quarta-feira, 17 de setembro de 2008

SEMEANDO VENTO PRA COLHER TEMPESTADE

Como dizia o protagonista de Truman Show, "Há tantas escolhas!"

Graças ao enfoque exclusivo dado pras eleições americanas e a um relatório que desmentiu que o Irã possui armas nucleares, o negócio acalmou bastante. Mas parte da mídia daq
ui andou preparando o terreno pros EUA invadirem o Irã. No final de setembro do ano passado foi um escândalo, porque o presidente iraniano discursou na conceituada universidade de Columbia, em Nova York. Os protestos foram tantos que o diretor da universidade teve que dizer que convidaria até Hitler pra dar uma palestra. A ladainha pró-ataque é igual àquela que antecedeu a invasão do Iraque: o cara é um terrorista, obviamente esteve envolvido nos atentados de 11 de setembro, prega a destruição de Israel e dos EUA, tem armas de destruição em massa escondidas, além de ser um barbudo miserável de uma religião não-cristã. Não faz muito tempo que a Fox apresentou um especial chamado “Irã: A Bomba-Relógio”. Por enquanto “apenas” 33% dos americanos apóiam uma invasão. Se a direita cristã conseguir convencer mais uns 20%, tem jogo. A mídia repete que seria bom instalar uma democracia por lá. Essa é a palavra usada, instalar, como se fosse a abertura de um novo negócio. Opa, como assim, “como se fosse”?!
Agora em junho, um assessor da Casa Branca deixou escapar que, se Obama vencer as eleões em novembro, Bush pode comandar o bombardeio do Irã, já que não confiaria que o novo presidente começasse uma guerra logo no início do mandato. Mas Bush dependeria do Congresso. Outro cenário possível é que Israel ataque o Irã, forçando um contrataque iraniano, o que faria que os EUA declarassem guerra. Lógico que Israel não dá um "ai" sem o consentimento americano. Portanto, se Israel bombardear o Irã, vai ter o dedinho do Bush por trás. E não é só no Oriente Médio que vem chumbo grosso. Perguntaram pra Sarah Palin se os EUA declarariam guerra contra a Rússia se o Putin lutasse contra a Geórgia novamente, e ela respondeu que sim, seguindo o mesmo pensamento do McCain. Chegamos num ponto em que temos que torcer pros EUA não saírem do Iraque, ou estarão mais aliviados para atacar em outras frentes.
Infelizmente, parece que vem mais guerra por aí. É só uma questão de tempo.

8 comentários:

lola aronovich disse...

Pequeno esclarecimento: a foto do post, pra quem não pescou, logicamente não é do incrível "Truman Show", mas do ótimo "Doutor Fantástico" (1964), do Kubrick.
Uma outra foto no post diz "Nuke them all", que significa algo como "jogue bombas nucleares em todos eles". Muitos americanos acham que os EUA não deveriam estar no Iraque, e que tudo poderia ter sido resolvido muito mais rapidamente via armas nucleares. É sério!

The Red Death disse...

destoando completamente do post...lola, você, como amante dos animais (no pun intended), conhece o spider dog?

http://www.youtube.com/watch?v=YGdLmRCLLXM

to hell with polegares oponíveis!

Vitor Ferreira disse...

Lógico que vem mais por aí. Eles não podem perder o costume! Depois da Segunda Guerra, teve Coréia, Vietnã, Golfo, Iraque, Afeganistão, sem contar nas invasões diversas como a da Baía dos Porcos. É muita Guerra pra um período de menos de 100 anos. O que se passa na cabeça desse povo? Nem assistindo O Dia Seguinte ou depois de 11/9 esse povo não sossega? Toda ação causa uma reação. Até a física explica isso. Acho que o castigo maior vai vir da natureza. O aquecimento global tá aí... Só não torço pra um final à la Dia Depois de Amanhã porque o Canadá e a Europa iriam pro beleléu junto...

Giovanni Gouveia disse...

Os EUA enricaram vendendo armas na primeira guerra mundial, ái não perderam mais o costume.
A indústria bélica é um dos principais pilares daquela economia, sem guerra eles não existem, ainda por cima (na verdade por baixo) no irã não tem lençol freático normal, com água, tem um rio de petróleo embaixo daquelas terras...

Engraçado essa história de querer "implantar uma democrcia" por lá, primeiro por que se for a voto a maioria esmagadora xiita iria manter tudo como está.
Segundo, quem foi que apoiou/patrocinou/interviu/fundou TODAS as ditaduras de direita na América Latina????

lola aronovich disse...

Ju R, fofinho o vídeo. Espero que o cãozinho não tenha se machucado. Agora, por que ele se chama do cachorro do Chuck Norris?


É, Vitor, depois da Segunda Guerra não se passou um só ano sem que os EUA invadissem algum país. Sem contar as ditaduras que eles instalaram ao redor do mundo. É duro isso. E não faz muita diferença o presidente ser republicano ou democrata. O triste é que o povo americano nem toma conhecimento. Pra eles outros países simplesmente não importam. E, se por acaso eles descobrem que houve interferência americana, em outras nações, que deveriam ser soberanas, é por um bem maior: “manter a segurança nacional”. “Exportar o nosso estilo de vida”. “Instalar a democracia”. Eles realmente se acham os campeões da liberdade no mundo.

lola aronovich disse...

Gio, os governos americanos não têm nem mais vergonha de dizer que as guerras promovem a economia deles, por causa da indústria bélica. É difícil de acreditar, mas se não fosse a Guerra do Iraque a economia deles estaria pior. Essa história de instalar democracia não cola, claro. Poucos dos aliados americanos no Oriente Médio são sistemas democráticos. A Arábia Saudita, por exemplo. Grande democracia! Por que o Bush não delcara guerra contra a Arábia Saudita também? Porque ela faz tudo que os americanos querem. E aqui na América Latina eles continuam metendo o bedelho. Estiveram por trás do golpe frustrado contra o Chavez em 2002 e obviamente estão ajudando a derrubar o Evo Morales. Às vezes parece que mudou tão pouco, dos anos 60 pra cá...

Liris Tribuzzi disse...

Os EUA precisam de inimigos pra se fortalecerem internamente como país quase como a Coca Cola precisa do marketing pra vender. Já é praticamente cultural.
Vai enumerando aí: ingleses, índios, primeira guerra, segunda guerra, soviéticos, vieticongs, iraquianos, afeganistão, iraquianos. Agora que lutar no Afeganistão ou no Iraque é chutar cachorro morto, precisam de outro alvo. Além do quê, toda a investida militar ou diplomática nas bandas do Oriente médio foi feita pra derrubar os possíveis aliados do Irã antes de dar o bote.
Dá só uma olhadinha no mapa daquela região pra você ver. Quem já não foi invadido, é aliado.
http://www.asia-turismo.com/mapas/mapa/oriente-medio.jpg

lola aronovich disse...

É verdade, Li. E já já os EUA vão dar o bote no Irã. O mundo todo vai ficar revoltado e condenar a ação americana, mas essa reação não vai afetar os americanos. Já vimos esse filme antes. Várias vezes...