados pela cultura patriarcal?

Anônimo disse...

Anon tonto das 16:01, que anúncios pedem só candidatas mulheres?

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Acho que nesses casos procurar conversar com a família é essencial.
De algum lugar esse machismo extremado vem. Pode ser de sites, blogs misóginos, mas também pode vir do pai, da mãe, avô, enfim.
Também fico pensando nas possíveis consequências disso. O garoto diz que não aceita receber ordens de mulheres, mas em várias situações da vida vai se ver dentro de hierarquias onde alguma mulher vai estar em uma posição de chefia.
E aí? O que ele fará nesses casos? Chegará ao ponto de perder um emprego, uma vaga em uma faculdade, chegará ao ponto de agredir verbalmente ou fisicamente qualquer mulher que ousar discordar dele? E ele acha que sairá impune?
Acho que essas perguntas deveriam ser feitas a ele.

Ju disse...

Que gracinha o SEE JANE.
Adoro projeto como esse, que é da Geena Davis. Mais mulheres desse meio deveriam se engajar nessa causa. A produtora de Valente deveria ter colocado a boca no trombone, mas talvez ela não tenha feito com medo de ser posta de lado mais ainda.

Ronaldo disse...

"Raziel von Sophia disse...

Anon das 13:54

1- Nos colégios militares, a maioria dos professores são homens.

2- Testosterona é neurotóxica e diminui a concentração.


just facts"


Raziel, é verdade que estudos mostraram que testosterona mata neurônios... Em altas concentrações, em condições especiais criadas em laboratório. Quase qualquer substância tem algum efeito tóxico se presente em grande quantidade. Duvido muito que testosterona tenha naturalmente efeito neurotóxico, quando encontrada no corpo humano.

Além disso, mesmo que testosterona diminua a concentração e aumente a agressividade, esses são praticamente os mesmos efeitos que hormônios femininos em excesso causam (vide TPM).

Enfim, acho que é muito infantil tentar definir pessoas pelos seus hormônios ou coisa do tipo. Todos somos humanos, não máquinas, e há vários fatores que contribuem para a formação da inteligência. Acredito que a capacidade mental de homens e mulheres é a mesmíssima, então nem tente dizer que testosterona nos faz mais burros.

Anônimo disse...

Usar biologia para (tentar) explicar as aberrações da raça humana é tão ridículo que chega a ser ofensivo. Mascus tentando usar o conhecimento científico que não possuem é o fim da picada. Qualquer um que estuda pelo menos um pouco sabe que cada espécie é totalmente diferente uma da outra, semelhanças são raras (claro que a maioria tem que comer e transar e etc.).
Dizer que o comportamento selvagem do Leão tem algo a ver com o comportamento humano é a coisa mais tosca que alguém poderia dizer, a maneira que o ser humano vive na natureza (ou vivia) é em bandos, igual caninos e etc. Se os "machos" ficarem brigando e se impondo uns aos outros, o bando é extinto, e nós não existiríamos. É coisa de 1º ano. Claro que os que menos estudaram e os que menos sabem são sempre aqueles quem mais posam de intelectuais, afinal, as verdadeiras pensadoras e pensadores admitem nada saber para então poder descobrir as coisas como elas realmente são.
Por favor Lola, teria como dar uma aulinha beeem básica sobre isso que falei? Só para eles, que tanto frequentam seu blog, se deparem com a própria ignorância (mais uma vez). Não aguento mais essa história de usar bichos que nada tem a ver com o ser humano para justificar esses ignorantes que abdicaram seu raciocínio lógico para tentar manipular as pessoas em prol da ditadura machista. Obrigada. =)

Pryscila disse...

Lola de Deuuuussss!!! Desculpa invadir os comments aqui para falar de algo que não tem nada a ver com o assunto... mas você viu isso?!

http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/11/foi-constrangedor-diz-menina-de-18-anos-agredida-por-policial-em-curitiba.html

É a PM agredindo estudante de 18 anos em Curitiba. Ele bate a cabeça dela numa porta de comércio. QUE VIOLÊNCIA! QUE HORROR!

Pryscila disse...

Que eu saiba, além de agressão gratuita, abuso de autoridade, intimidação e clara demonstração de despreparo militar, revista em mulher quem pode e é permitido fazer é somente policial/militar do sexo feminino!!!!!!

Sara disse...

Olha sr Huan meu saca ja deu com gente machista (embora eu não tenha saco).
To nem ai onde esse moleque estupido adquiriu seu machismo precoce.
Não desejo nada de bom p ele, e não volto atraz da minha opinião, se vc é machista tb e infelizmente ja vi comentários seus aqui nesse blog, falando q talvez matasse sua namorada se ela o traisse, o q pra mim torna obvio q vc é um cara machista meus votos vãso p vc tb.

ena disse...

Pior que esse desrespeito às professoras mulheres é o que mais rola até mesmo em escolas de "alunos ricos e comportados" como a que eu estudo... Fica evidente principalmente quando meninos e meninas atribuem todos os defeitos da professora à sua aparência física.
Eu acho que culpar os pais é uma atitude bem retrógrada, né? quero dizer, esse tipo de coisa não acontece por falta de estrutura familiar, e sim por um mundo repleto de machismo. (Até porque acho estranha essa mania de encontrar utilidade para a conjunção familiar tradicional, e, na maioria das vezes, culpar a mãe, "a responsável pela educação da criança"). Tratar como doente, como alguém muito bem disse em posts anteriores, reflete práticas fascistas...
Agora desrespeito com professor, seja homem ou mulher, eu apoio em muitos dos casos. Muitas vezes já me senti completamente ignoradx, passadx para trás, menosprezadx por professores mesmo tendo muito interesse em aprender os conteúdos. Se a adolescência é um período de dúvida, confusão e crises, esse sistema educacional autoritário e que promove a competição só serve pra injetar mais ódio nesses (e me incluo nesses)jovens.

Sonia disse...

Pryscila, que horror essa notícia!
O pior mesmo é ver os comentários. "Ah, alguma coisa ela fez", "é tudo vândalo mesmo, tem que bater". Ô profecia maia, chega logo, que assim não dá...

Dona do Sexo -Bonobo rules,Jaçanã forever disse...

"Se os "machos" ficarem brigando e se impondo uns aos outros, o bando é extinto, e nós não existiríamos."

Acho que é um tanto equivocadx falar assim.Pode ate ocorrer mas é menor de ocorrer.

Quanto ao cérebro de rato é isso que o Ronaldo falou.
Quando falei lá acima foi no sentido de todas as pesquisas com todos hormonios,mesmo.Uma rata nao é tao parecida como uma humana quanto uma bonobo.

Raziel von Sophia disse...

Ronaldo,

Em nenhum lugar eu disse que homens são inferiores, pelo contrário, são diferentes. Ocorre que, com as mudanças da sociedade e do meio ambiente, certas características se tornam mais desejadas que outras, não que uma seja melhor que a outra, apenas mais convenientes.
E provavelmente, essa neurotoxidade tem alguma função biológica não compreendida.

Nós, seres humanos, possuímos conhecimento biológico e tecnológico que permite melhorar a nós mesmos e avançar nosso padrão de vida de acordo com os objetivos. De fato, para certos estilo, a testosterona pode ser danosa ao estudo, pois a libido inevitavelmente interrompe linhas de raciocínio, e a testosterona causa um stress que é traduz-se em agressividade, mas isso não é um bicho de sete cabeças e nem significa que os homens são intelectualmente inferiores, apenas há esse "inconveniente", e com qualquer "dez real" qualquer um interessado pode diminuir sua testosterona temporariamente.

Enfim, o ser humano é bastante diverso em sua natureza, e o melhor do tudo, é que hoje em dia não somos mais presos à natureza com a qual nascemos.

Raziel von Sophia disse...

Me chamam de mascu por clamar que as feministas sejam empáticas com os homens que sofrem e se revoltam.

Tenho uma discussão acalorada com uma amiga sobre injustiças que os homens betas sofrem no patriarcado.

Depois da aula de física, entro no chan para relaxar. Vejo um post de um cara em duvida se ficava com uma menina, era bem bonita ela, só que tinha "testão".


Ai eu leio isso:

>coma escondido, não faça declarações no rostolivro ou algo do tipo, quando subir de level nas bocetarias parta pra outra.


Ah... E tem quem me ache um mascu intelectualzão. Nem sou, sou uma bicha burra mesmo. ='/

Jéssica disse...

Um adendo sobre leões...

Se não me engano, foi no início desse ano que um grupo de leoas matou o leão do grupo, em um zoológico. Os zoólogos acreditam que foi porque elas o consideravam fraco.

E até onde sei, em períodos de pouco comida, as leoas não dividem a comida com o leão, e atacam ele se ele tentar pegar por conta própria.

Ou seja, nem entre os leões existe essa de "macho todo-poderoso", e muito menos entre humanos.

Carol NLG disse...

Então, Raziel, segundo sua lógica

1) homens que tenham testosterona em níveis normais não conseguem se concentrar porque perdem tempo com libido? Faz sentido, eu sempre soube que é difícil resistir a uma equação quadrática (só que não!)

Sério que você não percebe mesmo que acabou de usar o mesmo desculpismo tolo de que homens são assim mesmo, pensam em sexo o tempo todo. Não dá pra culpar um menino por ser mal educado em classe. Boys will be boys. E, seguindo esse mesmo raciocínio, não dá pra culpar homens por estupros de conhecidas. Afinal, sabe como é, homem não consegue resistir mesmo, é natural...

Mais ainda: segundo sua lógica, voltamos à bobojada mascu de que mulheres não gostam de sexo. Só homens que tem alta concentração de testosterona teriam libido. E todxs sabemos que isso não é verdade, certo?

A sugestão de que "com qualquer 10 reais resolve o problema" é errada em tantos níveis que eu não consigo definir... Ou os homens mudam sua composição corporal/hormonal ou não podem viver em sociedade? E todas as centenas de homens que não tomam hormônios e ainda assim conseguem sobreviver sem parar pra pensar em sexo a cada 7 segundos? E mulheres com alto nível de testosterona?

Raziel von Sophia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raziel von Sophia disse...

Carol,

pessoas são diferentes e tem sensibilidades diferentes a hormônios e neurotransmissores. vai me perdoar, mas não estou bem agora, já não estava desde sábado e um texto que eu escrevi(espero que a lola aceite) piorou tudo.
um dia falamos melhor disso, me perdoe de coração.

André disse...

Ronaldo,

Desencana, esse Raziel trollava as mulheres, agora trolla os homens. Antes era xingado, agora algumas aplaudem.

Anônimo disse...

Raziel não é "um mascu intelectual" simplesmente porque não existem mascus intelectuais, eles são uns idiotas que praticamente só reproduzem um machismo altamente preconceituoso (um pouco mais dogmático e extremo que o machismo da sociedade em geral) e burralmente engessado há séculos (achei que já era do conhecimento de quem frequenta o blog que os mascus são muito burros, eles são intelectualmente esculachados o tempo todo). Só mesmo outro mascu pra achar que um mascu pode ser um "intelectualzão". Mas "sou uma bicha burra" fede muito a uma tentativa tosca e apelativa de conseguir simpatia vinda de alguém que mostra uma atitude tão arrogante, tão cheia da "razão" que vai iluminar as mentes perdidas, tão cheia de preconceitos absurdos. Só que isso não deveria vir como surpresa, esse típo de tentativa de manipulação que mistura invenções da mente do manipulador (como a criação de um personagem ou de uma "verdade" que só existe na cabeça dos machistas) com a verdade factual, para confundir quem está tentando manipular e impedir que essa pessoa tome consciência dos fatos, é uma velha arma muitíssimo usada por abusadores que desejam continuar abusando.

Anônimo disse...

Filhos e pais, homens pobres ou homens ricos, sagrados ou seculares: todos são homossexuais em sua adoração a tudo fálico.

"Os homens usam os corpos das mulheres para formar alianças ou ligações uns com os outros. Os homens usam os corpos das mulheres para alcançar o poder reconhecível que certificará a identidade masculina aos olhos de outros homens. Os homens usam os corpos das mulheres para permiti-los se engajarem em transações civis e pacíficas uns com os outros. Nós pensamos que nós vivemos em uma sociedade heterossexual porque a maioria dos homens está fixada nas mulheres como objetos sexuais; mas, de fato, nós vivemos em uma sociedade homossexual porque todas as transações críveis de poder, autoridade, e autenticidade ocorrem entre homens; todas as transações baseadas em igualdade e individualidade ocorrem entre homens. Os homens são reais; portanto, todo relacionamento real acontece entre homens; toda comunicação real acontece entre homens; toda reciprocidade real acontece entre homens; toda mutualidade real acontece entre homens. A heterossexualidade, que pode ser definida como o domínio sexual dos homens sobre mulheres, é como o fruto do carvalho – dele cresce o poderoso carvalho da sociedade homossexual masculina, uma sociedade de homens, por homens, e para homens, uma sociedade na qual a positividade da comunidade masculina é realizada através da negação da fêmea, através da aniquilação da carne e da vontade das mulheres."

- Andrea Dworkin, A Causa Raiz.

Somente uma revolução feminista pode destruir o que os homens fazem tão bem juntos, longe das mulheres: a criação da cultura da guerra, o triunfo da vontade fálica. E assim, finalmente teremos paz.

Anônimo disse...

Gaslighting é uma guerra psicológica sutil que ocorre em nossas vidas diárias. Gaslighting nem sempre é grave, mas pode ter consequências graves, quando tudo estiver dito e feito. O perigo para a pessoa que está sendo dado o tratamento a gaslighting pode ser sair com problemas psicológicos muito graves, se não reconhecer que ele está acontecendo. No entanto, gaslighting não é facilmente reconhecido. Quando alguém nos faz gaslighting, podemos começar a questionar a nós mesmos.

O termo Gaslighting vem de uma peça de teatro que virou filme. O filme é sobre um homem que muito intencionalmente tenta fazer sua esposa acreditar que ela está ficando louca. Ele faz várias coisas diferentes que fazem parecer aos outros que ela está perdendo a sanidade mental e ela começa a sentir que isso pode ser verdade. Ela finalmente descobre o que seu marido está tramando. O ponto é que ele queria fazê-la acreditar que ela estava ficando louca. O termo tem sido usado desde então quando as pessoas usam ocorrências sutis para fazer uma pessoa pensar que ficou louca ou precisa de ajuda psicológica.

Gaslighting é desnecessário, mas isso acontece o tempo todo em casos de abuso doméstico. Isso acontece em outros relacionamentos também. Por exemplo, gaslighting acontece no ambiente de trabalho o tempo todo. A pessoa que está realizando as técnicas de gaslighting pode não perceber que elas são chamadas assim ou que existe até um nome para isso. A verdade é que é uma forma de manipulação de alguém para conseguir o que querem.

Gaslighting pode ser qualquer coisa dita que apresenta informações falsas com a intenção de fazer uma vítima duvidar da sua própria percepção, suas lembranças e sua sanidade. Pode ser simplesmente a negação por parte do abusador que incidentes abusivos anteriores nunca ocorreram, ou pode ser a encenação de eventos bizarros pelo abusador com a intenção de desorientar a vítima e fazê-la acreditar que está tendo alucinações. Pode ser seu marido propositalmente iniciar uma discussão um minuto antes de sair para uma festa com amigos e depois fingir que tudo está bem quando vocês chegarem lá. As pessoas vêem você chateada ou com raiva e pensam que você é mesquinha e desagradável. A verdade é que o seu marido quer que as pessoas acreditem que você é mesquinha e desagradável para que ele se pareça com um santo por ficar com você. Serve também para torná-lo mais compreendido quando ele decide romper as relações, que são, provavelmente, as intenções dele de qualquer maneira.

Dentro do ambiente de trabalho, gaslighting ocorre quando os colegas de trabalho ou até mesmo seu chefe pode estar procurando uma maneira de fazer você ficar mal aos olhos dos outros. Pode ser bastante difícil distinguir quando acontece gaslighting no ambiente de trabalho. Poderia ser em uma tentativa de levar você a sair do seu trabalho. Também poderia ser uma tentativa de um colega de trabalho de tomar seu lugar. Em qualquer caso, isso acontece o tempo todo.

Pryscila disse...

Pois é, Sonia. Assustadores os comentários também. Mas pior ainda foi a declaração do chefe desses policiais, super protecionista, dizendo que ainda iriam averiguar o caso. Averiguar o quê, se o video mostra tudo?! Vou acompanhar e daqui algum tempo vamos ver se o agressor foi punido. Tomara que o mundo não acabe... Só gostaria que gente assim fosse arrebatada da face da terra... Beijão!

yulia2 disse...

ela não tem saída.. terá que mostrar a ele quem manda e ponto final. pontos negativos, suspensão, zero em trabalhos... que ele arque com as consequencias de ser misógino boçal

yulia2 disse...

separar escolas por generos não resolve NADA!!!
na vida adulta esse cara terá que lidar com mulheres e chefe mulheres... gays também , negros também...

escola separada por genero é um desastre.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Eu sinceramente não sei por que a lola ainda aprova os comentários deste raziel, ta na cara que ainda e mascu, basta ver o discurso do " sofrimento amoroso do homem", hó tadinhos, e o sofrimento na carne das mulheres agredidas e desrespeitadas ?
se um machista não aguenta tomar foras, ele que se interne, pois vai tomar muitos, vai tomar todos, e um direito nosso exclui-lo do convivio saudável.
O feminismo e libertário, e não causa de misoginia, e se le não entende isto, esta claro que se tornará uma peça de museu, presa ao passado, pois o feminismo e o futuro !

19 de novembro de 2012 11:45


Comentário muito certeiro! Penso que o melhor a se fazer é ignorar esse mascu (e os outros também). Exclui-lo(s) do nosso convivio também na internet. Como ele(s) tem desesperadamente demonstrado, tudo o que ele(s) quer(em) é evidência, ter(em) o palco e os holofotes todos pra ele(s). Não devemos cair no jogo dele(s), não devemos falar com ele(s), sobre ele(s). Ele(s) merece(m) ser desprezado(s) e cai(rem) no esquecimento. Não é nossa culpa se eles são incapazes de se comportarem como seres humanos. Não importa o que façamos eles não vão mudar, não querem mudar. Devemos nos preocupar com o que verdadeiramente importa, com coisas que dizem respeito a nós, não com esses seres desprezíveis fadados ao desaparecimento.

Raziel von Sophia disse...

Anon das 21:38


Se falar essas coisas te faz sentir melhor, então não tem problema.
Só digo que venho me esforçando de todo coração para me redimir. Não sou perfeita, e sou cheia de traumas e medos, mas eu quero aprender. Quero me redimir. Quero ser uma pessoa melhor.

Eu quero ajudar as pessoas, e tem muitos meninos que nada tem a ver com a misoginia, mas que podem ficar com raiva das mulheres por falta de carinho. Tudo que eu faço é conversar com eles, sendo carinhosa, os aconselhando e dando conselhos encorajando-os a não desistirem de serem bonzinhos, românticos e sonhadores. E sugiro também que esqueçam as "tops das baladas" que só os fazem sofrer e procurem as meninas comuns, legais, que muitas vezes são ignoradas, alguns já vieram me agradecendo por terem expandido os horizontes e estarem mais felizes. Eu também ensino que o que os prejudica é o machismo e não o feminismo, e muitos já concordaram. Se isso é misoginia, então não sei mais o que é misoginia.

E sim, eu fiquei chateada e me sentindo uma bicha burra, sabe porque? Porque é duro a gente se esforçar, madrugar até e ver coisas como as que eu vi e disse aqui, mas fazer UM anãozinho do chan ou de qualquer outro foro ou chat se sentir melhor, já me é uma vitória.

yulia2 disse...

Gaslighting pode ser qualquer coisa dita que apresenta informações falsas com a intenção de fazer uma vítima duvidar da sua própria percepção, suas lembranças e sua sanidade
_______________
isso é fato e é usado direto isso no trabalho!

quando um chefe pede para vc fazer tal coisa como fazer relatório ou um telefonema... vc faz e depois que vc fala com ele ele vira pra vc e diz que não te pediu nada disso!!!
da vontade de socar a cara de um bosta desse!

Anônimo disse...

Para Anônimo das 10:51

Véi de boa se mata!
Nenhuma mulher seja feminista ou não, seu neurótico, acha que homens são "tábuas rasas". Quem acha isso deles são vocês, mascus que resumem os homens a um ser que só pensa com a "cabeça de baixo".
Nenhuma professora persegue o garoto ou faz bullying(é assim que se escreve viu, ignorante!) com ele, é a ATITUDE MACHISTA dele que faz com que ele seja questionado.
Respeitar a autoridade, é uma regra: da escola, do trabalho, das Forças Armadas, etc.
Experimenta, seu otário, passar a mão na bunda de uma delegadA pra ver se ela não te mete na cadeia, e vc fica preso por um certo tempo, seu idiota!
Tipos como vc falam tanto de "másculo, natureza masculina, etc", porque não confessa que é uma bichona enrustida assim como a maioria de seus colegas mascus-misóginos e não deixa as mulheres em paz?!


Sawl

yulia2 disse...

Andrea Dworkin, A Causa Raiz

ela é aterradoramente verdadeira

Mariana. disse...

"zero em trabalhos" é ótimo. A única nota que ela pode descontar alegando mau comportamento é nota de conceito, se houver. Não pode dar zero se o trabalho for bem feito. Ser babaca não impede a pessoa de ser um bom aluno.

De qualquer modo, duvido que isso ajude. Ele precisa de conversa, terapia. E autoridade tbm

Anônimo disse...

Acredito que na questão da educação de meninos e meninas, professores e professoras devem tentar compreender os alunos e a realidade de cada um, claro que acredito muito mais no RESPEITO do que em AUTORIDADE, mas, de forma nenhuma, um aluno deve ofender ou agredir um(a) professor(a)! Nem ocorrer o contrário(claro).
O garoto precisa de ajuda, assim como todos garotos que tiverem uma educação machista e arcaica que os leve a desrespeitar meninas e mulheres em geral.
Um garoto que tiver o conceito de masculinidade distorcido e for ensinado que: "lugar de mulher é na cozinha", "mulher é tudo vadia", "mulher é depósito de esperma", "mulher é bicho interesseiro", "deve comer(odeio este termo" todas as mulheres que derem mole", "mulher que contrariá-lo deve apanhar", "mulher que está bêbada tem que ser estuprada", etc", enfim, um garoto que ler e ouvir este monte de MERDA será um homem: recalcado, agressivo, doente, etc.
Como vocês acham que surgiram: agressores de mulheres, estupradores, homicidas, etc?!
O Machismo ensina que mulher NÃO é nada, então é isso que eles irão ver pela frente: NADA, uma COISA que eles podem fazer o que quiserem!
Acredito que mais que ensinamentos na escola, o mais importante é uma educação familiar que ensine que homem de verdade respeita as mulheres e não as trata como "lixo".

Sawl

André disse...

O PM agrediu a moça porque ela estava filmando a merda que eles estavam fazendo. Não tem nada de misoginia, se fosse um homem teria apanhado mais.

yulia2 disse...

quero que esse lixo falante pegue uma chefe mulher e fale isso kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
vai ser demitido por justa causa!

yulia2 disse...

Não pode dar zero se o trabalho for bem feito.
_________________

uai, mas o lixão aí disse que não recebe ordem de mulher... se ela mandar ele fazer o trabalho ele não fará... logo sua nota será...

Carla disse...

Carlos, pare de usar leões como exemplos, que estão muito mais perto de gatos e até mesmo de cães do que de nós humanos, e também pare de falar do que você já provou que não entende.Um leão precisa sim da aprovação das fêmeas de um grupo, e não é raro casos de machos, líderes até, que são expulsos do bando por desagradarem as fêmeas.
Um leão macho pode até ser mais forte que uma leoa, mas nunca será capaz de vencer o bando todo, o bando unido tem mais poder que qualquer líder.

Karol disse...

Raziel, mulheres podem gostar ou não de homens mais velhos. Isso não é uma regra. Já namorei homens de variadas faixas etárias e constatei que a idade nunca determinou a maturidade. Podem existir homens mais velhos imaturos e mais jovens com um nível de maturidade invejável, o contrário também acontece. E isso ocorre com nós mulheres também.
Além do mais é possível haver amor de diferentes formas, por diferentes idades. Não se sinta abatida por ter se apaixonado e não ter sido correspondida. Todos os dias milhares de nós nos apaixonamos e não somos correspondidos, sendo preteridos por outra pessoa com uma ou outra característica diferente ou até mesmo em comum. Ainda não inventaram um jeito de abrir a mente de alguém e regular a cabeça para obrigá-la a gostar da gente e, pensando bem, não seria nem um pouco legal porque não seria espontâneo. Então é necessário ter maturidade para lidar com os "nãos" que tomamos da vida e seguirmos em frente para poder conhecer alguém que corresponda.
Karol Lisboa

yulia2 disse...

De qualquer modo, duvido que isso ajude. Ele precisa de conversa, terapia.
_______________
até parece que terapia vai resolver...
o cara quando está decidido a ser misógino, ninguém segura o texto foi claro, ele de maneira calma e equilibrada decidiu isso...
eu frequento a algum tempo blogs misóginos eles tem até dicas e procedimentos para não incorporar uma terapia!
Ela terá que fazer valer sua autoridade, ah que ridículo, mania de passar a mãozinha na cabeça desses vermes!!! Por bem menos , muito menos que isso no meu tempo de colégio a professora dava zero, suspensão, ponto negativo e até croque na cabeça! ( não concordo com o último método é claro..) mas com os demais, sim!
o cara decidiu ser verme misógino , terá que arcar com a consequencia de sua escolha!
Quero ver esse resto de aborto falar isso pra uma chefa!! quero ver se ele teria peito pra isso...kkkkk! NUNCA!

yulia2 disse...

Respeitar a autoridade, é uma regra: da escola, do trabalho, das Forças Armadas, etc[2]

SEM MAIS!!!
e nego aqui tentando psicologisar esse moleque misógino!
o futuro atirador de realengo....

yulia2 disse...

O PM agrediu a moça porque ela estava filmando a merda que eles estavam fazendo. Não tem nada de misoginia, se fosse um homem teria apanhado mais.
________________

esse andré como todo misógino que é sempre fica usando ( ah se fosse homem seria pior bla bla bla...)
para desculpar a bizarrice do pm!
ele não deveria ter feito o que fez e ponto final!!!
que pague por isso!

Anônimo disse...

"resto de aborto" e um termo tão bonitinho,tão humano e igualitário. parece que tem muita gente aqui que foi totalmente dominado pela misandria, e a Lola não fala nada ?

Anônimo disse...

Por mais que já seja esperado, ainda me surpreende como nessas discussões SEMPRE tentam virar para as mulheres a culpa pelo comportamento dos homens.

Anônimo disse...

Mariana você e um sopro de sanidade, em meio a tanto extremismo, parabéns :) !

yulia2 disse...

Por mais que já seja esperado, ainda me surpreende como nessas discussões SEMPRE tentam virar para as mulheres a culpa pelo comportamento dos homens.[2]

EXATO!!!

yulia2 disse...

Enquanto misoginia não for crime previsto em lei... não terei piedade alguma!
Hoje ele desafia e fala que não vai obedecer por ser mulher... amanhã esse infeliz fará o que? vai bater? matar como o atirador de realengo?
Vcs estão brincando de passar mão em cabecinha de psicopata....
continuem nessa... depois não se espantem se um verme desse fizer algo pior amanhã.
vcs passavam pano pra racistas por um acaso?
porque então passam pano pra misógino?

souberam o que aconteceu com um morador de rua hoje? espancado , torturado por neo nazistas???
e ai? porque houve isso? porque no passado os metidos a psicólogos passavam a mãozinha na cabeça dos pobres garotinhos confusos e mimados... ai cresceram e fizeram isso! pois é!!!

Carla disse...

Nossa, eu percebi uma coisa muito triste, muitos aqui estão rejeitando e até excluindo a Raziel, e num momento tão difícil para ela, em que era necessário apoio.Gente, Raziel é um ex-mascu, é natural que ela solte algumas gafes machistas vez ou outra, não é regra, mas se acontecer não acho que devemos condená-la, afinal é difícil deixar uma ideologia em que se acreditou e incorporou de forma tão profunda e por tanto tempo, não é algo que aconteça de um dia para o outro; promeiro vem a percepção, depois a aceitação e depois, pouco a pouco, mudanças de hábitos e costumes, acredito que Raziel esteja no terceiro estágio, e é importante nossa compreensão nessa hora, principalmente se quisermos ela jogando no nosso "time" ao invés de voltar para os mascus.Também não acho que duvidar da veracidade de sua história vá ajudar, se a Lola confia, tendo todos os motivos para não fazê-lo, eu também.Que tal um pouco mais de empatia e um pouco menos de desconfiança?

Carla disse...

E, Raziel, quanto ao que você disse sobre mulheres preferirem homens mais velhos, se para você toda mulher é assim isso é questão das suas companhias, não são todas as mulheres que preferem homens mais velhos, até porque maturidade não está necessariamente ligada à idade, eu mesma não costumo ligar para idade, mas acho meninos mais novos e porém maduros muito interessantes, até porque é um tanto raro e não se deve desperdiçar essa chance.É a mesma questão dos mascus pensarem que mulher só gosta de cara rico, eles vem assim pois só notam esse tipo de mulher, logo, para eles, toda mulher é assim.
Pode ser também que você esteja com raiva e/ou triste por não ter conquistado quem queria, e por isso tenha exagerado, nesse caso é só esperar, só o tempo cura essas mágoas, depois passa e você estará pronta para outra.
Porém se de fato todas, ou a esmagadora maioria, das mulheres que você conhece é assim te aconselho aumentar seu circulo de contatos, e procurar mulheres diferentes das habituais talvez, assim aumentará as chances de você encontrar as que não ligam para idade, que, não se engane, são muitas.

Anônimo disse...

Testosterona e neurotóxico tanto quanto vitamina C cura a AIDS. Só no laboratório.

Anônimo disse...

Qual nome se dá ao comportamento masculino que por um lado pune as mulheres que não agem como os homens querem e por outro recompensa as mulheres que servem a eles, que agem de acordo com o interesse deles e que não ameaçam seus privilégios e as posições artificialmente dominante que eles ocupam na sociedade? Sabe, aquele comportamento que escolhe modelos de mulheres desejáveis que colaboram com a supremacia dos homens, para que as mulheres sejam separadas entre "boas", "amáveis", "delicadas", "dignas" e "sensatas", que agem conforme a vontade deles, e "más", "odiosas", "agressivas", "sórdidas" e "extremistas" que agem conforme a própria vontade? Então, qual o nome disso? Paternalismo? Ok, o que fazer quando mesmo em espaços supostamente feministas o patarnalismo não é cortado pela raiz e rola solto?

Anônimo disse...

"Um trauma que eu tenho - que realmente me deixa louca - é o fato de muitas mulheres só gostarem de homens mais velhos.
Sabe, dizem que mulheres amadurecem mais rápido, mas não sei o que havia, sempre me achei dentro da média delas, ainda assim, sempre fui preterida por mais velhos. E não falo dois ou três anos, falo de dez ou vinte.

Sempre fui do tipo que demostrava o amor no ato de cuidar e ajudar. Quando a pessoa a qual eu me importava desabafava comigo ou contava um problema, eu não "fingia ouvir", mas realmente prestava atenção em cada palavra, quando eu entendia, pensava em como ajudar, nem que fosse uma palavra de conforto. Se eu não entendia, eu gentilmente pedia desculpas por não ter entendido completamente, e perguntava o ponto que eu não compreendi.
Nunca fui de olhar para "as bundas da rua", mas sempre fui de olhar por flores, as vezes eu colhia(e ainda colho ^_^) uma florzinha para ficar admirando as formas e às vezes o perfume, ou se estou com menina pego a florzinha para por nos cabelos dela.
Mas sabe... Mesmo com todos os meus esforços em ajudar e compreender, sempre fui preterida por homens absurdamente mais velhos, e sempre diziam que eram mais maduros e tudo."

Raziel, tem mulheres que preferem homens mais velhos e mulheres que preferem homens mais novos.
E tem mulheres que nem eu, que não ligam pra idade.
Tem de tudo! A humanidade é bastante plural.

Agora, sobre você ficar triste por ser preterida.
Você não é a única. Eu já fui preterida por vários caras. Embora eu tenha muitas qualidades. Só que eles...were just not into me, sabe como é? Aliás, você conhece o filme? Eu assisti com uma amiga numa época em que fomos ambas preteridas e estávamos ruminando nossa tristeza, comendo chocolate nos fins de tarde frios. Bridget Jones na veia, baby.

Uma coisa tu tem que entender. Não importa o quanto você se ache perfeita pra pessoa X. A pessoa X que tem que gostar de ti do jeito que tu é. Se ela não gostou, paciência. O mundo é grande, o mundo é vasto e tem tanta gente interessante nele. E a vida é curta, tem que ser aproveitada antes que seja tarde demais.

Luci

Sara disse...

Anônimo disse...
Por mais que já seja esperado, ainda me surpreende como nessas discussões SEMPRE tentam virar para as mulheres a culpa pelo comportamento dos homens.

19 de novembro de 2012 23:56
[3]
pq a gloriosa yulia 2 ja deu um [2] nessa...

André disse...

yulia2,
Num ponto eu concordo com você, mulher que se relaciona com canalha tentando salvá-lo não está ajudando a sociedade. Mas uma professora, por força de sua profissão, tem que se relacionar com esse aluno. É mais provável que esse moleque se torne um futuro atirador de Realengo se a sua proposta for aceita do que com a proposta da Shoujofan.

Raziel von Sophia disse...

Carla,

Muito obrigada pelo apoio e pelas respostas. Na verdade sei que não devemos generalizar, aquilo foi apenas um trauma de muuuuuitos anos atrás que veio a tona de forma aterradora esse findi do nada. Sou cheia de trauminhas e às vezes esses fantasminhas do passado me perseguem. E por isso, peço para alguém me dizer algo para tentar esquecer isso.

Muito obrigada mesmo pelo apoio.

beijos...

Raziel von Sophia disse...

Carla,

Sabe, meu maior problema é que quando era mascu, eu consegui fugir de vários medos e traumas... E agora que não só larguei totalmente o masculinismo, como também abri meu coração, todos eles por mais irracionais que sejam estão vindo com a força de mil sóis.

E por fim, isso está overwhelming. Um dos traumas acabou de me atacar, e pensei que fosse morrer do coração.

Mas vou resistir... Alguns dos traumas e pensamentos automáticos já venci com minha inteligencia, logo vencerei estes... Não me refugiarei na ignorância do masculinismo... Não mais.
(Ainda mais que agora que sou menina, e ainda trans, sou o que eles mais odeiam u.u... E prefiro morrer a largar minha transição.).

Raziel von Sophia disse...

Outro problema é que ocorreu de uma amiga minha ter características que não apenas acionam três dos meus traumas, como também me lembra uma estória que eu lia enquanto me chicoteava como parte do treino sancto.

Magrelinha disse...

Estão implicando com a pessoa errada. Raziel é uma menina muito corajosa, que assumiu sua transexualidade ao mesmo tempo que deixou o masculinismo para trás. E nem tudo o que fala está em desacordo. Assumir que as mulheres cumprem um papel e participam de uma dinâmica que visa justificar e manter a sociedade patriarcal não é nenhum absurdo. Absurdo é não tentar desconstruir isso.

Huan Icaro Piran disse...

@Sara

É obvio que eu sou machista, seria hipócrita se dissesse que não sou. Não quero o ser contudo e luto diariamente contra o que a sociedade me ensinou em todo meu processo de formação enquanto individuo para tentar deixar de ser, uma pratica de reavaliação diária de conceitos.
Sobre o caso de matar minha namorada (na verdade noiva) eu sentei e conversei com ela por horas ao perceber que não saberia lidar com tal situação. Como disse no dia "não sei o que faria, mas temo que eu acabaria matando ela" e se olhar as postagens de algumas horas após, umas dez mais ou menos, vai notar que eu repensei meus posicionamentos e não chegaria a tal ponto.

Magrelinha disse...

Só para deixar claro, não concordo que a misoginia seja uma reação da natureza em relação aos embates entre o patriarcado e o feminismo, mas que o comportamento misógino crescente é uma reação aos avanços femininos, isso é com certeza. Da mesma forma que o patriarcado reage cada vez mais enfurecidamente contra os avanços dos homossexuais, por exemplo. Qualquer coisa leiam o livro do Manuel Castells chamado O poder da identidade.

Quanto ao papo de testosterona, eu não sou da área, não entendo p.n. de biologia, mas tb acredito que isso não deva ser excluído. Claro que a natureza não é determinante e pelo que entendi, Raziel não afirmou que era.

Huan Icaro Piran disse...

@Sara

Uma coisa é certa, não vou com sua cara, não é desta postagem ou da que citou, mas da primeira vez que vim a este blog, quando fiz uma pergunta inocente e sincera, tentando compreender algo, e me crucificou.
Você me lembra a pseudo feminista que conheci na adolescência, e ela foi motivo de eu ter uma péssima primeira impressão sobre o feminismo. Não foram pessoas como você que fizeram eu reavaliar meus pensamentos e posicionamentos, mas sim libertar@s que conheci ao longo de meu caminho, tod@s feministas e bem mais abert@s ao dialogo, a sanar minhas duvidas e me ajudar a desconstruir um paradigma machista que eu não escolhi ter.
Se hoje eu defendo o feminismo diante de meu meio, mesmo sendo homem. Se hoje eu luto contra meus demônios para me tornar alguém melhor. Tenha certeza que não foram posicionamentos como o seu que me mudaram.

Enquanto libertário digo, desculpe moça, mas você é fascista!

Raziel von Sophia disse...

Acabo de me lembrar de algo: Perdi minha virgindade com uma mulher 17 anos mais velhas(curtia novinhos :3).
As duas namoradas-dominadoras que eu tive eram 4 anos mais velhas.


E ao ter toda essa teima com as mulheres preferirem pessoas mais velhas devido à experiências e aos ensinamentos da Real que aprendi debaixo do chicote, eu constato agora:

- Sempre gostei de mais velhas
- Sou mulher
- Não sou um demônio.


Com meu coração 90% mais leve(ah, dá até soninho. Se eu tivesse um gatinho eu abraçava ele agora, irei abraçar o da faculdade mesmo), eu em toda a ironia da vida, ponho minhas mãos para cima e segurando o riso, grito: EU SOU HIPÓCRITA!!!! \o/


E Carla, tu me pareces ser uma menina bem legal. Se quiseres, pega meu e-mail com a Lola ou passa o seu pra ela para ela me passar! =D

Anônimo disse...

Concordo com as pessoas que dizem que ele tem quinze anos e que é preciso abrir os olhos dele para certas constantes.

A postura dele provavelmente tem a ver com o fato de ele se achar especial não somente em termos de gênero, mas também e sobretudo em termos de classe (pode ser classe baixa ascendente, procurando se diferenciar, ou então de classe média que se sente diferente dos colegas, tidos como ignorantes).

Não estranharia se ele costuma ler Veja e blogs de direita, pois esses recomendam posturas arrogantes em relação a professores, tidos em bloco como comunistas amantes do Paulo Freire.

Como boa parte dos professores teme a autoridade de classe e gênero, ocorre uma transferência em que o professor teme o poder por trás daquela arrogância do menino. Assim, os professores ensinam os demais alunos a serem medrosos diante do poder e desenvoltos diante da concordância mútua. As duas atitudes são lamentáveis. A autora do guest post precisa fazer uma autocrítica urgente.

Está na hora de ser firme e ter certeza do que se está ensinando. Não baixar a voz para o poder. O que se ensina são valores inegociáveis, que não há arrogância que abala: o humanismo, a igualdade, a tomada das esferas públicas pela diversidade social e assim por diante. A menos que não se esteja ensinando isso... Aí tem que se encolher e envergonhar mesmo.

Anônimo disse...

Só quem já teve aluno assim em sala sabe como é. Eu tive um que era um perfeito sociopata de doze anos. Ele respeitava a minha autoridade em sala de aula, nas pisava no corredor, já era, negava que secomportava e agredia a torto e a direito. Conversa com os pais (absolutamente relapsos e descuidados, em momento algum mudaram), terapia, suspensão, bate papo amigável, bronca, todos, acreditem, todos os recursos para o bem dele e dos outros foram tentados. Depois de conhecer a história familiar dele, entendemos muito, mas não tínhamos como fazer mais do que orientar os pais, e eles não estavam interessados em mudar.
digo tudo isso porque acho todas essas teorias lindas, mas na prática é diferente. Hoje, só torço pra que ele tenha encontrado seu caminho, no mais, as mãos estão amarradas.

Huan Icaro Piran disse...

@yulia2 e @Mariana

"ela não tem saída.. terá que mostrar a ele quem manda e ponto final. pontos negativos, suspensão, zero em trabalhos... que ele arque com as consequencias de ser misógino boçal"

e

"zero em trabalhos" é ótimo. A única nota que ela pode descontar alegando mau comportamento é nota de conceito, se houver. Não pode dar zero se o trabalho for bem feito. Ser babaca não impede a pessoa de ser um bom aluno."

Punir ele dessa forma seria antiético, coloca o professor no mesmo patamar. A forma correta de lidar com isso é conversar com os pais e levar o caso ao psicossocial. Podemos discordar, mas podemos ser demitidos por isso também...
Caso ele não faça o trabalho, realmente, azar o dele, mas se fizer, nada pode ser feito alem de avaliar imparcialmente.

@yulia2

"separar escolas por generos não resolve NADA!!!
na vida adulta esse cara terá que lidar com mulheres e chefe mulheres... gays também , negros também...

escola separada por genero é um desastre."

Concordo com cada linha

"Enquanto misoginia não for crime previsto em lei... não terei piedade alguma!
Hoje ele desafia e fala que não vai obedecer por ser mulher... amanhã esse infeliz fará o que? vai bater? matar como o atirador de realengo?
Vcs estão brincando de passar mão em cabecinha de psicopata...."

Não, falamos de uma criança que não esta com sua formação psicológica plena. Mas como trollei um amigo meu ontem: "imagine, um mundo com crianças de 5 anos na prisão perpétua!"

"continuem nessa... depois não se espantem se um verme desse fizer algo pior amanhã.
vcs passavam pano pra racistas por um acaso?
porque então passam pano pra misógino?"

Não, e nem pra fascistas. Meu lado anarquista quer a ofender, mas acho que isso seria errado e vou me conter...

"souberam o que aconteceu com um morador de rua hoje? espancado , torturado por neo nazistas???"

Não foi em minha região, o mundo é muito grande, luto aqui, não tenho como lutar em todos os lugares ao mesmo tempo. Aqui foi semana passada com um amigo meu...mas isso já estamos dando conta de resolver a nossa maneira...

"e ai? porque houve isso? porque no passado os metidos a psicólogos passavam a mãozinha na cabeça dos pobres garotinhos confusos e mimados... ai cresceram e fizeram isso! pois é!!!"

Desculpe moça, mas estou inclinado a crer que você alem de ser branca e de classe média, ainda é reacionária.ela n

Daniela disse...

Despolitizar as complexas relações sociais que vivemos, inserindo-as no campo do corpo, do indivíduo, do psicológico, é uma estratégia muito usada hoje em dia. Terapia até pode ser UM dos recursos utilizados no caso desse garoto, mas tratá-lo como portador de um distúrbio qualquer não ajuda em nada.

Essas questões deveriam há muito ser parte do currículo escolar, estar sendo trabalhadas sistematicamente desde as séries iniciais. O professor, hoje, é obrigado a trabalhar preconceitos, racismo, sexismo etc nuns minutos roubados do programa, em diálogos informais com os alunos - isso quando tem um pouco de motivação e preparo, na maior parte das vezes ignora o que assiste debaixo do próprio nariz todos os dias.

Normalmente as escolas só decidem atentar para a realidade das salas de aula, das relações entre os alunos, depois que uma tragédia acontece. E a maioria o faz através de projetinhos paralelos ao programa, que recebem pouca atenção e adotam apenas perspectiva do "amor cristão" como fonte de tolerância em relação ao "diferente". Eu mesma já ví uma professora de História dizer aos alunos de uma quinta série que eles deviam respeitar os negros porque eles, apesar de serem negros, também são filhos de deus! Nada de problematizar, historicizar, conscientizar, construir saberes e relações.

Esse aluno é apenas um caso mais grave, mas quem trabalha com jovens sabe que hoje em dia eles estão extremamente preconceituosos, conservadores. A Lola mesmo já falou sobre isso aqui - na ocasião citou comunidades da net em que jovens defendiam o assassino de Eloá alegando que ela não passava de uma vadia. O próprio Maurício de Souza, criador da Turma de Mônica, afirmou outro dia que casou os personagens Mônica e Cebolinha, mesmo sendo os dois ainda adolescentes, porque o que seu público-alvo mais deseja atualmente é a volta da família tradicional.

Gente, o mundo está pessando por mudanças profundas e isso gera medo nas pessoas, é normal. Ainda mais com uma crise econômica sem precedentes! Vimos uma reação conservadora fortíssima até mesmo em países historicamente liberais e outrora palco de revoluções e conquistas pelas minorias. Os jovens estão desamparados, perdidos sem um modelo pra seguir. Junta-se a esse cenário essa mídia nojenta e o resultado é esse mesmo.

Aconselho a essa professora a não tratar esse garoto como caso isolado só porque ele consegue expressar o que pensa e sente de maneira assustadora (e que de fato indica que ele já se doutrinou em alguns sites mascus). Mobilize seus colegas, a instituição, para que sejam incluidos no programa temas da atualidade com uma perspectiva de gênero e raça. Busque parcerias, envolva os pais. Estigmatizar esse jovem, ignorá-lo, enfrentá-lo com a violência institucional - nada disso resolverá o problema se a escola continuar se colocando alheia à realidade cotidiana desses garotos.

Anônimo disse...

"""Para Anônimo das 10:51

Véi de boa se mata!
Nenhuma mulher seja feminista ou não, seu neurótico, acha que homens são "tábuas rasas". Quem acha isso deles são vocês, mascus que resumem os homens a um ser que só pensa com a "cabeça de baixo".
Nenhuma professora persegue o garoto ou faz bullying(é assim que se escreve viu, ignorante!) com ele, é a ATITUDE MACHISTA dele que faz com que ele seja questionado.
Respeitar a autoridade, é uma regra: da escola, do trabalho, das Forças Armadas, etc.
Experimenta, seu otário, passar a mão na bunda de uma delegadA pra ver se ela não te mete na cadeia, e vc fica preso por um certo tempo, seu idiota!
Tipos como vc falam tanto de "másculo, natureza masculina, etc", porque não confessa que é uma bichona enrustida assim como a maioria de seus colegas mascus-misóginos e não deixa as mulheres em paz?!


Sawl""""

MELHOR COMENTÁRIO HAHAHAHAHAHAHA

Ronaldo disse...

Concordo, Carla. O pessoal aqui está sendo muito duro com o (a) Raziel. Dêem uma chance. Alguns de vocês estão sendo extremistas demais.

Anônimo disse...

Oi Lola!
Olha o que um humorista (se bem que eu acho que isso não tem graça)escreveu nas redes sociais:

"O Ulisses Guimaraes sumiu, ninguém foi atras pq era velho... a Eliza Samudio sumiu, td mundo quer achar pq é puta... esses homens viu?!"

É frase de um tal de Fábio Gueré, que tem milhares de seguidores. E pasme: tem até mulher concordando com ele!
Triste esse tipo de humor que não evolui, não é?

Anônimo disse...

"yulia2 disse...
Enquanto misoginia não for crime previsto em lei... não terei piedade alguma"
-
Constitucionalmente se a misoginia virar crime, a misandria vira também, ai comentários como chamar homens de " resto de aborto' vão te colocar em apuros senhorita !

Anônimo disse...

Por mais que já seja esperado, ainda me surpreende como nessas discussões SEMPRE tentam virar para as mulheres a culpa pelo comportamento dos homens.

[4]

E além disso os homens sempre tentam fazer os debates girarem em torno do ego deles, das percepções deles, dos interesses deles, das necessidades deles, das preocupações deles, dos medos deles... é sempre eles, eles, eles, eles, eles. Mulher só tem foco sendo responsabilizada pela merda deles ou quando os reforçam concordando com eles e repetindo o que eles falam.

Sara disse...

Nossa Huan n vou nem dormir a noite depois do q vc falou, so q não.....

Anônimo disse...

A garota que foi abordada pelos PMs desacatou a ordem deles o chigando e estava portando drogas é só ver o video, ela esconde na calcinha já que ela sabia que eles não poderiam colocar a mão dentro.

Anônimo disse...

'Lola de Deuuuussss!!! Desculpa invadir os comments aqui para falar de algo que não tem nada a ver com o assunto... mas você viu isso?!

http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/11/foi-constrangedor-diz-menina-de-18-anos-agredida-por-policial-em-curitiba.html

É a PM agredindo estudante de 18 anos em Curitiba. Ele bate a cabeça dela numa porta de comércio. QUE VIOLÊNCIA! QUE HORROR!"



Que menina inocente, que pura...
É uma drogada integrante de torcida organizada. Porque não mostram o começo do video antes da abordagem o desacato?


"Que eu saiba, além de agressão gratuita, abuso de autoridade, intimidação e clara demonstração de despreparo militar, revista em mulher quem pode e é permitido fazer é somente policial/militar do sexo feminino!!!!!!"

Se ela tivesse amarda tinha que esperar uma PM?

Huan Icaro Piran disse...

"Nossa Huan n vou nem dormir a noite depois do q vc falou, so q não....."

Bacana saber que apenas um de nós dois esta fazendo um esforço para melhorar como pessoa. ;D

Raziel von Sophia disse...

Gente, sobre o perigoso misógino citado no post...


Acho que todo mundo lembra que é praticamente uma criança, não é mesmo? quinze anos, começando a vida. Acho que deveriam pegar leve, ele nem deve ter consciência do que faz.
Conversar é sempre melhor, ainda mais que com essa idade a personalidade ainda está em formação.



Post scriptum: Agradeço aos que me ajudaram. Mas uma das programações sanctas excluídas de minha mente.

Raziel von Sophia disse...

Alias, testosterona realmente influencia. Mas fazer QUALQUER besteira com esse pretexto, é a mesma coisa que justificar que uma criança praticou bullying porque tomou cafézinho antes de sair de casa.

Fazer mal a alguém por ceder a instintos, impulsos ou qualquer coisa do tipo tem nome: Mal Caratismo.

Anônimo disse...

"E além disso os homens sempre tentam fazer os debates girarem em torno do ego deles, das percepções deles, dos interesses deles, das necessidades deles, das preocupações deles, dos medos deles... é sempre eles, eles, eles, eles, eles. Mulher só tem foco sendo responsabilizada pela merda deles ou quando os reforçam concordando com eles e repetindo o que eles falam."

Participo de comunidades feministas radicais e esse é um dos maiores problemas com homens feministas e trans. Geralmente feministas radicais querem um espaço feminino cis e os grupos citados se recusam a aceitar isso. Mas assim como é legal ter um espaço para homens cis feministas, que tem seus problemas específicos, e para trans, que também tem problemas específicos, é legal ter o nosso espaço. Excluí-los desse espaço não significa excluí-los do feminismo...

Mas eu acredito que deve ser muito difícil para homens e trans aceitarem isso. Porque a nossa sociedade é machista e eles cresceram aprendendo que tem o direito de serem ouvidos, amados, de liderar qualquer espaço (vide complexo de leão), de receber aulas, enfim.

Feministas radicais geralmente não tem mais paciência com isso. É muito cansativo. Seria legal ter também mais compreensão por parte de homens e trans feministas.

Luci

Pryscila disse...

Cara(o) Anônimo das 12:51

1 - O verbo xingar escreve-se com "X".

2 - A menina não portava drogas. Se portasse, teriam feito um T.C. na delegacia, o que não fizeram. A menina escondeu o celular com que estava filmando uma ação truculenta da polícia na praça e era esse objeto que o PM gostaria de confiscar.

3 - NADA justifica violência contra mulher. Nem se a garota fosse criminosa, deveria apanhar de um policial (ou de qualquer homem, ou de qualquer outro ser humano).

4 - LEI: policiais do sexo masculino definitivamente não podem revistar uma mulher. Deveriam ter aguardado a presença de uma policial para isso.

5 - Abraço!

Anônimo disse...

'Tipos como vc falam tanto de "másculo, natureza masculina, etc", porque não confessa que é uma bichona enrustida assim como a maioria de seus colegas mascus-misóginos'

Simples, ninguém pode confessar uma coisa que não é.
Um dia a esquerda inventou essa conversa idiota de que tudo é homofobia, tudo é homossexualismo enrustido, etc, dai fica nesse lenga lenga o resto da vida, mesmo que essa história não faça o menor sentido nem tenha a menor evidência na realidade.

Anônimo disse...

"separar escolas por generos não resolve NADA!!!
na vida adulta esse cara terá que lidar com mulheres e chefe mulheres... gays também , negros também...
escola separada por genero é um desastre."

É um desastre tão grande que o Japão é um país avançadíssimo na ciência (ciência de verdade, não essa encheção de linguiça das humanas) e tecnologia

Huan Icaro Piran disse...

@Pryscila

Apoio tudo o que listou a pouco com uma única ressalva.

"3 - NADA justifica violência contra mulher. Nem se a garota fosse criminosa, deveria apanhar de um policial (ou de qualquer homem, ou de qualquer outro ser humano)."

Nada justifica a violência contra qualquer ser humano independente de gênero, cor, raça, credo...

Anônimo disse...

Huan Icaro, desde que comecei a acompanhar o blog, sou admiradora de vc e da Ana (a que gosta de animes). Não te acho machista, mas passional.

Raziel, meu trauma é o oposto do seu. Fico revoltada de ver que a maioria dos homens querem mulheres mais novas. Dá até vontade de me tornar lésbica - se é que é possível.

Gosto de homens mais novos e da minha idade. Comecei a mentir a minha: por enquanto subtraio dois anos, vou aumentar no futuro. Será que estou muito errada em querer driblar isso com mentira boba?

Neurotransmissores influem muito - na minha humilde experiência, mais que hormônio - na libido. Medicamentos que aumentam a disponibilidade de dopamina aumenta e de serotonina diminuem em ambos os gêneros.

E sim, acredito que há mascus muito inteligentes que agem de má fé e já vi mulheres curtindo comentários da real para agradar os amigos não manginas. Seriam elas womannis?


FÁBIO disse...

Puts a Lola ta conseguindo transformar a Pryscila Vieira numa feminazi, e eu gostava tando das tinhas da Amely ¬¬

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2012/11/fundadora-da-nova-arena-nao-ve-contradicao-em-ser-bolsista-do-prouni.html
Lola acho interessante voce manifestar sua opinião sobre essa garota louca.
caso resolva fazer um post uma tirinha pra ilustrar
http://www.facebook.com/photo.php?fbid=383859445037964&set=a.221530184604225.50687.221511584606085&type=1&theater

Ta-chan disse...

Aplaudindo de pé todos os comentários do @Huan e da @Carla!

Clap,clap,clap!!!!

Hoje de manhã, quando comecei a ler os coments eu quase desisti da caixa de comentários do blog!
O que tem de gente fascista aqui...
Serio que tem gente que acha que um muleque de 15 anos é um monstro?Vocês com opinião assim é que criam monstros por estarem se negando a ver que esse garoto e vários outros precisam de ajuda.
Sem educar os mais jovens pra conviver com diferenças só vamos ajudar esses padrões a continuar existindo!
Que mundo é esse que vocês querem criar atacando a misoginia com misandria?
Vamos viver em guerra, separados?
É isso que querem?



Anon 13:45
Nem todas as escolas do japão são separadas por classes,se informe pra não passar vergonha.

Lorhana Vitor disse...

Sou estudante e estou no terceiro ano do ensino médio,varias vezes já presenciei o contrario desta situação. Quando os professores são misóginos, no nono ano um professor de física vivia fazendo piadinhas machistas no meio da aula,até quando ele ia dar um exemplo para explicar a matéria ele conseguia ser misógino. O pior era que os meninos da sala iam na onda dele, só parou quando eu e umas amigas fomos reclamar com a diretora. Já no primeiro ano durante uma prova de inglês, quando o tempo já tava acabando, um aluno não sabia oque estava escrito eu perguntei se podia traduzir,o professor autorizou (o professor q estava aplicando a prova era de quimica não de inglês).Depois ele disse para o menino "nossa,ate ela sabe e vc não" o menino perguntou a ele "como assim ate ela sabe?" o cara olhou pro aluno como se fosse explicar o obvio e disse exatamente essas palavras "porque mulher é inferior ao homem". Na hora aquilo me atingiu de uma forma tão forte que eu não consegui terminar aprova, uma outra menina discutiu com ele, eu fiquei paralisada voltei pra casa me sentindo esquisita, não conseguia nem mesmo dizer oi pra quem falava comigo. Se fosse hoje processaria, ele devia perder o direito de lesionar, mas na época só consegui contar aquilo para alguem depois de varias semanas. Não acreditava que tinha presenciado uma coisa tão absurda, um professor dizer isso para um aluno. Eu tinha 14 anos foi quando percebi a sociedade não é tão evoluída quanto as pessoas dizem que é.

yulia2 disse...

respeito a opinião da shou,
mas na idade em que ele está em que ele resolveu tomar essa decisão
não sei se somente uma conversa resolveria.

Mas vejo que a maioria aqui não entendeu nada do que eu disse!
Eu disse APENAS que ela deveria fazer valer a autoridade que tem!
Não significa com isso promover uma perseguição ao aluno!
é apenas estabelecer limítes, deixar claro que haverá consequencias
se ele DESRESPEITAR a autoridade de professora como QUALQUER ALUNO
que fizer isso!
ah conversa com ele... ora essa conversa já teve pelo que li no texto
e nessa conversa ele fala que não a obedecerá em nada por ser mulher!

Mais, se ela não fizer isso imediatamente, daqui a pouco ela perde
a autoridade com a classe inteira! ai eu quero ver...

André... não seja alarmista, ele não vai se tornar atirador
porque a professora foi enérgica... ele vai se tornar porque é
um psicopata já pré disposto a isso. Não invente.

Anônimo disse...

acho que seria interessante se a Lola fisese um post sobre a diferença entre feminismo e misandria !

yulia2 disse...

hahhahahah

o aluno fala que não vai obedecer uma professora por ser mulher...
um grupo neo nazista espanca o morador de rua...

e a fascista sou eu

muito engraçado! gostei dos argumentos! brilhante!

Meu crime aqui? apenas dizer que a professora teria que valer a autoridade de professora para punir caso seja desrespeitada... coisa muito comum antigamente... não sou fascista... mas talvez eu esteja ''obsoleta'' para alguns aqui.. vamos lá passem a mão na cabeça do coitadinho aí...
Vai ver é por isso que agora tem aluno que bate em professora em plena sala de aula hoje.. coitadinho né? o respeito acabou, e Aí de vc falar o que eu falei aqui... vc será rotulada de fascista....
santo Deus!

yulia2 disse...

Constitucionalmente se a misoginia virar crime, a misandria vira também, ai comentários como chamar homens de " resto de aborto' vão te colocar em apuros senhorita !
______________________

que vire crime então...
ao contrário de vc, não tenho medo pois não devo nada...
já sua turma mascu.... não posso dizer o mesmo.

yulia2 disse...

E além disso os homens sempre tentam fazer os debates girarem em torno do ego deles, das percepções deles, dos interesses deles, das necessidades deles, das preocupações deles, dos medos deles... é sempre eles, eles, eles, eles, eles. Mulher só tem foco sendo responsabilizada pela merda deles ou quando os reforçam concordando com eles e repetindo o que eles falam.[2]

MATOU A PAU DE NOVO!

Anônimo disse...

Eca!!! Trabalhando na mesma rede de pseudoexelência em que trabalhei... e com aluno misógino... Ninguém merece, amiga!!! Boa sorte!!!

yulia2 disse...

o Champinha, o cara que estuprou e matou Liana fridenbach e seu namorado liderando um bando... tinha 16 anos na época...

coitadinho, uma criança que não sabia o que estava fazendo....
né?

A dupla de estupradores ( os filhos do sirótsky). Que doparam uma menina de 13 anos , violentaram e barbarizaram com ela em SC .... tinham apenas 14 anos...
ah mais também são dois coitadinhos que não sabiam o que estavam fazendo né?..

È claro que não estou comparando uma situação e outra, apenas quero ilustrar com isso de que esse aluno não é um pobre coitadinho que não sabe o que disse e não tem consciência de sua postura só porque tem 15 anos. Ele já tem noção de certo e errado.
Pode ser que algum dia ele mude de idéia... mas para ele mudar de idéia ele tem que tomar consciencia de que o caminho que ele escolheu foi ruim... e não vai ser com mãozinha na cabeça que ele terá isso , vai ser sofrendo consequências desagradáveis por discriminar e recusar autoridade de professor por ser mulher( ou negro ou seja com for...).

Ana disse...

@14:10
Eu me encaixo na descrição, mas só pra ter certeza - a Ana sou eu? haha

--

Gente, não quis dar meu pitaco porque de primeira achei que não tinha nada útil pra dizer.

Mas se eu tiver que tomar um lado aqui, estou com quem acha que o garoto precisa de ajuda e de atenção. Não que isso seja algo fácil. E definitivamente não que isso signifique simplesmente passar a mão na cabeça dele.

Acho muito perigoso fazer pouco da possibilidade de que ele esteja sofrendo. Porque nós sabemos que o machismo é uma faca de dois gumes - meninas são pressionadas para serem belas, homens são pressionados a não demonstrarem seus sentimentos, e assim por diante. As características desejadas variam com o gênero, mas o negócio é que todo mundo sofre alguma pressão. E debochar do sofrimento alheio só aumenta o abismo entre os sexos.

Aliás talvez esteja aí o que faz o machismo algo tão vil: é uma proposta que engessa todos nós, e que mantém os modelos para homens e para mulheres incrivelmente distantes um do outro - castiga a todos e de brinde ainda dificulta a empatia.

O que estou querendo dizer é que, pelo menos pra mim, é possível que ele tenha problemas sim. E eu acho que, se ele estiver sofrendo, ele é digno de compaixão tanto quanto qualquer outra pessoa. Porque qualquer um, independente do gênero, pode ser prejudicado pelo monte de besteiras que ouve todos os dias. Ainda mais quando se tem só quinze anos. É uma idade difícil.

Não tenho resposta pro caso desse garoto e do alto dos meus 19 anos seria muita arrogância achar que eu sei de alguma coisa. Mas falando teoricamente, a dificuldade dele em lidar com mulheres pode ter origem em alguma angústia que ele não pode nem verbalizar porque isso é 'coisa de maricas'. Óbvio, existem milhares de outras possibilidades e talvez ele seja mesmo só um delinquente sem conserto. Mas enquanto esse "tavez" estiver aí, acho muito complicado dizer que ele não merece pena etcetcetc.

Só dizendo.

Anônimo disse...

Lendo esse post lembro de uma experiencia desagradável no magistério: a de ver que uma das professoras mais "respeitadas" (na verdade temida) na escola se comportava como um homem mal-educado e grosseiro.
Ia pra escola praticamente fantasiada de policial, de coturno e rayban, falava em voz alta e insultava todo mundo. E tava cheio de M-A-N-É pra acreditar que aquilo era "autoridade". Qualquer educador@ honest@ ou cérebro pensante sabe que era só um@ canditad@ a gui@ de macac@s com preguiça mental...

Anônimo disse...

ps: pseudoexcelência

yulia2 disse...

É um desastre tão grande que o Japão é um país avançadíssimo na ciência (ciência de verdade, não essa encheção de linguiça das humanas) e tecnologia.
_________________

E altíssimas taxas de suicídio!

que beleza....

yulia2 disse...

É um desastre tão grande que o Japão é um país avançadíssimo na ciência (ciência de verdade, não essa encheção de linguiça das humanas) e tecnologia
____________

outra coisa, meu caro desinformado...
EUA e alguns países da Europa TAMBÉM são potências tecnológicas e científicas e sociedades avançadíssimas e ao que me consta nesses paises não tem essa de separar colégios e universidades por gênero, portanto NÃO FALE BABOSEIRAS!

Anônimo disse...

Yulia2:

Fui professora e penso como você. Acho que conversas são necessárias, bem como investigar a vida familiar desse aluno e tentar agir na raiz do problema, seja ela qual for. Mas pôr limites claros e mandar o moleque fazer "bom proveito" da misoginia dele não tem nada de fascita... Ele está em formação, mas NÃO É MAIS CRIANÇA!!!

André disse...

yulia2,

Quanto mais você se explica, mais sua proposta se aproxima da Shoujofan.

André disse...

Exceto pelas generalizações grosseiras.

Portador de Nanismo disse...

Nossa, Yulia2, vi esse caso do champinha e fiquei assustadíssima, minha garganta está com um nó, onde o ser humano chegou!!! E o Estado ainda está passando a mão na cabeça dele. ¬¬
Deveriam lobotomizá-lo e deixá-lo todo cagado num canto de algum hospício qualquer mesmo! ¬¬


Com 16 anos eu estava jogando videogame e tentando conseguir uma namoradinha no orkut. O.o

Anônimo disse...

4 - LEI: policiais do sexo masculino definitivamente não podem revistar uma mulher. Deveriam ter aguardado a presença de uma policial para isso.

5 - Abraço!


É o cara vai esperar uma mulher puxar um revolver ou uma faca porque não têm uma PM no local.

Luiza disse...

" O próprio Maurício de Souza, criador da Turma de Mônica, afirmou outro dia que casou os personagens Mônica e Cebolinha, mesmo sendo os dois ainda adolescentes..."

Só um pequeno comentário: na edição do casamento, Mônica e Cebolinha não são adolescentes, são adultos. O público é que é adolescente/adulto. Até meus pais querem eles juntos, coisa de fã.

Anônimo disse...

"E além disso os homens sempre tentam fazer os debates girarem em torno do ego deles, das percepções deles, dos interesses deles, das necessidades deles, das preocupações deles, dos medos deles... é sempre eles, eles, eles, eles, eles. Mulher só tem foco sendo responsabilizada pela merda deles ou quando os reforçam concordando com eles e repetindo o que eles falam."

Participo de comunidades feministas radicais e esse é um dos maiores problemas com homens feministas e trans. Geralmente feministas radicais querem um espaço feminino cis e os grupos citados se recusam a aceitar isso. Mas assim como é legal ter um espaço para homens cis feministas, que tem seus problemas específicos, e para trans, que também tem problemas específicos, é legal ter o nosso espaço. Excluí-los desse espaço não significa excluí-los do feminismo...

Mas eu acredito que deve ser muito difícil para homens e trans aceitarem isso. Porque a nossa sociedade é machista e eles cresceram aprendendo que tem o direito de serem ouvidos, amados, de liderar qualquer espaço (vide complexo de leão), de receber aulas, enfim.

Feministas radicais geralmente não tem mais paciência com isso. É muito cansativo. Seria legal ter também mais compreensão por parte de homens e trans feministas.

Luci

20 de novembro de 2012 13:24

**********************

Muito verdade! Isso cansa demais e só esgota nossas energias. Tentar lidar com isso é como ter que fazer trabalho doméstico para eles: o trabalho não é feito para nós, não acaba nunca e não vemos resultados no nosso esforço.

Anônimo disse...

Em um mundo onde todos os homens têm a capacidade de estuprar, machucar, assediar sexualmente, coagir, drogar e manipular uma mulher só por ser mulher e se safar impune disso a misandria não existe.

Anônimo disse...

Em um mundo onde todos os homens têm a capacidade de estuprar, machucar, assediar sexualmente, coagir, drogar e manipular uma mulher só por ser mulher e se safar impunes disso a misandria não existe.

Anônimo disse...

"Ana disse...
@14:10
Eu me encaixo na descrição, mas só pra ter certeza - a Ana sou eu? haha"

É vc, sim. E lembro que antes do coelho, seu avatar era de mangá.

Anônimo disse...

Olha so lola, uma das suas loletes te traiu, e postou uma homenagem sobre o dia dos homens, kkk, imagino sua cara agora.

http://hamanndah.blogspot.com.br/2011/11/feliz-dia-internacional-dos-homens.html

lola aronovich disse...

Puxa, mascutroll anônimo, que traição horrível da Hammandah! Acho que vou ir até a casa dela agora confiscar a carteirinha de feminista, ou seria de lolete?
Não sei se vc viu (porque vcs não leem mesmo os posts, né?) que o post não é dedicado a vcs. É só aos homens bacanas. Não os bananas.


ANA, Ana, Ana! Vc é a Ana que já me mandou 2 ou 3 guest posts? Eu não sabia que era a mesma Ana que andava comentando por aqui ultimamente! Por que vc não avisou?
Fico super feliz em ver que vc continua por aqui depois de tantos anos... Tenho muita admiração por vc, menina!

Raziel von Sophia disse...

Fico triste com essas radfems, de verdade. Todo mundo se unindo e elas querendo se separar de todo mundo que tenha cromossomo Y.

O que eu acho engraçado do womyn-born-womyn é que tem report na praça dizendo que essa ideologia só prejudica as butches mesmo, porque como não há como analisar o DNA de todo mundo, o pessoal vai no falho olhômetro.

E não deveriam generalizar todos os homens como capazes de coisas terríveis. Eu mesma tenho amigos homens(cis e trans) que são muito legais e jamais fariam mal a ninguém.


Enfim, só não choro porque hoje conheci uma menina maravilhosa e conversar com ela me deixou nas nuvens *___*

Ju disse...

Que coincidência, acabei de ler um post da Hammandah, chego aqui e tem um link de mascu pro blog dela.

Enfim, mascu se identificando com a definição de homem bacana é o fim da picada...... Hammandah, se mascus acompanham seu blog e postam comentários elogiosos, há alguma coisa errada.

Sara disse...

Huan melhorar como pessoa é bem discutivel, e depende demais do ponto de vista de cada um do q é melhorar, eu por ex. acho q vc esta muito longe disso.

Huan Icaro Piran disse...

@Anonim@ - 14:10

Grato, mas em dados momentos sou...ainda estou lutando comigo.

@Anonim@ - 13:45

"É um desastre tão grande que o Japão é um país avançadíssimo na ciência (ciência de verdade, não essa encheção de linguiça das humanas) e tecnologia"

Valeu pelo que me toca. Pena o japão ser referencia em algumas áreas das humanas na parte cultural. Mas como a Yula2 disse, altas taxas de suicido...

@yula2

Certo...porem por sua lógica, não vejo sentido algum na existência de formação profissional continua dos educadores...o que põe por terra duas décadas de lutas.

Huan Icaro Piran disse...

@Sara

Eu também acho moça, senão eu tinha me acomodado ;D
Mas você quem sabe, eu posso tentar ser cada vez mais machista, já que minha tentativa em combater o machismo que herdei lhe parece algo errado...

Anônimo disse...

Raziel von Sophia disse...
"Fico triste com essas radfems, de verdade. Todo mundo se unindo e elas querendo se separar de todo mundo que tenha cromossomo Y.

O que eu acho engraçado do womyn-born-womyn é que tem report na praça dizendo que essa ideologia só prejudica as butches mesmo, porque como não há como analisar o DNA de todo mundo, o pessoal vai no falho olhômetro."

Hahahahahahahahaha só posso rir muito dessa piada. Até parece que não percebemos as diferenças mais que evidentes entre mulheres e homens. Vocês adoram se iludir que estão "passando" quando ninguém diz a verdade nas suas caras. Mas não é muito difícil distingui-la por trás do embuste desse jogo de "performar" gênero. E uma aproximação mais detalhada já é mais que suficiente pra tirar qualquer dúvida que possa existir numa visão inicialmente despreocupada de uma aparência enganosa. Vocês são homens, pensam como homens, soam como homens, se comportam como homens, invadem como homens, se apropriam como homens, fedem como homem (porque enfim... são homens). Vestidos, maquiagens, cirurgias plásticas, todo tipo de parafernália considerada "feminina" e encenar uma paródia de si mesmo (de uma ideia masculina do que é ser mulher) não alteram esse fato.

Laura disse...

Anon das 10:40

A nova moda dos mascus é fingir que são radfems transfóbicas dos anos 70 para tentar descreditar o feminismo. São homens honrados. :)

Mihaelo disse...

Buenas,que machismo não é doença mas um preconceito é evidente, e exatamente por isto tem que ser trabalhado conjuntamente pela equipe diretiva da escola,professoras(es), a família do aluno e com o apoio dos serviços psicológicos da secretaria de saúde local. Como a civilização é preconceituosa e a escola faz parte daquela é inevitável que ocorram manifestações preconceituosas. Em geral o preconceito que ocorre com maior frequência é o da homofobia por ser o mais arraigado nas religiões e como a maioria dos habitantes de qualquer país é praticante de religiões, acaba se manifestando em maior nível tanto entre alunos quanto em professoras(es). Como a maioria dos professores é mulher(no Brasil cerca de 85%) fica mais dificil ocorrer algo tão violento e aberto como o comportamento deste aluno, que se não receber a atenção adequada, acabará por se tornar mais um homem machista que acabará por agredir e ou assassinar a mulher com quem vier a manter realacionamento, visto que misóginos/machistas raramente suportam viverem sozinhos!!
O que mais presenciei nas escolas são as piadinhas sobre homossexuais e gordos e também preconceitos a homens solteiros que são percebidos pelos alunos e mesmo por algumas colegas como potencialmente "tarados"! As escolas públicas sofrem terrivelmente de falta de estrutura para resolver qualquer tipo de problema que extrapole o dos conteúdos das disciplinas. Nenhuma escola pública tem profissionais de saúde ou de assistência social e muitas escolas até têm falta de professores de determinadas disciplinas(ou os alunos são mandados embora mais cedo ou ficam zanzando pelo pátio fazendo a maior baderna), ou seja é uma desgraça total. Há poucas semanas um grupo de alunos de uma escola estadual de Manaus se negaram a fazer um trabalho sobre religiões afro-brasileiras e sobre homossexualidade que a professora de Religião pedira, por serem crentes!!!!! Maior exemplo de discriminação impossível e tudo por causa destes cânceres que são essas religiões reacionárias.
Ora, o estudo da cultura e história afro-brasileiras estão previstos por lei e faz parte da LDB(Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira). O moralismo campeia solto nas escolas públicas, é um ambiente onde viceja abundantemente todo tipo de preconceitos. E a maioria das professoras(es) têm dificuldade de lidar com estes.
E não há nenhuma dúvida e que as mulheres são muito mais interessadas e inteligentes que os homens, pois como a maioria delas não é machista, não ficam tão intensamente preocupadas em disputas de macheza tão típicas e obssessivas por parte dos alunos do sexo masculino. As melhores turmas que tive , sempre foram as nas quais predominavam as gurias.Tive até aluna de 16 anos que era maior de idade,muito inteligente e realmente era uma mulher adulta! Noutra escola, numa turma de alunas, elas ficaram tristes por que eu tinha sido tirado da turma, já que os alunos das outras duas turmas(predominantemente masculinas) não queriam saber das aulas e a direção só aceitava que eu desse aula para todas as turmas e não apenas para uma. Assim as três turmas continuaram sem aulas de português(já que a titular da turma estava há 4 meses de licença-saúde,o que é fato extremamente comum no magistério público, nesta escola o único professor a jamais ter posto atestado, fui eu mesmo!!!!), é assim que as escolas públicas funcionam!!!

Ana disse...

@Lola

Hahaha ok, de novo me encaixo na descrição, mas quero saber: a conversa é comigo mesmo? Eu tenho visto outra Ana comentando aqui, agora fico sempre na dúvida se estão se referindo a mim ou a outra pessoa.

Mas vamos organizar:

Eu sou a Ana do guest post gigantesco de maio de 2011, e que mais tarde no mesmo ano teve mais dois publicados sob pseudônimos. Agora em 2012, em fevereiro publicaste um email meu sobre a Estelar; em junho uma análise do texto do Voice For Men sobre a Slut Walk e em agosto, um comentário que eu tinha feito em outro post.

... puxa, é bastante coisa, hahaha. Mas sim, em todos esses textos, sou eu.

Dá pra entender porque a confusão. Até Maio desse ano eu comentava sem conta no google (fiz uma quando fiz amizade com outra comentarista, a Louise Nouvain, que aliás anda sumida). Antes, só assinava o nome - sempre "Ana", com letra inicial maiúscula, sem nenhum outro caractere junto.
Além de comentar com e sem conta, ainda troquei de email nesse meio tempo, e já não uso o mesmo de quando te enviei meu primeiro texto. Isso sem falar que eu não sou a única Ana por aqui. Difícil saber quem é quem desse jeito mesmo!

Jurava que meu primeiro guest post tinha sido há mais tempo... Mas fiz as contas, e realmente, foi a recém no ano passado! A sensação deve ser porque eu já lia o blog há um tempo antes de te mandar email.

E sim, eu fiquei por aqui... Já me mandaram fazer um blog só pra mim várias vezes mas eu gosto de parasitar esse aqui, haha. Nessas férias então, tive bastante tempo livre com a história da greve, e meu nº de comentários por post triplicou. Also, vamos lembrar que nesse 1 ano e alguma coisa que estou comentando aqui, recebi o carinho de muita gente. Assim fica difícil de abandonar o E.L.E., ahaha.

@22:03
Ok, não quis correr o risco de agradecer por outra pessoa, hahaha. Muito obrigada!!

Ateu e Pacifista disse...

É muito comum confundir machismo com misoginia. Enquanto o machismo caracteriza-se por um sentimento de superioridade masculina em relação ao sexo feminino, enquanto a misoginia é o ódio, raiva, desprezo em relação ao sexo feminino.

Enquanto o machismo se limita ao campo dos preconceitos e crenças, a misoginia é muito mais perigosa, é comparável ao ódio que grupos de skinheads sentem por homossexuais.


No caso do garoto citado no relato, acredito que, antes de atestar que se trata de um caso de misoginia, é preciso de uma análise profissional de um(a) psicólogo/psiquiatra, ainda mais se tratando de um jovem em formação, que ainda não atingiu a maturidade de um adulto.


Nos dias atuais tem se tornado cada vez mais comum a utilização de palavras como misoginia, homofobia, misandria e até mesmo "heterofobia" (palavra muito utilizada por alguns pastores evangélicos). A utilização destas palavras tem sido tão praticadas que elas têm se perdido em seus verdadeiros significados.

Por exemplo, pequemos a palavra homofobia, muitas vezes ela é utilizada para acusar um religioso que acredita que uma relação homossexual é "pecado". Na minha opinião, essa é uma acusação leviana baseada apenas em "reativismo ideológico". O fato de um religioso, baseado em sua crença religiosa, crer que uma relação homossexual seria pecado aos olhos de deus, não o torna automaticamente um "homofóbico".


Em tempo, o que eu chamo de reativismo ideológico, é o conjunto de reações (emocionais, verbais e físicas) programadas e limitadas a um estreito sistema ideológico. O que acaba prejudicando uma análise isenta de TODOS os dados e evidências apresentadas. No meu caso, posso citar como exemplo quando caí na armadilha do reativismo ideológico no ateísmo e também defendendo os direitos dos homossexuais, nesses dois casos, o "inimigo" incomum era a crença religiosa cristã. Naquela época eu ofendi muitas pessoas de forma gratuita, por conta do reativismo ideológico, que não me deixava processar nenhum dado além do que estava de acordo com o estreito sistema ideológico que atravancava minha mente.

Anônimo disse...

As queridas radfems de plantão: http://www.youtube.com/watch?v=Gn0R-gb9SMc&list=UUdGpd0gNn38UKwoncZd9rmA&index=30&feature=plcp

Pq um pouquinho de conhecimento ajuda a dissipar o preconceito.

yulia2 disse...

''Fui professora e penso como você.
Acho que conversas são necessárias,
bem como investigar a vida familiar desse aluno e
tentar agir na raiz do problema, seja ela qual for.
Mas pôr limites claros e mandar o moleque fazer "bom proveito"
da misoginia dele não tem nada de fascita... Ele está em formação, mas NÃO É MAIS CRIANÇA!!!''

obrigada pela compreenção anonima...
vc foi uma das poucas que realmente entendeu
o que eu disse.


''Quanto mais você se explica, mais sua proposta se aproxima da Shoujofan.''

vc me parece confuso cara... mas deixa pra lá.

Ateu e Pacifista disse...

yulia2 disse...
quero que esse lixo falante pegue uma chefe mulher e fale isso kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
vai ser demitido por justa causa!

19 de novembro de 2012 23:30
yulia2 disse...
Não pode dar zero se o trabalho for bem feito.
_________________

uai, mas o lixão aí disse que não recebe ordem de mulher... se ela mandar ele fazer o trabalho ele não fará... logo sua nota será...

19 de novembro de 2012 23:31




-----------------------------------


Francamente. Esse nível de comentário, cada vez mais comum infelizmente, vem me deixando cada dia mais e mais desanimado quanto ao ativismo. Como disse em outro comentário, de outra postagem, o ativismo, hoje, vem se tornando (por "mérito" de alguns e algumas) pseudo-ativismo e uma faixada para hipocrisia, preconceito, ódio e trollagem.



yulia2, sem querer me intrometer em sua vida, mas eu sugeriria que fizesse uma auto-reflexão e observasse, da forma mais racional e sensata possível, o que você escreveu em certos comentários desse tópico, como os que tomei a liberdade de destacar no início do meu comentário.

Talvez, depois de observar a si mesma e seus comentários, com sensatez e discernimento, talvez, você acabe chegando a conclusão que seu discurso esteja muito parecido com os dos "misóginos" que você combate, e a única diferença seja o alvo do ódio.



Boa sorte.

Sara disse...

Como tem validadoras do machismo por aqui, fiquei contando quantos comentários são favoraveis a se entender esse guri misógino, e qts até culpam a mãe dele, as irmãs, as tias , coleguinhas ou até a vizinha dele, parece brincadeira.
Não querer enxergar q esse guri ira crescer e fazer o q todo misógino faz, resta torcer para que ele não chegue a matar muitas mulheres como me parece q é o sonho supremo desse tipo de gente.
Se se revoltar com a existencia de homens assim é ser fascista, chamem do q quizerem, pra mim isso é feminismo.
Não vou nunca nem aceitar nem tentar compreender pq ha tantos homens q nos odeiam, pra mim são criminosos e ponto, e assim deveriam ser tratados.
Misoginia deveria ser crime.

Anônimo disse...

Lola, meu noivo é professor e dá aulas particulares em uma instituição pra ganhar um dinheiro extra.Pois esses dias ele me contou que estava ajudando um aluno com uma redação sobre a Grécia antiga e sugeriu que ele dissertasse a respeito de como as mulheres não tinham direitos e eram tratadas como seres que serviam somente para reprodução, ao que o aluno responde "Acho melhor não colocar opinião pessoal no texto".
Meu noivo, entre confuso e espantado, perguntou ao garoto o que aquilo queria dizer e ele respondeu "A mulher é propriedade do homem e serve só pra reproduzir".O choque dele foi tão grande que ele exclamou "Tu acha que a tua mãe serve só pra reproduzir?!", ele respondeu na maior naturalidade que sim, inclusive a mãe dele era propriedade do pai dele.
Uma das coisas mais assustadoras é que esse menino é extremamente inteligente, lê muito e, claro, é branco e rico, o que o põe numa situação de extremo privilegio, mas meu noivo disse que ele nunca desrespeitou ou tratou mal nenhuma professora na instituição.Deve ser dos mascus que se aproveitam da vulnerabilidade das mulheres para exercer pressão psicológica.
O meu noivo começou a introduzir nas aulas alguns textos, contos, crônicas, de mulheres e sobre mulheres, homossexuais e negros, e o garoto foi apresentando sinais de que alguma coisa estava mudando dentro dele.Saber que uma mulher pode escrever(e muitas escrevem) um texto bom sobre política ou qualquer outro assunto foi um choque de realidade pra ele.
Infelizmente meu noivo acabou parando de dar aula nesse local por causa de outros compromissos, mas ele tem certeza que conseguiu plantar alguma coisa, algum questionamento na cabeça daquele menino que não tinha mais de 15 anos e já apresentava esse ódio que ele só sente por que foi ensinado assim.

Ateu e Pacifista disse...

[OFF]

Saindo um pouco do tema central do tópico, gostaria de relatar algo que considero muito legal e que venho observando com cada vez mais frequência, nos mais variados blogs e fóruns ativistas.


Sim, é verdade que o ativismo vem me decepcionando e não me considero mais um ativista. MAS, felizmente, também tenho notado que, nas mais variadas formas de ativismo, existem pessoas das mais variadas vertentes ativistas apoiando as causas uns dos outros.

Por exemplo, o feminismo tem aumentado sua abrangência, defendendo também os direitos dos homossexuais. Também existem muitos ativistas do LGBT apoiando o feminismo. O mesmo ocorre com os movimentos de igualdade racial.

Fora os ativistas declarados, também existem muitas e muitas (e esse número tem aumentado) pessoas que não fazem parte de nenhum movimento específico, mas têm total consciência da importância de uma sociedade igualitária e pacífica. Atualmente me identifico com essa linha de pensamento, ou seja, sem nenhum movimento ideológico específico, mas com total consciência do igualitarismo e defendendo a igualdade de direitos e deveres.


Pode ser só uma viagem da minha cabeça, mas acredito que os movimentos sociais estejam evoluindo para um movimento que abrange todas as pessoas, um movimento que não se limite a cor, gênero, sexualidade, etc.

Vejo cada vez mais pessoas tomando consciência de que não estão "separados" dos outros, pois todos formamos um único organismo chamado humanidade. Também estamos percebendo que não somos, enquanto humanos, "seres superiores" as outras espécies do reino animal e também a natureza. Todos fazemos parte do mesmo organismo que é o planeta Terra.

É isso que tem me motivado a continuar falando e falando em defesa da igualdade, mesmo com as constantes decepções com o ativismo.


Abraços.

Raziel von Sophia disse...

"Olho por Olho e o Mundo terminará cego"


-- Mahatma Gandhi

Ateu e Pacifista disse...

"Olho por Olho e o Mundo terminará cego"


-- Mahatma Gandhi [2]

yulia2 disse...

yulia2, sem querer me intrometer em sua vida, mas eu sugeriria que fizesse uma auto-reflexão e observasse, da forma mais racional e sensata possível, o que você escreveu em certos comentários desse tópico, como os que tomei a liberdade de destacar no início do meu comentário.

Talvez, depois de observar a si mesma e seus comentários, com sensatez e discernimento, talvez, você acabe chegando a conclusão que seu discurso esteja muito parecido com os dos "misóginos" que você combate, e a única diferença seja o alvo do ódio.
_____________________

ok, então vamos excluir os termos que utilizei, fazendo essa esclusão
o que eu disse demais???
incrível com tem gente se doendo e defendendo esse ''garoto'' de 15 anos...que já não é mais criança, que resolveu trilhar o caminho da misoginia.
deixei muito claro nas outras postagens o meu posicionamento e o que a professora deveria adotar como postura para PRESERVAR o bom andamento do tralbalho perante os alunos. Disse que durante a vida dele se ele resolver se manter assim se ele falar desse jeito com uma chefe mulher ele deveria sim sofrer as consequencias
COMO QUALQUER UM que desrespeitar DESACATAR, DISCRIMINAR professor, chefe por racismo ou misoginia ou homofobia etc... deve sofrer.
Quer saber, eu também estou espantanda com certas postagens aqui..não imaginei que teria gente aqui passando mão na cabeça do garotinho misógino, e nem são os trolls de costume que estão fazendo isso. simplesmente espantoso.

yulia2 disse...

"Tudo que é preciso para o triunfo do mal é que os bons homens não façam nada."

Edmund Burke

yulia2 disse...

Não querer enxergar q esse guri ira crescer e fazer o q todo misógino faz, resta torcer para que ele não chegue a matar muitas mulheres como me parece q é o sonho supremo desse tipo de gente.
______________

cuidado Sara...

vão te chamar de fascista, odiosa, extremista...xiita, que vc precisa de terapia...
bla bla bla...
coitado do molequinho misógino, estou quase chorando de pena dele tamanha defesa apaixonada que fazem dele aqui...
o coitadinho de 15 anos que não sabe o que faz...
HAHA
trágico se não fosse cômico.

é graças aos defensores ''DE MENOR''... que agora tem marmanjo espancando professor nas aulas...
coitado, deixa ele espancar mais , ele pode ... ele é ''DE MENOR''
e la nave vá!

Anônimo disse...

Homens decidem o que é misógino.

Heterossexuais decidem o que é homofóbico.

Pessoas brancas decidem o que é racista.

Pessoas em posições de poder decidem o que é considerado opressão.

É assim que se move para trás, não para frente.

Ateu e Pacifista disse...

Oi yulia2, talvez eu tenha mesmo focado em demasia nas expressões utilizadas na mensagem e esqueci de comentar outras coisas.


Eu entendo e concordo que deva haver respeito mútuo entre professores(as) e alunos(as). Mas acredito que esse respeito deva ser sincero e natural, e não resultado de coesões e represálias.


No caso desse adolescente de 15 anos, relatado no post, acho que uma boa terapia poderia resolver. Em princípio, antes de julgamentos precipitados, acredito que deveria haver uma análise psicológica profissional para diagnosticar se o garoto sofre mesmo de misoginia. Se sim, providenciar a assistência psicológica adequada.



Na adolescência somos muito influenciáveis. Estamos sempre buscando nos enquadrar em um grupo, uma moda. É uma fase de muitas inseguranças e dúvidas. Provavelmente esse garoto foi exposto a doutrinação preconceituosa, talvez em casa, talvez na internet ou com amigos.

Da mesma forma que foi negativamente ensinado, ele também pode ser positivamente ensinado/influenciado, para que perceba as bobagens preconceituosas na qual estava se metendo.


No caso de tratar tudo na lei de talião, do olho por olho, como bem disse o sábio e sensato Mahatma Gandhi, todos acabaríamos cegos.

Nesses dias podemos observar a intensificação dos conflitos entre israelenses e palestinos, um lança mísseis, o outro responde, como resultados cidadãos e cidadãs dos dois lados estão morrendo.

O que aconteceria se nenhum dos lados expressasse um desejo de diplomacia? Resposta: Ambos os lados se atacariam até se matarem completamente.


Não agir da mesma forma não significa que nada está sendo feito. Será que resolveria tratar com revolta um garoto revoltado? Será que ele perceberia as besteiras em que está se metendo ou será que ficaria mais revoltado e violento?


Se todos os seres humanos seguissem a "lei de talião", provavelmente a espécie humana já teria desaparecido da face da Terra, não por algum desastre natural como o dos dinossauros, mas por terem se matado uns aos outros.


Bom, é só minha opinião, não tenho intensão de impô-la como verdade absoluta. Respeito a liberdade de todos em expressarem suas opiniões. E viva ao debate saudável de idéias.


Abraço.

Ateu e Pacifista disse...

é graças aos defensores ''DE MENOR''... que agora tem marmanjo espancando professor nas aulas...
coitado, deixa ele espancar mais , ele pode ... ele é ''DE MENOR''
e la nave vá!


-------------------------------------

Quem sabe... Ou talvez isso tenha a ver com a falta de tato e preparo dos adultos envolvidos ao lidar com o problema.

Tratar um adolescente de 15 anos como um monstro não ajuda em nada. E pelo que li no relato, o "terrível crime" que esse garoto cometeu foi não reconhecer a autoridade da professora porque ela é mulher. Estranhamente ele respeita as colegas de classe e familiares mulheres. O problema parece ser mesmo com a professora.

Começo a pensar na possibilidade dessa professora ser uma feminista radical que persegue o aluno por ele supostamente ser um machista. Tomara que seja só uma suposição infundada.


Li tantos cometários de "revolta" em relação a esse garoto de apenas 15 anos, me pergunto se essas mesmas pessoas comentariam, julgariam e criticariam com tanta "paixão" se o caso fosse com uma garotA de apenas 15 anos que não reconhece a autoridade do professor por ele ser homem.


Será que o que incomoda mesmo é a defesa de um "de menor", ou seria por ele ser um "de menor" do sexo masculino? Tomara que isso seja só uma viagem da minha cabeça... ¬¬

yulia2 disse...

corrigindo...

exclusão...

Anônimo disse...

Anônimo 21 de novembro de 2012 14:59

Que vídeo preconceituoso, homofóbico, heterossexista, determinista biológico. "Ninguém escolheria ser homossexual, ser homossexual é terrível, só sofrimento, blablabla"... "Normal é a heterossexualidade, é a regra da natureza, homossexualidade é um desvio biologicamente determinado ou um comportamento que acontece em situações passageiras ou extremas e aberrantes, blablabla".

Eu não consigo entender o apelo supostamente liberal ao determinismo biológico para "combater o heterossexismo". A crença em determinismo biológico, além de ser uma posição não muito liberal de qualquer maneira, nunca fez um opressor reconsiderar.

yulia2 disse...

''Mas acredito que esse respeito deva ser sincero e natural, e não resultado de coesões e represálias.''

sincero e natural???
vc espera demais de um garoto que já resolveu.
que vai discrinimar e vai desrespeitar sua professora
sinto em dizer que a única coisa sincera e natural que virá
desse aluno será seu ato de desrespeito a professora fruto de sua misoginia.


''No caso desse adolescente de 15 anos, relatado no post, acho que uma boa terapia poderia resolver.''

terapia como??? ele tem que querer! quem vai convence-lo? seus pais?
a professora? até ele aceitar fazer , isso SE aceitar a terapia a professora
vai ter que aguentar de cabeça baixa as insubordinações e desrespeito
do coitadinho (de menor) sem nenhuma consequência para ele?


''Em princípio, antes de julgamentos precipitados,
acredito que deveria haver uma análise psicológica profissional
para diagnosticar se o garoto sofre mesmo de misoginia''

ele já decidiu que vai desrespeitar a professora por ser mulher.
e falou isso claramente para ela sem nenhuma preocupação.
e até esse sujeito fazer terapia ela vai ter que aguentar sua
discriminação e sua agressão?

''Se sim,''

se sim ou se não...tanto faz. ela não pode ficar dependendo
da boa vontade da (sua excelencia o lord de 15 anos) de algum
dia resolver fazer terapia...
coitada dessa professora, olha filha, fica quietinha
tá? não faça nada com o coitadinho deixa ele de esculachar
e desrespeitar a vontade tá? fica ai caladinha, não faça
nada, espere que um dia ele vai fazer terapia e vai chegar
a conclusão de que não deve fazer isso... ALGUM DIA...
santo DEUS!!!

yulia2 disse...

''No caso de tratar tudo na lei de talião,
do olho por olho, como bem disse o sábio e sensato Mahatma Gandhi, todos acabaríamos cegos.''


quem falou em talião aqui???

minha nossa senhora.... eu por um acaso falei que a professora
tinha que persegui-lo??? ou mal trata-lo?
parem de inventar coisas que eu não falei! será possivel!!!
santo deus QUALQUER ALUNO que desrespeitar professor
QUALQUER ALUNO POR QUALQUER MOTIVO.... tem sanções cabíveis
desde ponto negativo até suspensão, em casos graves, expulsão do colégio!
se ela for desrespeitada por ele OU QUALQUER ALUNO POR QUALQUER MOTIVO
por força do cargo que ela exerce ela tem o dever de também
se utilizar desses meios para coibir se não ela perde o respeito
da classe INTEIRA. minha nossa, tá dificil aqui hein!!!!

de novo, vou repetir DE NOVO...
ela já conversou com esse aluno e ele disse
NÃO VOU TE OBEDECER PORQUE VC É MULHER!
daqui a pouco vcs vão querer prender essa professora.

''Será que resolveria tratar com revolta um garoto revoltado?''

não falei nada disso
por favor cara , volte e lei as minhas postagens
EM NENHUM MOMENTO eu falo que ela tem que passar
a mal tratar ou perseguir o aluno de graça , sem mais nem menos!!!!

Apenas disse, meu deus.... que ela PRECISA exercer sua autoridade
e ESTABELECER LIMITES NECESSÁRIOS QUANDO FOR DISCRIMINADA E DESRESPEITA
DA SEJA POR QUEM FOR , PRINCIPALMENTE NA FRENTE DA CLASSE INTEIRA! se ela for uma BANANONA
e não fizer nada , O RESTANTE DA CLASSE PERDERÁ O RESPEITO POR ELA!
QUALQUER PROFESSOR QUE NÃO FAÇA NADA PERANTE ISSO, PERDE O RESPEITO!!!
porra , todo mundo já foi aluno aqui, sabe que É ASSIM QUE FUNCIONA!
é a ultima vez que eu falo nisso!!!


''Será que ele perceberia as besteiras em que está se
metendo ou será que ficaria mais revoltado e violento?''

é exatamente o contrário!
se ela baixar a cabeça feito uma ameba ele monta e faz a festa de vez....
É ASSIM QUE FUNCIONA. quem baixa a cabeça e não faz NADA, montam em cima
e mandam brasa...

''Bom, é só minha opinião, não tenho intensão de impô-la como verdade absoluta.''

eu também não... mas quando for me responder, preste mais atenção nas coisas
que eu postei anteriormente, quem falou em lei de talião aqui foi vc.
vc interpretou dessa maneira e intepretou de maneira ERRADA.
agora sim eu deixei claro DE NOVO que não se trata de lei de talião.
se trata de LIMITES, limítes que se fazem necessários e isso não é vingança
e nem dar o troco. e ela também não pode ser passiva e receber aviltamento
e desrespeito desse aluno esperando que um dia ele tenha a boa vontade de
fazer uma terapia... SE UM DIA ELE FIZER... até lá ela fica a merce dele
e de suas agressões? lembre-se HOJE tem aluno ESPANCANDO professor
na sala de aula... ele vai ficar ad eternum sendo espancando
até o cara resolver fazer terapia?
TENHA DÓ!

yulia2 disse...

''Tratar um adolescente de 15 anos como um monstro não ajuda em nada.''

putz, vc insiste nessa palhaçada...
das duas uma, ou vc não entendeu NADA do que eu disse..
ou vc está me trollando mesmo.
não vou repetir de novo o que eu disse.
se vc resolveu entender assim, paciência...
entendeu TUDO errado... mas deixa pra lá.
entenda como vc bem quiser.

''E pelo que li no relato, o "terrível crime"
que esse garoto cometeu foi não reconhecer a autoridade da professora porque ela é mulher.''

para de draminha barato cara...
em nenhum momento disse que isso era um terrivel crime
e acho que ninguém aqui disse isso.
Mas DISCRIMINAR seja quem for por qualquer motivo não é
nada legal e gera consequências desagradáveis para quem resolve
fazer isso, e não é porque ele é (de menor..) que ele tem
que ser poupado das durezas da vida... como já cansei de dizer
ele não é mais criancinha.

Começo a pensar na possibilidade dessa professora ser uma feminista radical que persegue o aluno por ele supostamente ser um machista

ãh???? cuma??
hahahahhhahahah ora vc nem conhece a professora e já acha que ela é
feminista radical porque?
o cara vira e fala pra ela que ele vai desrespeita-la sempre que possivel
por ser mulher...deixa isso claro com todas as letras... e o coitadinho
da história é ele? começo a desconfiar que vc é troll em cara...
eu hein... hahahah
vamos trocar , se fosse um professor homossexual e ele vira e fala
que não vai mais respeita-lo por ser gay... e aí?
então ele não é homofóbico?
enquanto tiver aulas o aluno vira e fala
''AH CALA BOCA SEU VIADINHO...
vai dar ré no kibe , tinha que ser bixona pra falar
umas besteiras dessas, não vou fazer seu trabalho!'' e bla bla bla
e ai filhote?? o professor faz o que?
NADA??? coitadinho, deixa
ele esculachar, ele é DE MENOR...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
francamente!
se ele tomar as providencias cabíveis
do que vc tachará o professor? de gayzista
radical??? professor bobo feio e chato que vai
aplicar a lei de talião no coitadinho do aluno?
vcs são hilários!

''Li tantos cometários de "revolta" em relação a esse garoto de apenas 15 anos,''

kkkkk vc é daqueles que acha que idade determina alguma coisa...
os garotos que doparam e estupraram uma garota em SC
tinham apenas 14 anos coitadinhos....
idade suficiente para saber o que é certo e errado.
mas tudo bem, o caro aluno ainda está LONGE disso...
mas não é criança, mas não mesmo!

''me pergunto se essas mesmas pessoas comentariam, julgariam e criticariam com tanta "paixão" se o caso fosse com uma garotA de
apenas 15 anos que não reconhece a autoridade do professor por ele ser homem.''

isso é praticamente IMPOSSIVEL DE ACONTECER no patriarcalismo
machista... MAS, se acontecesse é claro que seria também criticada
e o professor teria total direito de repreende-la por isso.


''Será que o que incomoda mesmo é a
defesa de um "de menor", ou seria por ele ser um "de menor" do sexo masculino?''

não delire... meu caro troll....
menos, bem menos.
a revolta é com a misoginia e discriminação desse aluno
e nada mais!

Sara disse...

As comentaristas q postam aqui são em sua maioria feministas???
Porque acredito q esta havendo dois pesos e duas medidas aqui.
No caso desse GAROTO que segundo o texto serenamente afirma seu machismo e misoginia diante do que deveria ser uma figura de autoridade a sua professoara.
A maior parte dos comentarios vai no sentido q esse comportamente deva ser tolerado por todos, que o garoto merece compreensão sugerem que ele deva ter algum tratamento e por ai vai.
Ja a algum tempo atraz em outro post que tratava de uma GAROTA que na adolescencia tinha um comportamento inadequado mas que desejava se retratar desse comportamento, imensa maioria das comentaristas aqui mesmo nesse blog supostamente feminista, julgaram sumariamente que essa garota não merecia confiança, que seu passado a desabonava, que as tatuagens q ela tinha eram suspeitas e as musicas q ela escutava eram um motivo para q ela fosse excluida.
Tem alguma coisa de muito podre nisso tudo, ou então eu perdi meu juizo.
Porque o garoto merece tanta empatia e a garota tanta repulsa????
Ele nem almenos se retratou como fez a garota, mas mesmo assim recebe toda compreensão e empatia, ja a garota o chavão de sempre , uma mulher nunca pode vacilar.

Anônimo disse...

Ateuzinho e Pacifista,

Você ainda não tirou sua cabeça de dentro do seu orifício anal antes de vir aqui falar com a gente? Tá esperando o que, querido?

Huan Icaro Piran disse...

@lola

Cheguei a uma epifania de conclusões ontem! Suas leitoras @Sara e @yula2 são trolls

jekwalheawkjhlkjawhekaw

Huan Icaro Piran disse...

@sara

Pode linkar o post que se refere da garota?

Huan Icaro Piran disse...

@yula2

Noto que você realmente esta bem revoltada com o caso. Eu fico preocupado com ele e por motivos diversos discordo de seus posicionamentos neste caso em particular.
Contudo não compreendi uma porção de coisas em seu posicionamento e deixando a brincadeira a pouco que fiz sobre você ser um troll realmente quero entender (da Sara eu vou apenas rir novamente e novamente até caírem meus dentes)
Poderia resumir de forma concisa quais são suas propostas pedagógicas dentro da estrutura escolar para lidar com o problema e quais as recomendações que você faz para lidar com este tipo de situação levando em conta as LDBs e regimentos escolares?

Sara disse...

cuidado Sara...

vão te chamar de fascista, odiosa, extremista...xiita, que vc precisa de terapia...
bla bla bla...

Yulia 2 querida, respeito muito mesmo suas opiniões e da Sawl tb, pq vcs me parecem autenticas e verdadeiras e sem muito medo de querer agradar e fazer média, nem sempre pensamos igual mas nem por isso vou deixar de ter respeito por seus comentários e de muitos outros aqui nesse blog, eu tb valorizo a liberdade de expressão, e mesmo nem sempre concordando com a Lola se acho relevante dou minha opinião, pois desejo participar de um espaço feminista, e acredito q aqui seja um.
Expus minha opinião sem intenção nenhuma de agradar a quem quer q seja, essa é apenas minha opinião
verdadeira, não fico chocada tanto por ela ser diferente da maioria, e sim pelo fato de que em caso com alguma semelhança, mas em que o gerador da questão era uma garota, o blog em peso não mostrou a mesma tolerância q foi mostrada a esse garoto. Isso em um espaço como esse me preocupa sim.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 230   Recentes› Mais recentes»